Grupos católicos LGBT criticam documento do Vaticano sobre a teoria de género, que pretende “uma via de diálogo”

| 19 Jun 19 | Igrejas Cristãs - Homepage, Newsletter, Sociedade, Últimas

Uma Parada do Orgulho Gay, no Brasil. Foto © Raquel Aviani-Secom UnB/Wikimedia Commons

 

O Vaticano publicou pela primeira vez um manual inteiramente dedicado ao tema do “género”. O documento da Congregação para a Educação Católica Homem e mulher, os criou. Para uma via de diálogo sobre a questão de género na educação surge como uma resposta às solicitações de vários bispos de forma a poderem abordar o assunto junto das suas comunidades. Mas há grupos católicos que apareceram nos últimos dias a criticar o texto.

Tem 31 páginas e procura fazer uma distinção entre a abordagem ideológica do tema e as pesquisas científicas sobre género. Reconhecendo existir uma “emergência educativa

na actualidade, o documento da Congregação da Educação Católica sobre a questão do género na educação diz que o debate acerca do tema pode contribuir para uma educação das crianças e dos jovens no sentido de “respeitar cada pessoa na sua particular e diferente condição”, para que ninguém, devido às suas condições pessoais (deficiência, raça, religião, tendências afectivas), possa tornar-se “objecto de bullying, violências, insultos e discriminações injustas”.

A reflexão aconselha em especial as instituições de ensino católicas a  “educar no respeito das tendências afectivas”.

O documento recorda as diferenças biológicas existentes entre homem e mulher e considera que as ideias de intersexualidade ou transgénero “conduzem a uma masculinidade ou feminialidade que é ambígua”.

Depois da publicação do texto, dia 10 de Junho, vários grupos e movimentos de católicos LGBT apareceram a público a criticar vários dos seus postulados. O padre jesuíta James Martin, um dos maiores especialistas no diálogo entre fé e diversidade sexual, lamenta que o texto “aponte à ideología de género e embora peça diálogo e escuta, não tenha em conta a vida real das pessoas LGBT”.

“Muitas vezes não é fácil para uma pessoa homossexual assumir a sua condição, pois os preconceitos são duradouros e as mentalidades só mudam lentamente, inclusive nas comunidades e nas famílias católicas. Estas famílias são chamadas a acolher toda a pessoa como filha de Deus, qualquer que seja a sua situação. E numa união durável entre pessoas do mesmo sexo, para além do aspecto meramente sexual, a Igreja estima o valor da solidariedade, da ligação sincera, da atenção e do cuidado com o outro”, afirma por seu lado Luís Corrêa Lima, padre jesuíta brasileiro e professor do Departamento de Teologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, que também é investigador sobre género e diversidade sexual e faz acompanhamento espiritual de pessoas LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros).

Em 2008, as Nações Unidas debateram uma proposta de descriminalização da homosexualidade em todo o mundo. Os países ocidentais posicionaram-se a favor e os estados islâmicos de modo desfavorável. A delegação da Santa Sé manifestou-se pela condenação de todas as formas de violência contra pessoas homossexuais e pediu às nações para tomarem as medidas necessárias para pôr fim a todas as penas criminais contra elas. A Igreja Católica entende que as práticas sexuais livres entre pessoas adultas não devem ser consideradas delito pelas autoridades civis.

O Brasil crimininalizou recentemente a homofobia e a transfobia, juntando-se a 42 outros países que adoptaram esse preceito legal, entre os quais Portugal, num processo iniciado pela Noruega (1994) e Canadá (1996).

Artigos relacionados

Apoie o 7 Margens

Breves

Núncio que era criticado por vários bispos, deixa Lisboa por limite de idade

O Papa Francisco aceitou nesta quinta-feira, 4 de Julho, a renúncia ao cargo do núncio apostólico (representante diplomático) da Santa Sé em Portugal, Rino Passigato, por ter atingido o limite de idade determinado pelo direito canónico, de 75 anos. A sua acção era objecto de críticas de vários bispos, embora não assumidas publicamente.

Arcebispo da Beira lamenta que o Papa só visite Maputo

O arcebispo da Beira (Moçambique) lamenta que o Papa Francisco não visite, em Setembro, a zona directamente atingida pelo ciclone Idai, em Março: “Todos esperávamos que o Papa chegasse pelo menos à Beira. Teria sido um gesto de consolação para as pessoas e uma forma de chamar a atenção para as mudanças climáticas e para esta cidade, que está a tentar reerguer-se”, disse Cláudio Dalla Zuanna.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia 

Entre margens

Criança no centro? novidade

Há alguns anos atrás estive no Centro de Arte Moderna (Fundação Gulbenkian) ver uma exposição retrospetiva da obra de Ana Vidigal. Sem saber exatamente porque razão, detive-me por largos minutos em frente a este quadro: em colagem, uma criança sozinha no seu jardim; rodeando-a, dois círculos concêntricos e um enredado de elipses. Ana Vidigal chamou àquela pintura: O Pequeno Lorde.

Uma espiritualidade democrática radical

Não é nenhuma novidade dizer que o modelo de democracia que temos, identificado como democracia representativa e formal (de origem liberal-burguesa) está em crise. Disso, entre outras razões, têm-se aproveitado muito bem os partidos de extrema-direita. Mas não só eles. Surgem também críticas fortes desde a própria sociedade civil a este modelo.

Cultura e artes

Festa de Maria Madalena: um filme para dar lugar às mulheres novidade

A intenção do autor é dar lugar às mulheres. Não restam dúvidas, fazendo uma leitura atenta dos quatro Evangelhos que Jesus lhes dá o primeiro lugar. A elas, anuncia-lhes quem é Ele, verdadeiramente. Companheiras de Cristo, continuarão a sua missão, juntamente com os homens. Anunciando, tal como eles, a Paixão e a Ressurreição de Jesus Cristo; curando, baptizando em nome do Senhor. Tornando-se diáconos. Sabe-se, está escrito. Mas, nos Actos dos Apóstolos, elas desaparecem sem deixar rasto.

Mãos cheias de ouro, um canudo e uma intensa criatividade

Na manhã de 7 de Julho, a UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) inscreveu o Convento de Mafra, o santuário do Bom Jesus de Braga e o Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, na sua lista de sítios de Património Mundial. Curta viagem escrita e alguns percursos falados, como forma de convite à viagem para conhecer ou redescobrir os três novos lugares portugueses do Património da Humanidade.

Sete Partidas

A Páscoa em Moçambique, um ano antes do ciclone – e como renasce a esperança

Um padre que passou de refugiado a conselheiro geral pode ser a imagem da paixão e morte que atravessou a Beira e que mostra caminhos de Páscoa a abrir-se. Na região de Moçambique destruída há um mês pelo ciclone Idai, a onda de solidariedade está a ultrapassar todas as expectativas e a esperança está a ganhar, outra vez, os corações das populações arrasadas por esta catástrofe.

Visto e Ouvido

"Correio a Nossa Senhora" - espólio guardado no Santuário começou a ser agora disponibilizado aos investigadores

Agenda

Parceiros

Fale connosco