Terra Santa

Igrejas cristãs de Jerusalém perseguidas por radicais judeus

| 19 Abr 2022

A Abadia da Dormição, na Cidade Velha de Jerusalém. Foto © Eldadc1, CC BY-SA 3.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0>, via Wikimedia Commons.

A Abadia da Dormição, na Cidade Velha de Jerusalém. Foto © Eldadc1, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons.

 

As comunidades cristãs que ocupam vários edifícios do bairro cristão na Cidade Velha de Jerusalém têm-se queixado junto do Governo e do Presidente de Israel de restrições ao culto e de problemas graves com setores de judeus radicais.

Por altura da Páscoa, milhares de cristãos costumam frequentar as celebrações nesta parte da cidade. Porém, este ano, instruções transmitidas pelas forças de segurança limitaram esse número a 1000, dos quais apenas 500 seriam autorizados a entrar no bairro cristão.

Perante as restrições, que deixaram as igrejas cristãs descontentes, os patriarcas grego e arménio de Jerusalém e o custódio da Terra Santa, católico, decidiram esta segunda-feira, 18, enviar uma carta ao Presidente de Israel, Isaac Herzog, na qual consideram estas medidas “injustas e inexplicáveis, restringindo o direito dos peregrinos cristãos de praticar livremente o culto, num dia crucial do ano”.

“Este serviço sagrado, que tem vindo a ser realizado graças à cooperação entre os patriarcados das igrejas e que dura há séculos, nunca suscitou problemas de segurança”, acrescenta a missiva. Adverte também que, devido às fortes restrições a que a pandemia da covid 19 obrigou, “é vital que todas as comunidades sejam autorizadas a praticar o seu culto livremente e sem restrições, de uma vez por todas”, acedendo ao bairro cristão e ao Santo Sepulcro. Só desse modo se poderá evitar que a comunidade internacional considere estar-se perante uma operação que faz da minoria cristã “um alvo injusto”.

Um problema paralelo a este surgiu nos últimos dias, suscitado pelo Presidente russo junto do Governo israelita. Putin exige ao primeiro-ministro Naftali Benet que a propriedade da catedral da Santíssima Trindade, situada na Cidade Velha de Jerusalém, seja transferida para a Igreja Ortodoxa Russa.

A promessa nesse sentido teria sido feita pelo antecessor Benjamin Netanyahu, em 2020, e refere-se a um edifício que é, desde 1890, o templo principal do Patriarcado de Moscovo, cuja titularidade estava registada em nome do “glorioso reino russo”. Como se tratava de uma denominação extinta, a mudança transitou para o âmbito da justiça e aí encalhou.

Os problemas das Igrejas cristãs em Jerusalém parecem ser mais complexos e condicionados por grupos radicais judeus, nomeadamente colonos, que estão a estabelecer-se no bairro cristão e a “ameaçar um frágil equilíbrio religioso na antiga Cidade Santa”, segundo reportagem da agência France Presse da última semana. Nesse trabalho, a agência cita o patriarca ortodoxo grego Teófilo III que se refere a “um grande problema” que ameaça as comunidades cristãs na Cidade Velha.

O patriarca acusou colonos judeus da linha dura, nomeadamente o grupo nacionalista de colonos Ateret Cohanim, conhecidos pelo empenhamento em tomar o controlo de propriedades de famílias palestinas e de terras de propriedade cristã, invocando o objetivo de “redimir a Terra Santa dos profanos”. O processo seria o de adquirir imóveis por meio de empresas de fachada e depois ir transferindo colonos judeus para lá.

 

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima novidade

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita novidade

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Cardeal Zen condenado a pagar multa por ter defendido manifestantes

Hong Kong

Cardeal Zen condenado a pagar multa por ter defendido manifestantes novidade

O cardeal Joseph Zen, bispo emérito de Hong Kong, foi condenado esta sexta-feira, 25 de novembro, a pagar uma multa de cerca de 500 euros pela sua colaboração com o 612 Humanitarian Relief Fund, que apoiou manifestantes pró-democracia a pagar multas e fianças em 2019. Sobre ele, recai ainda a acusação de conluio com forças estrangeiras, pelo que poderá vir a enfrentar penas mais graves.

Freiras italianas gritam “basta!” à violência contra a mulher

Dia Internacional contra a Violência de Género

Freiras italianas gritam “basta!” à violência contra a mulher novidade

“Sentimos o dever de manifestar abertamente a solidariedade com as mulheres que sofrem todo o tipo de violência.” Quem o diz são as irmãs salesianas Filhas de Maria Auxiliadora, da Província de São João Bosco, em Roma, que pela primeira vez decidiram associar-se pessoalmente a uma campanha de prevenção, a propósito do Dia Internacional Contra a Violência de Género, assinalado esta sexta-feira, 25 de novembro.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This