Fórum de Diálogo Político

Governo disponível para acolher mais refugiados

| 21 Out 2021

O ministro Augusto Santos Silva no encontro. Foto © Sofia Rocha – KAICIID.

 

O Governo português reforçou esta quinta-feira a vontade do país em acolher mais refugiados, assumindo o “compromisso de garantir educação e oportunidades profissionais” para estes cidadãos. 

“Aceitamos o pluralismo como um elemento que enriquece a sociedade”, afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, de acordo com um comunicado divulgado pela organização do 3º Fórum de Diálogo Político Europeu sobre Refugiados e Migrantes, que decorreu em Lisboa de 19 a 21 de outubro.

Este evento, a que “Portugal tem a honra de estar associado e de acolher aqui em Lisboa”, como definiu Santos Silva, foi organizado pelo Centro Internacional de Diálogo (KAICIID), Rede para o Diálogo e o Conselho Europeu de Líderes Religiosos/Religiões para a Paz na Europa (ECRL/RfP Europa).

Também a alta comissária para as Migrações em Portugal, Sónia Pereira, defendeu uma atenção especial às mulheres e crianças refugiadas. “Não nos podemos esquecer que uma abordagem interseccional é necessária”.

A responsável que agradeceu a “oportunidade” de poder escutar testemunhos enriquecedores em matéria de defesa de direitos humanos, lembrou o compromisso de Portugal com os direitos humanos e a inclusão social.

Faisal bin Muaammar, secretário-geral do KAICIID, recordou a importância do diálogo interreligioso para o combate ao discurso de ódio, que tem vindo a ganhar escala em todo o mundo. “Acho que precisamos de uma nova vacina, como a que tivemos para a Covid-19”, defendeu naquele que foi o seu último discurso à frente da instituição.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco”

Comissões Justiça e Paz da Europa

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco” novidade

“O direito da Ucrânia a defender-se é indiscutível e todos os fornecimentos de armas que permitam a sua defesa no quadro dos imperativos da proporcionalidade e do direito humanitário internacional são legítimos”, diz a plataforma católica Justiça e Paz Europa. No entanto, “os meios militares, por si só, não podem trazer uma paz duradoura”.

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas novidade

O ensino das sagradas escrituras na época de Jesus era uma prática comum entre o povo judeu. Desde cedo, os rabinos ensinavam às crianças a leitura e escrita da Torá e a memorizar grandes porções da mesma. Entre as várias técnicas de ensino, estava a utilização de parábolas.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This