Em carta aberta

Grupo de cristãos critica Relatório de Portugal ao Sínodo

| 2 Set 2022

sinodo 2023 questionarios foto diocese leiria fatima

“A natureza da Igreja não é definida por sondagens, nem por auscultação popular, mas por revelação sobrenatural, de que a hierarquia não é autora, mas fiel depositária”, defendem os subscritores da carta. Foto © Diocese de Leiria-Fátima.

 

O Relatório de Portugal ao Sínodo 2021-2023, recentemente publicado, “sublinha os aspetos negativos [da Igreja] e ignora os positivos”, esquece, “senão mesmo discrimina”, os santos e mártires que a constituem, e não refere “a mais importante expressão da fé católica em Portugal: Fátima”. Estas são algumas das críticas apontadas por “um grupo de cristãos” numa carta aberta divulgada esta semana e cujo primeiro subscritor é o padre do Opus Dei Gonçalo Portocarrero de Almada.

O documento, que conta já com mais de mil assinaturas, foi publicado pelo Observador, jornal onde Portocarrero de Almada é cronista, e subdivide-se em 13 pontos, começando por referir que o relatório português critica o clericalismo mas é, ele próprio, “um exemplo ‘de uma Igreja exageradamente centrada na autoridade e ação do clero'”.

Quanto ao “processo de recolha de informação” em si, transparece “um deficiente entendimento da natureza hierárquica da Igreja”, diz a missiva, que em seguida esclarece: “A natureza da Igreja não é definida por sondagens, nem por auscultação popular, mas por revelação sobrenatural, de que a hierarquia não é autora, mas fiel depositária”. E questiona: “Será que, na base desta consulta popular, há uma tentativa de substituir a Igreja hierárquica por uma Igreja democrática, de tal forma que os pastores, até agora entendidos como representantes de Deus, passassem a sê-lo do povo?!”.

O grupo lamenta ainda que o relatório esteja “alinhado com o pensamento politicamente correto” e utilize “nomenclatura ideológica sem qualquer fundamento científico, como por exemplo o termo ‘expressões de género (grupo LGBTQi+)'”.

Entre os subscritores da carta, incluem-se o economista e professor universitário António Bagão Félix, o padre Mário Rui Leal Pedras, pároco de São Nicolau, e o cónego Armando Duarte, pároco dos Mártires e membro do cabido da Diocese de Lisboa.

 

Desfazendo três equívocos sobre Deus

Desfazendo três equívocos sobre Deus novidade

Existem três dificuldades ou equívocos religiosos sobre o carácter de Deus, e que revelam algum desconhecimento sobre Ele. Por isso convém reflectir no assunto. Esses três equívocos sobre os quais nos vamos debruçar de seguida são muito comuns, infelizmente. [Texto de José Brissos-Lino]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This