Ir. Aloïs, de Taizé: “Sozinhos não podemos acreditar, só juntos podemos ouvir o inacreditável”

| 6 Abr 21

pôr do sol em Taizé

Em Taizé, o irmão Aloïs apelou à “comunhão” entre todos para superar as dificuldades. Foto © Taizé

 

Numa altura em que o “mundo atravessa a provação de tanto sofrimento e quando a bela esperança humana é tantas vezes abalada” é “ainda mais importante rezar juntos, sentirmo-nos em comunhão, próximos uns dos outros, em amizade”, afirmou o irmão Aloïs, de Taizé, na sua meditação para a Páscoa 2021. “Sozinhos não podemos acreditar, é inimaginável. Mas juntos podemos ouvir o inacreditável, que Maria [de Magdala] e depois os apóstolos anunciaram no dia de Páscoa: Cristo está vivo!”

Falando na manhã de Domingo de Páscoa, na eucaristia celebrada na Igreja da Reconciliação, em Taizé, o prior da comunidade ecuménica que reúne monges de origem católica e de diferentes proveniências protestantes, referiu-se ao facto de, nesta segunda-feira, a França ter entrado de novo em confinamento obrigatório. Por essa razão, aliás, a comunidade teve de encerrar de novo o acolhimento a jovens, uma das suas marcas identitárias.

O papel das mulheres – de uma mulher – no primeiro anúncio da ressurreição, de acordo com o relato dos evangelhos, foi também destacado na reflexão do irmão Aloïs: os discípulos fecharam-se com medo, mas “foi uma mulher a primeira a experimentar” a passagem da “angústia à esperança” na manhã de Páscoa, que “parece estar para além de toda a razão humana”: “Maria de Magdala, que motivou os discípulos de Jesus a vivê-la… e também a nós, no seguimento deles.”

“A pandemia e as suas consequências, que continuam a ser tão fortemente sentidas, pedem-nos que perseveremos na confiança”, acrescentou ainda o irmão Aloïs, como se pode ler também no texto publicado na página da comunidade na internet. “Estou a pensar em particular naqueles que estão doentes, nas famílias que perderam um ente querido, nos prestadores de cuidados corajosos. Estou também a pensar em todos aqueles que estão a passar por um momento difícil de solidão.”

Taizé junta religiosos cristãos de diferentes confissões. Foto © Taizé

 

Durante a celebração de Páscoa, um novo membro da comunidade, o irmão Jérémie, fez o seu compromisso de vida.

A pandemia e as novas medidas de confinamento em vigor em França desde este dia 5 de Abril já provocaram consequências na vida da comunidade, do ponto de vista do sustento dos irmãos: estes vivem normalmente do seu trabalho e desde o início da crise pandémica tiveram de diversificar actividades, começando a produzir bolachas, chás e outros produtos artesanais, ou fazendo, vários deles, trabalhos agrícolas e outros na região. Os produtos para venda estão disponíveis na loja virtual de Taizé.

O vídeo da celebração pode ser visto a seguir; a meditação do irmão Aloïs (em francês e inglês) está a partir dos 42’; o compromisso do irmão Jérémie está a partir dos 55’55”:

 

Investigação sobre Goa e catolicismo oriental distingue Ângela Xavier na Índia

Infosys premeia historiadora

Investigação sobre Goa e catolicismo oriental distingue Ângela Xavier na Índia novidade

O Prémio Infosys 2021 em Humanidades, da prestigiada fundação indiana Infosys Science Foundation, foi atribuído à historiadora portuguesa Ângela Barreto Xavier “pela sua profunda pesquisa e sofisticada análise da conversão e violência no Império Português na Índia, especialmente em Goa”. O júri destaca a contribuição significativa da galardoada para a “história social e cultural do colonialismo português”, concretizando uma voz “importante e original” no que à história colonial e imperial diz respeito.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Novo arcebispo de Braga quer “portas abertas” para todos novidade

O novo arcebispo de Braga, D. José Cordeiro, saudou a sua nova diocese manifestando a vontade de construir uma “Igreja em saída” missionária e “uma Igreja sinodal samaritana de portas abertas para todos”. O até agora bispo de Bragança-Miranda propõe as atitudes de escuta, conversão, confiança, comunhão, coragem criativa e oração como “caminhos sempre a percorrer no processo sinodal para uma Igreja de hoje”.

Dois terços dos jovens adultos católicos não vão à missa

EUA

Dois terços dos jovens adultos católicos não vão à missa novidade

Mais de um terço (36%) dos jovens adultos católicos americanos nunca frequentava a missa e quase um terço (31%) raramente o fazia, revela um inquérito realizado pelo centro de estudos CARA e divulgado esta quinta-feira, 2 de dezembro. Os dados recolhidos dizem respeito às práticas deste grupo anteriores à pandemia.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This