Igrejas cristãs contra plano de Israel para anexação de territórios da Cisjordânia

| 14 Mai 2020

Igrejas cristãs contra plano de Israel para anexação de territórios da Cisjordânia

| 14 Mai 20

Uma mulher em Fevereiro deste ano, na universidade palestiniana de Abu Dis, junto a Jerusalem, com o muro de separação construído por Israel. Foto © Albin Hillert/LWF/WCC-CMI 

 

O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e o Conselho de Igrejas do Oriente Médio (CIOM) uniram as suas vozes às dos líderes cristãos da Terra Santa, condenando veementemente a anexação unilateral de territórios da Cisjordânia por parte de Israel, e pedindo à União Europeia (UE) “uma posição firme e de princípios” contra o projeto anunciado pelo primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

A anexação “não trará justiça ou paz, mas apenas uma maior injustiça, expropriação, crescentes tensões, desestabilização regional e maior erosão do respeito pelo direito internacional”, escreveram os dois órgãos ecuménicos numa carta conjunta endereçada, esta segunda-feira, 11 de maio, aos ministros das Relações Externas da UE, avançou o Vatican News, portal de notícias do Vaticano.

Na opinião dos dois conselhos de Igrejas, o projeto de anexação representa “uma grave violação do direito internacional” e “um golpe devastador” para o processo de paz na região. “A UE não deve ser cúmplice, por inércia ou reação inadequada, desse resultado”, adverte a carta, publicada na página do Conselho Mundial.

No caso de as autoridades israelitas prosseguirem com a anexação, o CMI e o CIOM pedem a suspensão do Acordo de Associação entre a UE e Israel, o qual estabelece que as relações bilaterais devem basear-se no respeito dos direitos humanos e dos princípios democráticos, recordando as disposições do Tratado de Lisboa, da Carta das Nações Unidas e do direito internacional.

O Conselho de Patriarcas e Chefes das Igrejas da Terra Santa tinha já publicado uma declaração no passado dia 7 de maio, onde pedia a Israel “que se abstenha de tais movimentos unilaterais, que levariam à perda de qualquer esperança” no futuro do processo de paz.

Recorde-se que o projeto de “solução” do conflito israelo-palestinano apresentado pelos Estados Unidos a 28 de janeiro, definido pelo Presidente Donald Trump como o “acordo do século”, deu a Israel a possibilidade de estender a soberania aos colonatos dispersos na Cisjordânia, mas ao mesmo tempo pedia àquele estado que suspendesse a construção de novos colonatos nos territórios árabes durante quatro anos. O acordo foi aceite por Israel, mas tem sido alvo de fortes protestos por parte dos palestinianos e vários países e organizações internacionais.

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

Desfazendo três equívocos sobre Deus

Desfazendo três equívocos sobre Deus novidade

Existem três dificuldades ou equívocos religiosos sobre o carácter de Deus, e que revelam algum desconhecimento sobre Ele. Por isso convém reflectir no assunto. Esses três equívocos sobre os quais nos vamos debruçar de seguida são muito comuns, infelizmente. [Texto de José Brissos-Lino]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This