Detido em prisão de alta segurança

Governo da Nicarágua divulga fotos e vídeo do bispo Rolando Álvarez

| 27 Mar 2023

bispo rolando alvarez recebe visita dos seus irmãos na prisão, foto divulgada a 25 de março de 2023 pelo governo da Nicarágua

O bispo Rolando Álvarez durante a visita dos seus irmãos Vilma e Manuel Antonio à prisão de alta segurança onde se encontra, conhecida como La Modelo. Foto divulgada pelo governo da Nicarágua.

 

Depois de várias organizações de direitos humanos e elementos da Igreja na Nicarágua terem manifestado fortes preocupações quanto às condições a que o bispo Rolando Álvarez estaria sujeito no estabelecimento de alta segurança onde foi colocado após ter sido condenado a 26 anos de prisão “por traição à pátria”, as televisões do regime de Daniel Ortega divulgaram este sábado, 25 de março, fotos e um vídeo em que o prelado aparece acompanhado dos seus dois irmãos, que terão tido permissão para visitá-lo.

A última fotografia conhecida do bispo de Matagalpa havia sido tirada em janeiro deste ano, quando Álvarez participou na audiência inicial do seu processo, durante a qual uma juíza determinou que permaneceria em prisão domiciliária.

Nas mais recentes imagens, o bispo surge numa sala do Sistema Penitenciário Jorge Navarro de Tipitana (conhecido como La Modelo), sentado à mesa, a partilhar uma refeição com os seus irmãos Vilma e Manuel Antonio Álvarez Lagos.

No vídeo, é possível ouvir alguém que se encontra por trás das câmaras a perguntar a Rolando Álvarez como está e como se tem sentido na prisão, ao que o bispo responde: “Graças a Deus, bem; com muita força interior, com muita paz no Senhor e na Virgem Santíssima”. A mesma pessoa questiona ainda se ele tem recebido um tratamento digno “como todo o ser humano naquela prisão”, e Álvarez confirma: “Sim, graças a Deus, agradeço ás autoridades competentes e às do Sistema Penitenciário”.

Apesar de aparecer sorridente, Rolando Álvarez manifesta-se surpreendido quando a mesma pessoa se mostra satisfeita por vê-lo tão bem, e comenta: “Ah, bom! Pareço-lhe bem e saudável? E a cara, como lhe parece?”.

Durante todo o vídeo, que pode ser visto abaixo, escutam-se os constantes disparos das máquinas fotográficas a registar o momento, e os sorrisos não são suficientes para disfarçar um ambiente tenso e encenado.

Recorde-se que o Ministério das Relações Externas da Nicarágua pediu à Santa Sé o encerramento das suas missões diplomáticas no país no passado dia 10 de março, tendo a Nunciatura Apostólica na Nicarágua sido encerrada sete dias depois.

As relações entre a Igreja e o Governo da Nicarágua têm vindo a deteriorar-se já desde 2018, quando as autoridades reprimiram violentamente os protestos antigovernamentais e alguns líderes católicos deram abrigo aos manifestantes nas suas igrejas, tendo depois procurado atuar como mediadores entre o regime e a oposição.

A tensão entre a Igreja e o Governo de Ortega continuou a aumentar nos primeiros meses deste ano. O bispo Rolando Alvarez foi condenado a 26 anos de prisão, depois de se ter recusado a ser deportado juntamente com vários padres e seminaristas para os EUA, foi proibida a celebração de qualquer procissão nas ruas durante a Quaresma, e duas universidades católicas foram forçadas a encerrar, assim como a Fundação Mariana de combate ao Cancro, e ainda os dois escritórios da Cáritas no país.

 

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças

Este fim de semana, em Roma

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças novidade

Foi há pouco mais de cinco meses que, para surpresa de todos, o Papa anunciou a realização da I Jornada Mundial das Crianças. E talvez nem ele imaginasse que, neste curto espaço de tempo, tantos grupos e famílias conseguissem mobilizar-se para participar na iniciativa, que decorre já este fim de semana de 25 e 26 de maio, em Roma. Entre eles, estão alguns portugueses.

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral”

Susana Réfega, do Movimento Laudato Si'

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral” novidade

A encíclica Laudato Si’ foi “determinante para o compromisso e envolvimento de muitas organizações”, católicas e não só, no cuidado da Casa Comum. Quem o garante é Susana Réfega, portuguesa que desde janeiro deste ano assumiu o cargo de diretora-executiva do Movimento Laudato Si’ a nível internacional. Mas, apesar de esta encíclica ter sido publicada pelo Papa Francisco há precisamente nove anos (a 24 de maio de 2015), “continua a haver muito trabalho por fazer” e até “algumas resistências à sua mensagem”, mesmo dentro da Igreja, alerta a responsável.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja”

Terminou a visita “ad limina” dos bispos portugueses

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja” novidade

“Penso que estamos a mudar o paradigma da Igreja”, disse esta sexta-feira, 24 de maio, o bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), numa conversa com alguns jornalistas, em plena Praça de S. Pedro, no Vaticano, em comentário ao que tinha acabado de se passar no encontro com o Papa Francisco e às visitas que os bispos lusos fizeram a vários dicastérios da Cúria Romana, no final de uma semana de visita ad limina.

O mundo precisa

O mundo precisa novidade

O mundo precisa, digo eu, de pessoas felizes para que possam dar o melhor de si mesmas aos outros. O mundo precisa de gente grande que não se empoleira em deslumbrados holofotes, mas constrói o próprio mérito na forma como, concretamente, dá e se dá. O mundo precisa de humanos que queiram, com lealdade e algum altruísmo, o bem de cada outro. – A reflexão da psicóloga Margarida Cordo, para ler no 7MARGENS.

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Testemunho de uma judia-americana que abandonou Biden

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Esta é a história-testemunho da jovem Lily Greenberg Call, uma judia americana que exercia funções na Administração Biden que se tornou há escassos dias a primeira figura de nomeação política a demitir-se de funções, em aberta discordância com a política do governo norte-americano relativamente a Gaza. Em declarações à comunicação social, conta como foi o seu processo interior e sublinha como os valores do judaísmo, em que cresceu, foram vitais para a decisão que tomou.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This