IPSS e Misericórdias pedem criação de espaços alternativos para idosos infetados

| 15 Abr 20

A Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) defendem que os idosos infetados com covid-19, mesmo que não necessitem de internamento hospitalar, não podem regressar às instituições onde vivem, pelo risco de infeção que representam para os outros utentes. O Governo deve, por isso, providenciar uma solução a nível nacional para que estes doentes possam ser acolhidos em espaços alternativos.

Num comunicado conjunto divulgado esta segunda-feira, dia 13, os organismos alertam para a falta de espaços de isolamento, equipamentos de proteção individual e profissionais de saúde “adequadamente treinados para prevenir o contágio” nestas instituições.

“Temos assistido repetidamente nos últimos dias a situações dramáticas de doentes residentes em lar a quem não são assegurados os cuidados básicos de saúde”, advertem, apelando à intervenção do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, para promover a articulação com o Ministério da Saúde.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This