Myanmar

Igreja centenária de lusodescendentes destruída pelo exército

| 18 Jan 2023

destruicao da Igreja de Nossa Senhora da Assunção no vilarejo de Chan-tha-ywa, foto direitos reservados

Antes de atearam fogo à Igreja de Nossa Senhora da Assunção, no vilarejo de Chan-tha-ywa, “os soldados ultrajaram o local, bebendo e fumando lá dentro”. Foto: Direitos reservados.

 

A histórica Igreja de Nossa Senhora da Assunção, erguida em 1894 no vilarejo de Chan-tha-ywa, onde vive uma comunidade católica descendente de portugueses, os bayingyis, “foi totalmente incendiada e destruída no dia 14 de janeiro, por soldados da junta militar que governa Myanmar”, noticiou esta quarta-feira, 18, a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

Antes de atearam fogo, “os soldados ultrajaram o local, bebendo e fumando lá dentro” refere o Vatican News, que acrescenta: “Na região, convivem há séculos, em harmonia, os católicos e budistas. No ano passado, a aldeia foi atacada quatro vezes pelas milícias, sem nenhum anterior confronto ou provocação” que justificasse tais ataques. Como o 7MARGENS noticiou, parte do armamento das tropas da junta militar é produzido com componentes fornecidas por países europeus.

Joaquim Magalhães de Castro, diretor-geral para a região Ásia Pacífico da Associação Internacional de Lusodescendentes, lamentou, em conversa telefónica com a Fundação AIS, o “ato bábaro” bem como “o silêncio” das autoridades portuguesas: “Aqui, em Portugal, continua o silêncio, apesar de todos os ataques, das destruições das colheitas e das casas. Portugal continua a ignorar e, mais grave ainda, continua a não reconhecer a existência desta comunidade, apesar de historicamente isso estar mais do que comprovado.”

Face à gravidade da situação, Joaquim Castro garantiu que a associação iria fazer todos os possíveis para “levar o assunto ao Parlamento” e avaliar como proteger os católicos bayingyis, os quais são descendentes de combatentes portugueses que entre os séculos XVI e XVII estiveram ao serviço dos monarcas birmaneses.

 

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe

Nove dias após a sua morte numa prisão russa

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe novidade

O corpo do líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi entregue à sua mãe, informou ontem, sábado, Ivan Zhdanov, diretor da Fundação Anti-Corrupção de Navalny e um dos seus principais assessores na sua conta de Telegram. O responsável agradeceu a “todos” os que apelaram às autoridades russas para que devolvessem o corpo de Navalny à sua mãe, citado pela Associated Press.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Cristo Cachorro, versão 2024

Cristo Cachorro, versão 2024 novidade

Invejo de morte a paixão que os cartazes da Semana Santa de Sevilha conseguem despertar. Os sevilhanos importam-se com a sua cidade, as festas e com a imagem que o cartaz projecta, se bem que com o seu quê de possessivo, mas bem melhor que a apatia. Não fossem frases como “É absolutamente uma vergonha e uma aberração” e as missas de desagravo e o quadro cartaz deste ano teria passado ao lado.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

7MARGENS antecipa estudo

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This