[Mãos à obra]

Inserir pessoas com doença mental no mercado de trabalho

| 18 Jun 2022

Castelo de Vide, Judaísmo, Sefarditas

Castelo de Vide (na foto) será um dos três concelhos abrangidos pelo projeto. Foto © António Marujo.

 

Mais de cem pessoas que sofrem de doença mental e residem nos concelhos de Portalegre, Marvão e Castelo de Vide têm agora oportunidade de entrar no mercado de trabalho. O Lar de São Salvador da Aramenha, em Marvão, tem um projeto considerado único que já foi apresentado em Portalegre, para arranjar emprego a pessoas que sofrem de perturbações mentais.

O lar de São Salvador da Aramenha já dispõe, desde há algum tempo, de equipas de apoio domiciliário a essa população e foi precisamente desta iniciativa que nasceu agora a ideia de criar um gabinete inclusivo comunitário para acompanhar as pessoas com doença mental naqueles concelhos alentejanos, esclarece Maria do Céu Frutuoso, responsável do lar. A ideia é “capacitar empresas e entidades para fortalecer respostas, através de programas reabilitativos e psicossociais, dirigidos às pessoas com problemas de saúde mental, procurando também oportunidades para as integrar no mercado de trabalho.”

Em conjunto com vários parceiros, entre os quais o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), essas pessoas vão ser incluídas em programas de formação. O projeto vai também envolver outras entidades empregadoras, empresas, bem como o Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) para capacitar trabalhadores e empregadores a oferecer oportunidades de trabalho.

Os primeiros passos para concretizar este projeto já foram dados em Castelo de Vide, pretendendo-se agora avançar pelos concelhos de Marvão e Portalegre, onde se criarão gabinetes com o apoio dos municípios. A ideia é “inserir estas pessoas no mercado de trabalho, reter os postos de trabalho e intervir nas situações em que estão em risco de perder o emprego, para continuar a haver resiliência”, sublinha Maria do Céu Frutuoso.

Este projeto já conta com o apoio da Direção Geral de Saúde.

 

A humildade do arcebispo

A humildade do arcebispo novidade

Chegou a estender a mão e a cumprimentar, olhos nos olhos, todos os presentes, um a um. É o líder da Igreja Anglicana, mas aqui apresentou-se com um ligeiro “Hi! I’m Justin” — “Olá, sou o Justin!” — deixando cair títulos e questões hierárquicas. [O texto de Margarida Rocha e Melo]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This