Iraque: Crianças yazidi que sobreviveram ao Estado Islâmico precisam de ajuda urgente, alerta Amnistia Internacional

| 31 Jul 2020

Iraque: Crianças yazidi que sobreviveram ao Estado Islâmico precisam de ajuda urgente, alerta Amnistia Internacional

| 31 Jul 20

criança yazidi iraque Foto: © Adam Ferguson/Amnistia Internacional

Muitas das crianças que sobreviveram ao cativeiro regressaram a falar a língua árabe, o que dificulta a sua reintegração. Foto: © Adam Ferguson/Amnistia Internacional.

 

Perto de duas mil crianças yazidi, que regressaram às suas famílias após terem sido mantidas em cativeiro pelo Daesh (o autoproclamado Estado Islâmico-EI), entre 2014 e 2017, no Iraque, enfrentam agora inúmeros traumas físicos e psicológicos e precisam de apoio urgente das autoridades do país e da comunidade internacional, alerta a Amnistia Internacional (AI).

Num relatório divulgado esta quinta-feira, 30 de julho, baseado em dezenas de entrevistas realizadas a crianças e famílias pertencentes à minoria religiosa de origem curda presente no norte do Iraque, a AI denuncia que, depois de terem sido “sequestradas, torturadas, forçadas a lutar, violadas e sujeitas a numerosos outros abusos de direitos humanos”, estas 1.992 crianças que sobreviveram e regressaram às suas comunidades enfrentam agora graves problemas de saúde e de reintegração.

“Muitas crianças sobreviventes voltaram do cativeiro do Daesh com lesões incapacitantes a longo prazo, doenças ou deficiências físicas”, informa o relatório, intitulado Legado de Terror: A Situação das Crianças Yazidi Sobreviventes do EI. Inúmeros rapazes, que na maioria das vezes foram forçados ao treino militar e a lutar, têm membros amputados. Já as raparigas yazidi, em grande parte sujeitas a violência sexual, apresentam frequentemente problemas como fístulas traumáticas, cicatrizes e dificuldades em ter filhos.

A nível psicológico, a Amnistia identificou inúmeras situações de stress pós-traumático, ansiedade e depressão. Agressões, pesadelos, isolamento social e mudanças de humor severas são alguns dos comportamentos que, segundo o relatório, mais se evidenciam. Muitas destas crianças e jovens assumiram ter pensado em cometer suicídio ou chegaram mesmo a tentar fazê-lo mais que uma vez.

No caso das mulheres e raparigas que tiveram filhos na sequência de violações, “muitas revelaram ter sido pressionadas, coagidas ou mesmo enganadas para deixarem os seus filhos”, dado que o Conselho Espiritual Supremo Yazidi e a atual legislação iraquiana determinam que qualquer filho de pai desconhecido ou muçulmano deve ser registado como muçulmano.

“Há também casos de crianças que voltaram a falar árabe, em vez de curdo”, o que também está a dificultar que se reintegrem totalmente no seio das famílias e da comunidade”, sublinha a AI.

“Sobreviventes de crimes horríveis, estas crianças enfrentam um legado de terror. A saúde física e mental deve ser uma prioridade, nos próximos anos, para se reintegrarem totalmente nas famílias e nas comunidades”, afirma Matt Wells, diretor-adjunto do departamento de resposta a crises da Amnistia Internacional.

A AI alerta também para o facto de, desde fevereiro, a missão de reintegrar estas crianças ter-se tornado ainda mais difícil: devido à pandemia, muitas organizações não governamentais e instituições de caridade que operavam no terreno foram forçadas a interromper os seus projetos e muitos funcionários internacionais regressaram aos seus países de origem. “O apoio psicossocial e outros serviços de saúde tornaram-se ainda mais difíceis em termos de acesso, as escolas fecharam e o Governo não está a tratar das burocracias necessárias para a obtenção de documentos civis”, denuncia a organização.

“Apesar de o pesadelo ter passado, persistem as dificuldades para estas crianças”, sublinha Matt Wells. “Depois de suportarem os horrores da guerra numa idade extremamente jovem, agora precisam de apoio urgente das autoridades nacionais do Iraque e da comunidade internacional para construírem o seu futuro.

 

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

Vencedores do Nobel pedem ajuda a líderes religiosos para alcançar a paz

Em preparação dos Jogos Olímpicos

Vencedores do Nobel pedem ajuda a líderes religiosos para alcançar a paz

Perto de 30 laureados com o Nobel enviaram uma carta ao Papa Francisco, ao Patriarca Ortodoxo Bartolomeu, ao Dalai Lama e a vários representantes do islão e do judaísmo, pedindo-lhes que façam um apelo global a todos os governos para, no espírito das Olimpíadas, se alcançar um cessar-fogo mundial.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Bairro é embaixador dos ODS

No Zambujal, vai nascer um mural para defender a gestão sustentável da água

O Bairro do Zambujal, localizado na freguesia de Alfragide (Amadora), está cada vez mais perto de se tornar “o primeiro bairro embaixador dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”. Com cinco dos seus edifícios a servir já de tela para uma série de murais que ilustram esses mesmos objetivos, prepara-se agora para receber a próxima pintura, dedicada à defesa do “ODS 6 – Água Potável e Saneamento”. Os trabalhos iniciais foram revelados nesta sexta-feira, 22 de março, data em que se assinala o Dia Mundial da Água.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Sessões de partilha apoiam cuidadores informais em Lisboa

Até março de 2025

Sessões de partilha apoiam cuidadores informais em Lisboa

O Espaço ComVida, um projeto-piloto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa em São Domingos de Benfica, e o Instituto São João de Deus uniram-se para dinamizar sessões de partilha destinadas a cuidadores informais. A iniciativa decorre até março do próximo ano, depois do primeiro encontro ter sido realizado no passado dia 8 de julho.

É notícia

Dia dos Mártires

Igreja na Índia recorda massacre de 2008

Treze anos depois da onda de violência que varreu o Estado de Orissa, na Índia, provocando mais de 100 mortos, a justiça é ainda uma miragem, denuncia a Fundação AIS. Desde 2016 que é celebrado pela Igreja em Orissa o dia dos Mártires. 

Fundação AIS

Padre haitiano morto a tiro

Um padre que dirigia um orfanato no Haiti foi morto a tiro, Andrè Sylvestre, de 70 anos de idade, foi assassinado na tarde de segunda-feira, 6 de setembro, durante uma tentativa de assalto, revelou a Fundação AIS. 

IndieLisboa

Cinema: prémio Árvore da Vida atribuído a “Sopro”

O filme “Sopro”, realizado por Pocas Pascoal, uma cineasta angolana de 58 anos, foi distinguido na segunda-feira com o prémio Árvore da Vida, atribuído pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), no final da 18.ª edição do festival de cinema independente IndieLisboa. 

Entre margens

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica?

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica? novidade

Na música, um dos ministérios mais estruturantes da liturgia católica, este paradigma mantém-se, embora com nuances particulares: salvo algumas (felizmente, cada vez mais) exceções, o ministério do canto, domingo a domingo, é, em Portugal, sustentado maioritariamente por mulheres e a regência dos coros é, preferencialmente, entregue a homens

Um casal em 2024

Um casal em 2024

“A D. Georgina e o Senhor Amaro comentam o trânsito dos jovens, ele irritado: isto é gente de fora, do karaté ou lá o que é, daquelas coisas chinesas de dar porrada. Ela, rancorosa: pois, deixam-nos vir para cá para aprenderem a fazer-nos mal, deviam era mandá-los a todos para a terra dele”. Um texto de Nuno Caiado, baseado num episódio real testemunhado em Lisboa.

Co-construir a esperança na humanidade

Co-construir a esperança na humanidade

Se os participantes da VIII Conferência Internacional de Sociodrama que aconteceu em Budapeste, entre os dias 26 e 30 de junho, podem ser considerados como uma amostra da humanidade, penso que este encontro nos trouxe esperança para o nosso futuro coletivo nesta Casa Comum de que somos parte.

Cultura e artes

Missivas a São Bento da Porta Aberta e súplicas a outros entes sagrados

Espaço religioso das promessas

Missivas a São Bento da Porta Aberta e súplicas a outros entes sagrados

Não é menos significativo é que nesta pluralidade religiosa também se inclui o que se passa no seio da própria religião católica, como acontece em Portugal, numa coexistência própria entre religião oficial e religião popular. Esta última continua a manifestar-se com bastante intensidade. Como se verifica em São Bento da Porta Aberta.

“A ‘espantosa realidade’ da História” celebra a obra de José Mattoso

Mostra na Biblioteca Nacional

“A ‘espantosa realidade’ da História” celebra a obra de José Mattoso

“Medievalista consagrado, existe um antes e um depois a partir da sua obra sobre a formação do reino português, sobre a História Social, Política, Cultural e Religiosa do Portugal da Idade Média”, diz a Biblioteca Nacional ao divulgar a mostra A ‘espantosa realidade’ da História que dedica ao historiador José Mattoso, assinalando um ano da sua morte.

Uma “oportunidade única” para descobrir os “tesouros” da Real Irmandade de Mafra

Exposição com entrada gratuita

Uma “oportunidade única” para descobrir os “tesouros” da Real Irmandade de Mafra

O que têm em comum a camisa que o rei Luís XV de França usou na sua sagração em Paris em 1722, a cruz com quase cinco metros que D. João V mandou vir de Roma em 1740 para a Procissão da Penitência da Ordem Terceira de São Francisco, e a coroa que a imagem de Nossa Senhora da Soledade “ganhou” aquando da sua coroação pontifícia, em setembro passado? Mais do que possa parecer.

Sete Partidas

Trabalho nunca será fácil

Trabalho nunca será fácil

Esta semana, enquanto despia a farda, para regressar a casa depois do dia de trabalho, subitamente assaltou-me uma ideia “a minha vida profissional nunca vai ficar fácil”. Incomodou-me o pensamento. Felizmente ninguém se cruzou comigo, saí e pude caminhar à sombra, até ao próximo “a fazer” do dia. As palavras, primeiro de sabor azedo, foram fazendo o caminho comigo. Dispersas e intrigantes. [Texto de Inês Patrício, Berlim]

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica?

Onde estão as mulheres na música litúrgica católica? novidade

Na música, um dos ministérios mais estruturantes da liturgia católica, este paradigma mantém-se, embora com nuances particulares: salvo algumas (felizmente, cada vez mais) exceções, o ministério do canto, domingo a domingo, é, em Portugal, sustentado maioritariamente por mulheres e a regência dos coros é, preferencialmente, entregue a homens

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This