Crianças indígenas de internatos

Governo do Canadá pressiona para que Papa e bispos peçam desculpa

| 4 Jun 2021

Justin Trudeau, o primeiro-ministro do Canadá. Foto © Wkimedia Commons

 

O ministro para os assuntos indígenas do governo do Canadá defendeu esta quarta-feira, 2, que competiria ao Papa apresentar um pedido de desculpas formal pelo papel que a Igreja Católica teve ao longo de décadas nos internatos do país. A posição surge depois de deterem sido encontrados por um sistema de radar os restos mortais de mais de 200 crianças, em terrenos pertencentes a uma dessas instituições.

O Governo do primeiro-ministro Justin Trudeau também se comprometeu novamente a apoiar os esforços para encontrar mais sepulturas não marcadas nas antigas escolas residenciais para estudantes indígenas – instituições que mantinham crianças indígenas retiradas de famílias em todo o país.

Uma medida no mesmo sentido constava das recomendações da Comissão de Verdade e Reconciliação que analisou o papel destas instituições, geridas por instituições católicas e financiadas pelo Governo, tendo posteriormente o primeiro-ministro apresentado a sugestão diretamente, em 2017, numa visita ao Vaticano.  A Conferência dos Bispos do Canadá considera, porém, que o Papa não pode fazer pessoalmente um tal pedido de desculpas, ainda que reconheça a injustiça de que foram vítimas os povos indígenas.

O ministro voltou agora ao assunto, insurgindo-se contra o silêncio do Vaticano e notando que esta é uma responsabilidade que cai também sobre os bispos do país. A Conferência canadiana dos Bispos Católicos, citada pela Associated Press (AP), não comentou esta nova insistência.

A voz da Igreja que já se tinha feito ouvir em 2013 perante a Comissão de Verdade e Reconciliação, o arcebispo de Vancouver, Michael Miller, emitiu um comunicado e escreveu (repercutido na sua conta no Twitter) no qual exprime “profundas desculpas e condolências às famílias e comunidades que foram devastadas por esta notícia horrível” e acrescenta: “A Igreja estava inquestionavelmente errada ao implementar uma política colonialista do Governo, que resultou em devastação para crianças, famílias e comunidades que receberam o impacte das recentes revelações.”

 

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Na Casa de Oração Santa Rafaela Maria

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Estamos neste mundo, não há dúvida. Mas como nos relacionamos com ele? E qual o nosso papel nele? “Estou neste mundo como num grande templo”, disse Santa Rafaela Maria, fundadora das Escravas do Sagrado Coração de Jesus, em 1905. A frase continua a inspirar as religiosas da congregação e, neste ano em que assinalam o centenário da sua morte, “a mensagem não podia ser mais atual”, garante a irmã Irene Guia ao 7MARGENS. Por isso, foi escolhida para servir de mote a uma tarde de reflexão para a qual todos estão convidados. Será este sábado, às 15 horas, na Casa de Oração Santa Rafaela Maria, em Palmela, e as inscrições ainda estão abertas.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This