Infosys premeia historiadora

Investigação sobre Goa e catolicismo oriental distingue Ângela Barreto Xavier na Índia

| 3 Dez 2021

Ângela Xavier prémio infosys foto direitos reservados

Ângela Barreto Xavier nasceu em Goa, licenciou-se em História na Universidade Nova de Lisboa e doutorou-se no Instituto Universitário Europeu de Florença, em 2003. Foto: Direitos reservados.

 

O Prémio Infosys 2021 em Humanidades, da prestigiada fundação indiana Infosys Science Foundation, foi atribuído à historiadora portuguesa Ângela Barreto Xavier “pela sua profunda pesquisa e sofisticada análise da conversão e violência no Império Português na Índia, especialmente em Goa”. O júri destaca a contribuição significativa da galardoada para a “história social e cultural do colonialismo português”, concretizando uma voz “importante e original” no que à história colonial e imperial diz respeito.

Na decisão, o júri diz que os trabalhos de Ângela Xavier “abriram novos caminhos na história social, política e cultural da conversão ao cristianismo na Índia portuguesa”. Lê-se na acta: “Baseando-se em quadros da sociologia histórica, [Ângela Xavier] considera as respostas de diferentes grupos goeses ao poder secular e eclesiástico português, através de uma leitura atenta das fontes e do exame de uma variedade de situações concretas, tanto urbanas como rurais.”

Ângela Barreto Xavier nasceu em Goa, licenciou-se em História na Universidade Nova de Lisboa e doutorou-se no Instituto Universitário Europeu de Florença, em 2003. Tem feito a sua carreira sobretudo no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, mas leccionando também como professora convidada em Paris, EUA e Goa.

A obra da historiadora faz uma análise “profunda e complexa da conversão e violência no império português na Índia, especialmente em Goa, nos séculos XVI e XVII”, nota ainda o júri, que elogia a lufada de ar fresco do estudo do colonialismo português na Índia feita pela autora.

O presidente do júri, Akeel Bilgrami, destacou ainda, na mensagem pessoal, a sua admiração pela contribuição da historiadora para a “compreensão da história do imperialismo português na Índia e dos seus efeitos mais vastos na religião, sociedade e cultura” e o seu contributo para o estudo do orientalismo católico

Ao receber o prémio, anunciado numa cerimónia em vídeo na quinta-feira, dia 2, Ângela Xavier afirmou que sempre esteve interessada “em compreender os mecanismos por detrás da exclusão e a sua relação com a construção da identidade”. Tendo em conta as muitas variáveis em presença, as questões imperiais e religiosas estão entre os temas mais relevantes da sua análise.

No livro A Invenção de Goa – Poder Imperial e Conversões Culturais nos Séculos XVI e XVII (ed. Imprensa de Ciências Sociais), Ângela Xavier analisa os processos de conversão, questionando: “Será que, para muitos dos grupos socialmente mais desfavorecidos, a conversão ao Cristianismo constituiu uma recusa (consciente?) do modelo social dominante, da própria ordem local e da economia de posições que ela lhes atribuía?” O livro conclui analisando “as formas de contemporização, de conformidade, de adesão, pragmáticas ou não, à dominação imperial portuguesa, e o modo como estes comportamentos potenciaram, a médio e a longo prazo, conversões culturais profundas”.

A Infosys Science Foundation, uma prestigiada fundação indiana, pretende promover o conhecimento e a ciência de excelência na investigação em diversas áreas. As áreas distinguidas anualmente com os prémios Infosys são Engenharia e Informática, Humanidades, Ciências da Vida, Ciências Matemáticas, Ciências Físicas e Ciências Sociais.

 

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel novidade

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

Nos 77 anos do ataque atómico

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

“Apelo a todos os membros” do Parlamento japonês, “bem como aos membros dos conselhos municipais e provinciais” para que se “encontrem com os hibakusha (sobreviventes da bomba atómica), ouçam como eles sofreram, aprendam a verdade sobre o bombardeio atómico e transmitam o que aprenderem ao mundo”, escreve, numa carta lida nas cerimónias dos 77 anos do ataque atómico sobre Nagasaki, por um dos seus sobreviventes, Takashi Miyata.

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Resgatadas 29 pessoas

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Dezenas de pessoas estão desaparecidas depois de um barco ter naufragado no mar Egeu, na quarta-feira, ao largo da ilha grega de Cárpatos, divulgou a ACNUR. A embarcação afundou-se ao amanhecer, depois de da costa sul da vizinha Turquia, em direção a Itália. “Uma grande operação de busca e resgate está em curso.”

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This