“Amor e cuidado”

Igrejas europeias apelam à vacinação

| 15 Dez 2021

covid 19 vacinas foto c No-Mad

Vacinas contra a covid-19. Foto © No-Mad.

 

Os bispos católicos europeus e a organização que representa as igrejas ortodoxas, protestantes e anglicanas emitiram um comunicado conjunto apelando à vacinação contra a covid-19 como forma de combater a propagação da nova variante da pandemia e também de manifestar o cuidado para com os mais frágeis. 

“A vacinação oferece protecção não apenas para nós, mas também para os nossos irmãos e irmãs, particularmente os mais frágeis entre nós. É deste modo um acto de amor e de cuidado e também de responsabilidade civil e de justiça social”, diz o texto, assinado pelo reverendo Christian Krieger, presidente da Conferência das Igrejas Europeias (CEC) e pelo cardeal Jean-Claude Hollerich, presidente da Comissão da Conferência dos Bispos da União Europeia (Comece). 

“No tempo do Advento, manifestamos o amor de Cristo demonstrando responsabilidade e cuidado por todos. À medida que a pandemia da covid-19 avança para o seu segundo ano, as Igrejas europeias encorajam todos a observar as necessárias medidas sanitárias e a serem vacinados”, diz o texto, disponível na página do Conselho Português de Igrejas Cristãs. 

O documento recorda que todos os relatórios mostram que a covid está em crescendo na Europa, enquanto os profissionais de saúde “estão exaustos e os hospitais enfrentam o risco de iminente colapso”. Por outro lado, os diferentes níveis de vacinação na Europa dão “indicações claras das razões para esta dramática situação”: em vários países, a vacinação está abaixo do necessário para conter a propagação do vírus, apesar de as vacinas estarem disponíveis”. 

Por outro lado, os peritos indicam que a vacina é o meio “mais eficaz para conter a pandemia e salvar vidas humanas”. Mesmo se há quem hesite em ser vacinado – pelo contexto clínico, pelo receio, pelas dúvidas sobre os efeitos –, os dois responsáveis encorajam essas pessoas a “clarificar” receios e a “tomarem uma decisão fundamentada” depois de ouvir médicos, cientistas e autoridades de saúde. 

O pastor Krieger e o cardeal Hollerich lamentam a propagação de falsa informação neste campo e as queixas “infundadas” contra as vacinas, “causadas pelo medo e polarização num tempo em que as nossas sociedades necessitam de coesão, unidade e solidariedade”. Por isso, apelam “fortemente” a todos os que têm responsabilidades sociais, como políticos e jornalistas ou responsáveis de igrejas, no sentido de “conterem qualquer tentativa de desinformação”. 

O comunicado, publicado inicialmente na página da CEC, conclui com uma referência ao tempo de Natal que se vive: “Deus enviou o seu Filho à terra para expressar o seu Amor e cuidado por nós. Estas Boas Novas permanecem muito relevantes nos tempos de hoje. Demos um testemunho vivo destas Boas Novas, demonstremos responsabilidade e cuidado.”

 

Uma exposição que é “um grito de alerta e de revolta” contra a perseguição religiosa

No Museu Diocesano de Santarém

Uma exposição que é “um grito de alerta e de revolta” contra a perseguição religiosa novidade

Poderá haver quem fique chocado com algumas das peças e instalações que integram a exposição “LIBERDADE GARANTIDA” (escrito assim mesmo, em letras garrafais), que é inaugurada este sábado, 20 de abril, no Museu Diocesano de Santarém. Mas talvez isso até seja positivo, diz o autor, Miguel Cardoso. Porque esta exposição “é uma chamada de atenção, um grito de alerta e de revolta que gostaria que se tornasse num agitar de consciências para a duríssima realidade da perseguição religiosa”, explica. Aqueles que se sentirem preparados, ou simplesmente curiosos, podem visitá-la até ao final do ano.

“Tenho envelhecido de acordo com aquilo que sempre gostaria de ter feito”

“Tenho envelhecido de acordo com aquilo que sempre gostaria de ter feito” novidade

O 7MARGENS irá publicar durante as próximas semanas os depoimentos de idosos recolhidos por José Pires, psicólogo e sócio fundador da Cooperativa de Solidariedade Social “Os Amigos de Sempre”. Este primeiro texto inclui uma pequena introdução de contextualização do autor aos textos que se seguirão, bem como o primeiro de 25 depoimentos. De notar que tanto o nome das pessoas como as fotografias que os ilustram são da inteira responsabilidade do 7MARGENS.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Dois meses e meio depois, está na hora de reconstruir

Mosteiro Trapista de Palaçoulo

Dois meses e meio depois, está na hora de reconstruir novidade

As obras de requalificação do Mosteiro Trapista de Palaçoulo já se iniciaram. Numa primeira fase, procedeu-se à retirada de escombros, pela mesma empresa que realizou a construção do mosteiro. Desde o fim do período pascal estão em andamento os processos de reconstrução, tendo estes começado por “destelhar a casa”. Em breve, esperam as irmãs, será possível “voltar a oferecer a hospedaria aos hóspedes”. 

A família nos dias de hoje e não no passado

A família nos dias de hoje e não no passado novidade

Quando dúvidas e confusões surgem no horizonte, importa deixar claro que a Constituição Pastoral Gaudium et Spes, aprovada pelo Concílio Vaticano II nos apresenta uma noção de família, que recusa uma ideia passadista e fechada, rígida e uniforme. Eis por que razão devemos reler os ensinamentos conciliares, de acordo com a atual perspetiva sinodal proposta pelo Papa Francisco, baseada na liberdade e na responsabilidade.

Convento das Capuchas: “Cem anos depois, aqui estamos… a ver as maravilhas multiplicar-se”

Comprado pela Madre Luiza Andaluz, em 1924

Convento das Capuchas: “Cem anos depois, aqui estamos… a ver as maravilhas multiplicar-se” novidade

Um século volvido sobre a compra do edifício do Convento das Capuchas, em Santarém, por Luiza Andaluz (fundadora da congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima) para ali acolher cerca de cem raparigas que haviam sofrido a pneumónica de 1918 ou que por causa dela tinham ficado órfãs… o que mudou? O 7MARGENS foi descobrir.

A Poesia na Rua

A Poesia na Rua novidade

“É preciso ajudar. Ajudar quem gostaria que a poesia estivesse na rua, que a alegria fosse um privilégio de todos. Ajudá-los contra os que lubrificam a máquina do cinismo e do ódio.” – A reflexão de Eduardo Jorge Madureira, na rubrica À Margem desta semana.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This