Expo universal

Grande significado do pequeno pavilhão vaticano no Dubai

| 13 Nov 2021

pavilhao santa se expo dubai foto © Conselho Pontifício da Cultura

Uma reprodução do fresco da criação de Adão decora o teto do pavilhão da Santa Sé na Expo de Dubai. Foto © Conselho Pontifício da Cultura.

 

O Papa Francisco quis que a Santa Sé estivesse presente na Expo de Dubai (2020), na tradição que vem desde o início (Expo de Londres – 1851), sem nenhuma interrupção. Estes eventos nasceram para celebrar o progresso técnico e promover o mútuo conhecimento dos povos.

“Coligar as mentes, criar o futuro” é o tema geral da atual Exposição universal, que decorre entre 1 de outubro de 2021 a 31 de março de 2022, um ano depois do previsto. O Conselho Pontifício da Cultura foi novamente encarregue de preparar e animar o Pavilhão vaticano, como ocorreu com Milão (2015) e Beijing (2019). É particularmente significativa a presença vaticana na primeira expo realizada no Médio Oriente em país de maioria muçulmana. Mas foi precisamente aí, nos Emiratos Árabes, que o Papa Francisco assinou, a 4 de fevereiro de 2019, a Declaração sobre a fraternidade humana para a paz mundial e a convivência comum com o Imã da mesquita de Al-Azhar, Aḥmad Al-Ṭayyib. O documento foi editado em árabe e inglês, com introdução de Sua Alteza Xeque Mohammed bin Rashid Al Maktoum, Emir de Dubai, e do Papa Francisco. Os visitantes recebem uma edição popular bilingue desse documento.

O pequeno pavilhão, caraterizado pela sobriedade, no contexto difícil da pandemia e da escassez de recursos, foi pensado e preparado com muita dignidade e beleza por monsenhor Tomasz Trafny, vice-comissário, e a supervisão do cardeal Gianfranco Ravasi. O projeto é do arquiteto Giuseppe Di Nicola.

O fio condutor do pavilhão é a fraternidade. Remonta ao encontro ocorrido há 800 anos no Cairo em 1219, entre o sultão Malik Al-Kāmil e São Francisco, momento de viragem com a presença franciscana, que ultrapassava a mentalidade das cruzadas e abria caminho a um diálogo fraterno. Uma reprodução do célebre quadro de Giotto, existente na basílica superior de Assis, marca a entrada do pavilhão, coligando o encontro de 2019 agora com outro Francisco.

A evocar o fundamento da fraternidade em Deus criador, vê-se uma reprodução do fresco da criação de Adão a decorar o teto do pavilhão da Capela Sistina. A fé num único Deus criador constitui o vínculo profundo entre todos os filhos de Abraão.

Ao redor do espaço situam-se alguns manuscritos originais da Biblioteca Apostólica do Vaticano. Em primeiro lugar, o incipit de uma tradução árabe (ca. 800-830) das tábuas manuais de Téon de Alexandria, fragmento palimpsesto proveniente da grande universidade criada no século IX em Bagdad, significativa por revelar o esforço da cultura daquele tempo para tornar acessível ao mundo islâmico o saber de outros povos. Em segundo lugar, expõe-se o Liber Abbaci de Leonardo Pisano ou Fibonacci (ca. 1170 – ca. 1250), introdutor dos números árabes no Ocidente. E, em terceiro lugar, pode admirar-se o texto das Observações sobre a reforma gregoriana do calendário feitas pelo médico, cosmógrafo e matemático português Tomás de Horta (+1594). Gregório XIII pediu parecer a vários cosmógrafos e Portugal ofereceu este contributo, em 1579.  A exposição é acompanhada por um breve documentário realizado pela Biblioteca Vaticana.

Conseguir um calendário partilhado por vários povos foi elemento fundamental para a comunicação. Este processo, iniciado no mundo católico, estendeu-se à Europa e a todo o mundo. Um testemunho importante deste caminho é a meridiana construída na Torre dos Ventos dos Museus Vaticanos. Através desta, os peritos verificaram a divergência das estações do calendário juliano, que na altura já atingia um atraso de 11 dias. Essa meridiana está reproduzida no pavimento do pavilhão, mostrando o necessário diálogo entre ciência e fé.

A receber os visitantes estão dois manequins, vestidos com uniformes da Guarda Suíça, que ao longe identificam a marca vaticana do pavilhão. A Juventude Franciscana de vários países reúne a equipa de jovens voluntários, entre os quais jovens portugueses, que guia os visitantes. São memória viva do espírito franciscano aberto à fraternidade universal.

A 19 de março de 2022, será o dia nacional da Santa Sé, com a presença do Secretário de Estado do Vaticano.

As muitas dificuldades foram ultrapassadas e certamente o resultado final sublinha a importância de construir pontes entre as diferentes culturas e religiões, optando pela evocação do que aconteceu de positivo na história e provoca os atuais responsáveis dos povos e das religiões a escolher caminhos de abertura, de diálogo e até de colaboração para salvaguardar o bem da criação. A memória de um passado dialogante deseja-se inspire e ofereça energia para criar um futuro harmonioso.

 

Carlos Moreira Azevedo é bispo e delegado do Conselho Pontifício da Cultura

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This