Repressão continua

Governo iraniano ordena destruição de terrenos agrícolas de bahá’ís

| 3 Jun 2024

destruição de campos bahá'is no Irão. Foto reproduzidaa a partir da conta de X @BahaiBIC

Durante este ato de destruição, os principais alvos foram colheitas e bermas de irrigação. Foto reproduzidaa a partir da conta de X @BahaiBIC

Diversos terrenos agrícolas cujos proprietários são bahá’ís, localizados na aldeia de Ahmadabad, na província iraniana de Mazandaran, perto da fronteira com o Turquemenistão, foram recentemente destruídos por agentes mandatados pelo Governo daquele país. Este é mais um ato de repressão que o executivo iraniano leva a cabo contra a comunidade bahá’í, alerta a Comunidade Internacional Bahá’í (BIC, na sigla inglesa).

“Este último ataque contra os bahá’ís no Irão é mais uma crueldade, uma forma de apartheid económico e um novo esforço de limpeza religiosa, concebido para expulsar os bahá’ís das suas próprias terras agrícolas”, referiu Simin Fahandej, representante da BIC nas Nações Unidas em Genebra. “O Governo iraniano está a tentar tornar o Irão inabitável para os bahá’ís”, afirmou.

Durante este ato de destruição, os principais alvos foram colheitas e bermas de irrigação. Em vídeos e fotografias online, é possível ver uma escavadora a deslocar-se para trás e para a frente sobre as plantações de arroz, destruindo-as, e depois dirigindo-se para o rio, onde destruiu o canal de água para os campos cultivados. Em pano de fundo, observam-se funcionários com uniforme militar. Vislumbram-se ainda dezenas de aldeões – que parecem suplicar aos funcionários que parem o seu trabalho destrutivo.

“Ao longo de quase cinco décadas, o Governo iraniano destruiu casas bahá’ís, confiscou terras bahá’ís e tentou privar os bahá’ís do seu direito a ganhar a vida. Conduzir uma escavadora sobre os campos de agricultores inocentes é uma afronta aos bahá’ís, a todos os cidadãos iranianos que trabalham arduamente e à própria pretensão do governo de cuidar do seu povo”, afirmou Fahandej. “Os campos de arroz devem ser devolvidos aos bahá’ís e as autoridades devem pagar uma indemnização por este ato bárbaro”, acrescentou.

As autoridades iranianas já tinham vedado as terras de Ahmadabad em janeiro deste ano, numa operação ilegal anteriormente denunciada pela Comunidade Internacional Bahá’í. Um dia antes do último incidente, quando os habitantes locais se aperceberam da presença da escavadora e questionaram por que razão tinha sido levada para a aldeia, foram informados pelos funcionários de que se destinava a trabalhos de construção que seriam efetuados na zona. Por conseguinte, os bahá’ís locais não deram seguimento ao assunto.

Em abril deste ano, a Human Rights Watch considerou a perseguição sistemática das autoridades iranianas face aos bahá’ís ao longo dos últimos 45 anos um crime contra a humanidade, conforme noticiou o 7MARGENS.

 

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Na Casa de Oração Santa Rafaela Maria

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo” novidade

Estamos neste mundo, não há dúvida. Mas como nos relacionamos com ele? E qual o nosso papel nele? “Estou neste mundo como num grande templo”, disse Santa Rafaela Maria, fundadora das Escravas do Sagrado Coração de Jesus, em 1905. A frase continua a inspirar as religiosas da congregação e, neste ano em que assinalam o centenário da sua morte, “a mensagem não podia ser mais atual”, garante a irmã Irene Guia ao 7MARGENS. Por isso, foi escolhida para servir de mote a uma tarde de reflexão para a qual todos estão convidados. Será este sábado, às 15 horas, na Casa de Oração Santa Rafaela Maria, em Palmela, e as inscrições ainda estão abertas.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja

A um mês da ordenação de dois bispos

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja novidade

O patriarca de Lisboa, Rui Valério, escreveu uma carta a convocar “todos – sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas e fiéis leigos” da diocese para estarem presentes naquele que será o “momento raro da ordenação episcopal de dois presbíteros”. A ordenação dos novos bispos auxiliares de Lisboa, Nuno Isidro e Alexandre Palma, está marcada para o próximo dia 21 de julho, às 16 horas, na Igreja de Santa Maria de Belém (Mosteiro dos Jerónimos).

O exemplo de Maria João Sande Lemos

O exemplo de Maria João Sande Lemos novidade

Se há exemplo de ativismo religioso e cívico enquanto impulso permanente em prol da solidariedade, da dignidade humana e das boas causas é o de Maria João Sande Lemos (1938-2024), que há pouco nos deixou. Conheci-a, por razões familiares, antes de nos encontrarmos no então PPD, sempre com o mesmo espírito de entrega total. [Texto de Guilherme d’Oliveira Martins]

“Sempre pensei envelhecer como queria viver”

Modos de envelhecer (19)

“Sempre pensei envelhecer como queria viver” novidade

O 7MARGENS iniciou a publicação de depoimentos de idosos recolhidos por José Pires, psicólogo e sócio fundador da Cooperativa de Solidariedade Social “Os Amigos de Sempre”. Publicamos hoje o décimo nono depoimento do total de vinte e cinco. Informamos que tanto o nome das pessoas como as fotografias que os ilustram são da inteira responsabilidade do 7MARGENS.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This