Autoridade do islão sunita

Grande Imã de Al-Azhar condena talibãs por negarem às mulheres acesso à universidade

| 23 Dez 2022

Ahmed el-Tayeb, em fevereiro, depois da assinatura do documento sobre a fraternidade humana

 

O Grande Imã de Al-Azhar (Egito), xeque Ahmed Al-Tayyeb, a maior autoridade do islão sunita, condenou em comunicado divulgado nesta sexta-feira, dia 23 de dezembro, a decisão dos talibãs no poder no Afeganistão de impedirem o acesso das mulheres afegãs à educação universitária.

Tal decisão “contradiz a Shari’ah [lei] islâmica e entra em conflito com o seu apelo explícito para que homens e mulheres busquem o conhecimento desde o berço até ao túmulo”, lê-se na declaração de AL-Azhar, que interroga: “Como podem aqueles que tomaram esta decisão ignorar os abundantes exemplos históricos de mulheres pioneiras na educação, ciências e política que contribuíram para o avanço das sociedades muçulmanas no passado e no presente?”

Recorde-se que o Grande Imã Al-Azhar assinou com o Papa Francisco, a 4 de fevereiro de 2019, em Abu Dhabi, o Documento sobre a Fraternidade Humana em Prol da Paz Mundial e da Convivência Comum que constitui, desde então, uma referência quer na procura de caminhos de paz no mundo quer como instrumento do diálogo religioso católico-sunita e de aproximação entre as religiões. Os sunitas são o maior ramo (cerca de mil milhões em todo o mundo) do islão, ramo no qual os talibãs afegãos se integram.

“Alerto os muçulmanos e não-muçulmanos contra acreditar, ou aceitar, a alegação de que esta proibição da educação das mulheres é aprovada no islão. Pelo contrário, o islão denuncia firmemente tal proibição, pois contradiz os direitos legais que o islão garante de forma igual para mulheres e homens”, sublinha o responsável dse Al-Azhar que termina a sua declaração convocando “os nossos irmãos no poder no Afeganistão muçulmano a reconsiderarem a sua decisão, pois a verdade é mais digna de ser seguida.”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This