Com 120 mil muçulmanos

Habitantes de Colónia passam a ouvir os muezim a chamar para a oração

| 19 Out 2021

A decisão de permitir o muezim não foi consensual. Foto © Michael Gaida | Pixabay

 

A cidade alemã de Colónia tornou-se este mês a primeira das grandes cidades do país a permitir, por ora a título experimental, que o muezim de cada uma das 35 mesquitas locais possa convidar os fiéis para a oração pelos altifalantes.

A medida, que foi tomada em nome da valorização da diversidade e do tratamento equitativo das confissões religiosas, está longe de recolher o apoio de muitos cidadãos. Ainda assim, nestes primeiros dois anos de experiência, o muezim só poderá cantar o convite às sextas-feiras, dia santo muçulmano, entre as 12 e as 15 horas, durante não mais de cinco minutos e com algum controlo do volume do som.

Ainda assim, as mesquitas deverão solicitar permissão, informar antecipadamente a vizinhança e disponibilizar uma pessoa que possa responder a eventuais queixas.

“Esta medida demonstra a consolidação da presença dos muçulmanos que vivem na Alemanha há gerações”, disse um porta-voz da União Turco-Islâmica para Assuntos Religiosos, que representa o Ministério turco de Assuntos Religiosos na Alemanha, citado no jornal digital La Croix International.

Os opositores a esta prática, que se encontram também, entre a própria comunidade muçulmana, em grande medida oriunda da Turquia, colocam diferentes tipos de objeções, segundo aquele órgão de informação. Umas chamam a atenção para a “ingenuidade” da maioria que adotou a medida, outras alertam para o risco de agravamento das tensões sociais, e, por fim, não falta quem considere que se está a dar uma bofetada na oposição a Erdogan. A extrema direita do AfD (Alternativa para a Alemanha) considerou, por sua vez, que esta medida é uma cedência e “expressão de uma exigência política de poder, submissão e islamização”.

Numa cidade que não anda muito longe do 1,5 milhão de habitantes, Colónia tem cerca de 120 mil muçulmanos. Foi com a ajuda deles que foi construída a principal mesquita da urbe.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Ministro russo repudia declarações do Papa

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Desarmar-se

Desarmar-se novidade

Sinto-me um pouco embaraçada. Perguntam-me: como correu o encontro com os meus amigos no Porto e, afinal de contas: o que é isto de “Juntos pela Europa”? O que é que 166 pessoas de 19 países diferentes, de 45 movimentos e comunidades de oito igrejas, podem fazer em conjunto, quando “os semelhantes atraem os semelhantes” e a diversidade é raramente – ou talvez nunca – uma força de coesão? E sem falar das diferentes visões geopolíticas, culturais, históricas, confessionais e, além disso: o que farão agora os russos e os ucranianos, que também estiveram presentes?

Francisco pede “pessoas dispostas a comprometer-se com o bem comum”

O Vídeo do Papa

Francisco pede “pessoas dispostas a comprometer-se com o bem comum” novidade

A 12ª edição de “O Vídeo do Papa” de 2022 acaba de ser publicada e nela Francisco destaca as organizações de voluntariado, e todas as pessoas nelas envolvidas, pelo seu empenho na promoção humana e no bem comum. Na sua intenção de oração, o Papa exorta-os a continuar este trabalho, atuando “não só para as pessoas, mas com as pessoas”, sendo “artesãos da misericórdia”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This