Igreja e mesquita construídas lado a lado no Egito, em sinal de unidade

| 10 Jul 20

Cópia de mesquita e igreja no egito, Foto Copts Today

O projeto prevê também a construção de uma biblioteca e um parque infantil partilhados. Foto © Copts Today.

 

Uma igreja e uma mesquita estão a ser construídas lado a lado, sem nenhuma barreira entre os dois lugares de culto, no bairro de Moqattam, no noroeste do Cairo. O projeto é a concretização do sonho do ex-deputado Nabil Luke al-Babawi, que ficou conhecido pelas suas iniciativas destinadas a promover a harmonia nacional e a convivência entre os diferentes setores da sociedade egípcia.

A proposta de construir uma igreja e uma mesquita ao lado uma da outra, como um sinal de proximidade entre cristãos e muçulmanos, foi feita por Babawi em 2013, ano marcado por dezenas de atentados contra igrejas por parte de grupos islâmicos, na sequência da destituição do Presidente Mohamed Morsi, recorda a agência Fides.

No projeto, está prevista a construção de uma biblioteca onde poderão ser consultados e adquiridos livros sobre temas da espiritualidade cristã e muçulmana, estando apenas excluídas do catálogo obras associadas ao fanatismo religioso.

O espaço incluirá ainda um parque infantil e salas de atividades, para que cristãos e muçulmanos aí possam deixar os seus filhos enquanto participam nas celebrações, estimulando assim a interação entre as crianças das duas religiões.

Os promotores esperam que esta experiência piloto, que tem como principal objetivo promover a tolerância religiosa no país, em particular junto das gerações mais jovens, venha a ser reproduzida noutros bairros do Cairo e também noutras cidades do país.

 

Artigos relacionados

UE: Cipriota Christos Stylianidis velará pela liberdade religiosa

UE: Cipriota Christos Stylianidis velará pela liberdade religiosa novidade

“Agradeço profundamente ao Colégio de Comissários da Comissão Europeia pela minha nomeação como Enviado Especial para a promoção da liberdade de religião ou crença fora da União Europeia”. Foi assim que o político cipriota Christos Stylianidis reagiu à escolha do seu nome para dar continuidade a uma função que tinha sido interrompida em 2019 e que alguns entendiam não ser imprescindível.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

“Tragédia brasileira: risco para a casa comum?”

  Entre os dias 4 e 6 de Maio (terça a quinta-feira), um seminário internacional que se realiza em formato digital irá debater se a tragédia brasileira é um risco para a casa comum, numa iniciativa de várias organizações religiosas, de defesa dos direitos humanos...

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Quadrado da serenidade ou testemunho de ser novidade

Desde há mais de um ano que uma percentagem muito significativa do que aparece escrito tem, direta ou indiretamente, a ver com o mundo em que o nosso mundo se transformou diante da invasão por esta pandemia de covid-19. Não se trata de uma secagem da imaginação humana, mas da pregnância que este fenómeno de tão larga escala assumiu.

Hans Küng, de “A Igreja” ao “Projeto Para Uma Ética Mundial” novidade

Küng é um profeta do nosso tempo, e isso viu-se quando a Congregação para a Defesa da Fé (antiga Santa inquisição) o sancionou, retirando-lhe a cátedra e o múnus. Hans Küng deixou na sua obra a beleza de ser cristão, da reflexão sem cadeias e a proposição de que as questões infalíveis não o são; por isso a Igreja deve estar-lhe grata e aprofundar o seu pensamento. Um dia a história saberá quem foi este grande teólogo.

O desaparecimento dos gigantes da fé

De vez em quando temos a sensação de que se está a passar na porta giratória para um mundo diferente. Em especial quando se toma consciência de que alguns dos maiores gigantes do mundo cristão nos deixaram. O mais recente foi o grande teólogo e pensador protestante latino-americano René Padilla (1932-2021), o “pai” do conceito de “missão integral” que revolucionou as teologias do continente, em particular a missiologia.

Cultura e artes

Ter uma casa não é ter um lar novidade

Apesar de uma carreira já muito premiada (vencendo inclusive os Óscares para Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Actriz, dos seis para que estava nomeado) Nomadland – Sobreviver na América nunca será um filme consensual. E cada um vê-lo-á de um ponto de vista diferente, como sempre. Eu digo, desde já, que é um filme que vale muito a pena ver.

Alusões a um corpo ausente

Cada pessoa que fizer uma evocação de José Augusto Mourão fá-lo-á de um modo diferente. O percurso biográfico de Mourão presta-se a essa pluralidade quase heterodoxa, diferente das narrativas oficiais com as quais se canoniza uma vida e uma determinada biografia da mesma.

Flannery O’Connor e “Um Diário de Preces”

Flannery O’Connor foi uma escritora norte-americana (1925-1964), falecida aos 31 anos de lúpus, doença degenerativa precocemente diagnosticada (aos 12 anos) e que, depois de lhe terem sido dados cinco anos de vida, Flannery conseguiu, com uma vontade indomável, prolongar por mais 10 anos. Católica convicta, viveu em Savannah, na Geórgia, no sul protestante e conservador. Escreveu sobretudo sobre a decadência do sul da América. Fez uma licenciatura em Inglês e Sociologia e uma pós-graduação através de um writer’s workshop (oficina de escrita) na Universidade de Iowa. Escreveu 32 contos e dois romances.

Sete Partidas

O regresso à escola má

Custa-me imenso falar de educação. A sério. Dói-me. Magoa fundo. O mal que temos tratado a educação escolar nas últimas décadas. Colectivamente. Geração após geração. Incomoda-me a forma como é delegada para planos secundários perante a suposta urgência de temas tão mais mediáticos e populares. Quando nada me parece mais urgente.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This