Sínodo na Costa do Marfim

Igreja precisa de discutir “racismo, questões de género e clericalismo”

| 31 Jul 2022

Os bispos da Costa do Marfim apresentaram a sua síntese nacional para o Sínodo sobre a sinodalidade. Foto © Eva Blue | Unsplash

Mercado de rua na Costa do Marfim: Os bispos da Costa do Marfim apresentaram a sua síntese nacional para o Sínodo sobre a sinodalidade e apelaram a que o racismo seja discutido dentro da Igreja. Foto © Eva Blue | Unsplash

 

Os católicos da Costa do Marfim pedem à Igreja em geral que se empenhe em mais “discernimento” em várias questões dolorosas – como racismo, questões de género e clericalismo – na próxima etapa do processo sinodal. Os líderes da Igreja na nação da África Ocidental fazem o apelo na síntese nacional recentemente publicada sobre as consultas sinodais que foram realizadas nas suas 15 dioceses católicas, noticia o La Croix (notícia apenas disponível para assinantes).

Eles dizem que é necessário questionar o significado da sinodalidade numa Igreja afligida pelo etnocentrismo, tribalismo, racismo, questões de género e casamento e clericalismo. “Como é que a Igreja reage concretamente diante de tais flagelos que correm o risco de fazer da sinodalidade uma utopia ou uma ilusão?”, questionam os participantes nos momentos de escuta sinodal conduzidos no país, ou “como podemos lançar um processo sinodal se ‘a questão do género’, que preocupa o mundo, não é resolvida pela Igreja e uma mulher seja ouvida por todos?” foram outras das questões levantadas nas sínteses.

O resumo das consultas foi apresentado nos dias 21 e 22 de julho, mas não fornece dados estatísticos sobre quantos ou qual percentagem dos católicos do país realmente participaram do processo sinodal, embora a equipa nacional para o sínodo sobre sinodalidade tenha afirmado que a participação foi significativa. “A nível das dioceses e no âmbito das consultas de base, movimentos, congregações religiosas, instituições e paróquias foram mobilizados para responder ao questionário contextualizado”, disse.

D. Bruno Essoh Yedoh de Bondoukou , bispo da diocese de Bondoukou, leu a síntese de 20 páginas da consulta durante a Missa de ação de graças concelebrada no dia 21 de julho com todos os membros da Conferência Episcopal da Costa do Marfim (CECCI), e voltou a fazê-lo no dia seguinte, em conferência de imprensa onde, falando em nome da equipa nacional de contactos, disse que o resumo “pretendia captar o mais possível os pontos de vista críticos e apreciativos de todas as respostas”.

Bruno Yedoh disse que, em todas as dioceses, “a corresponsabilidade pastoral, que implica uma participação indispensável dos leigos na missão da Igreja, foi um dos pontos fortemente debatido” durante as consultas.

A colaboração entre sacerdotes e leigos na vida da Igreja na Costa do Marfim é promovida principalmente por meio de estruturas de governo ao nível paroquial, como os conselhos pastorais e os conselhos financeiros. Estes são co-presididos pelo pároco e por um leigo, geralmente eleito pelos responsáveis ​​dos movimentos e associações da paróquia.

Mas o relatório apresentado observa que, na prática real, é o sacerdote que detém a autoridade máxima. “Alguns exercem o serviço na escuta de todos, com disponibilidade e humildade”, diz o texto, mas “por outro lado, outros não levam em conta esses quadros de colaboração com os leigos, agindo sozinhos e impondo suas decisões, a ponto de confinar os seus parceiros leigos aos papéis de figurantes ou executores”, aponta.

 

Comunidade Loyola: superiora geral “desterrada” em Portugal por autoritarismo e abusos espirituais

Os estragos do padre Rupnik (1)

Comunidade Loyola: superiora geral “desterrada” em Portugal por autoritarismo e abusos espirituais novidade

No momento em que se desenham movimentos eclesiásticos que aparentam querer limpar a imagem do padre e artista Marko Rupnik, o 7MARGENS mostra como a instituição religiosa feminina que ele ajudou a criar nasceu torta e nunca mais se endireitou. Dos abusos sexuais e de poder de um padre, passou-se para o autoritarismo e os abusos espirituais da superiora geral de mais de três décadas.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Com a complacência do Governo Modi

Violência contra cristãos bate recordes na Índia

Nos primeiros oito meses deste ano o United Christian Forum (UCF) documentou 525 incidentes violentos contra cristãos em 23 Estados da Índia, quando em todo o ano de 2022 o mesmo organismo havia registado 505 ocorrências. A maioria dos ataques (211) teve lugar no Uttar Pradesh. Perto de 520 cristãos foram detidos em todo o país ao abrigo das leis anti-conversão.

Um diálogo imaginário com Artur Bual

Exposição póstuma

Um diálogo imaginário com Artur Bual novidade

Está patente, até dia 8 de outubro, na Amadora, uma nova e aguardada exposição póstuma de Artur Bual. Intitulada Bual, a íntima partícula de um poeta, revela obras nunca expostas ou raramente vistas em público, num percurso pela vida de um dos expoentes da pintura gestualista e contemporânea. [Textos de Joaquim Franco e Adelino Ascenso]

O pão nosso de cada dia…

[Segunda leitura]

O pão nosso de cada dia… novidade

Durante o minuto que demorei a escrever esta frase, foram gastos 2.700 euros em raspadinhas. Durante os cinco minutos que demorará a leitura desta crónica, serão gastos no país 13.500 euros em raspadinhas. Durante todo o dia de hoje, nada mais nada menos do que quatro milhões de euros irão para a compra de raspadinhas. [A crónica de Joaquim Fidalgo]

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This