Igrejas evangélicas negam ligação ao partido Chega

| 22 Mai 20

Na sequência de uma reportagem publicada na revista Visão desta quinta-feira, onde se refere que o partido Chega, liderado por André Ventura, é apoiado por “lóbis evangélicos”, a Aliança Evangélica Portuguesa (AEP) divulgou um comunicado, garantindo que “as igrejas evangélicas não promovem partidos políticos, nem angariam militantes para movimentos desta natureza”.

O órgão representativo da comunidade evangélica em Portugal reagiu no próprio dia ao conteúdo da reportagem na edição escrita (e respetiva notícia publicada online), lamentando que a Visão “não se tenha dignado ouvir a Aliança Evangélica Portuguesa” e assegurando que “não existe correspondência factual” entre o que está escrito na investigação e a realidade.

Segundo a AEP, a reportagem “menciona afirmações de supostos pastores e líderes evangélicos, sem existir a preocupação de verificar se se trata de igrejas ou de líderes que representem uma determinada confissão religiosa, sendo suscetível de induzir em erro os leitores”, misturando, “de forma descontextualizada, outras realidades”.

Entre as igrejas referidas na reportagem como sendo apoiantes do partido Chega, incluem-se a Igreja Maná e a Igreja Universal do Reino de Deus, nenhuma delas filiada na Aliança Evangélica Portuguesa.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This