Iraque: Mais 200 famílias cristãs regressam às casas de onde fugiram em 2014

| 13 Nov 20

cristaos iraque Foto ACN

Duas crianças cristãs, durante a “cerimónia das oliveiras” para 404 refugiados cujas casas foram reconstruídas em 2017, na planície de Nínive (Iraque). Muitas famílias continuam ainda por realojar. Foto: © AIS

 

Seis anos depois de terem sido obrigadas a fugir devido à perseguição por parte das milícias do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh), cerca de 200 famílias cristãs estão de volta aos seus lares na cidade de Mosul e em diversas localidades da Planície de Nínive, no Iraque. O regresso deste grupo de deslocados, que se encontrava refugiado na região autónoma do Curdistão iraquiano, foi noticiado esta quinta-feira, 12, pela Agência Fides.

A informação terá sido confirmada por Najim al Jubouri, governador da província de Nínive, segundo o qual pelo menos 90 famílias já regressaram às suas casas na Cidade Velha e no lado este de Mossul, e as restantes 110 regressarão nas próximas semanas, tendo sido asseguradas as condições de segurança e habitabilidade necessárias.

Estas famílias encontravam-se deslocadas desde o verão de 2014, altura em que Mossul e grande parte da província de Nínive ficaram sob o controlo das milícias terroristas. Logo em setembro de 2017, poucas semanas depois da libertação definitiva de Mossul do regime imposto pelo Estado Islâmico, as autoridades locais anunciaram o regresso de cerca de 1.400 famílias cristãs.

Mas um estudo do Movimento Democrático Assírio, citado pelo Middle East Monitor, revela que foram quase 120 mil os cristãos forçados a fugir. No passado domingo, o ministro iraquiano das Migrações anunciou que os campos de refugiados nas províncias de Kirkuk, Salah Al-Din e Anbar seriam encerrados no início de 2021 como parte do plano de realojar as pessoas deslocadas.

O Observatório Euro-Mediterrâneo de Direitos Humanos já alertou, no entanto, as autoridades iraquianas de que a decisão de encerrar campos de refugiados “poderá deixar centenas de milhares de pessoas deslocadas sem abrigo, visto que as suas casas foram destruídas durante os conflitos com o Daesh” e em algumas dessas áreas ainda nem sequer foi reposto o fornecimento de água e eletricidade.

 

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos

Papa regressou da Eslováquia

Vacinas, negacionistas, aborto e uniões homossexuais – e a missão de “proximidade” dos bispos novidade

O aborto é homicídio, mas os bispos têm de ser próximos de quem defende a sua legalização; os Estados devem apoiar as uniões de pessoas do mesmo sexo, mas a Igreja continua a considerar o sacramento do matrimónio apenas entre um homem e uma mulher; e as vacinas têm uma “história de amizade” com a humanidade, não se entendem por isso os negacionismos. Palavras do Papa a bordo do avião que o levou da Eslováquia de regresso a Roma.

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa

Enredado em movimentos tradicionalistas

Ator Mel Gibson cada vez mais contra a Igreja e o Papa novidade

São visíveis na Igreja Católica dos Estados Unidos da América, em especial nos últimos anos, movimentações de setores conservadores e tradicionalistas que, embora não assumindo o cisma, se comportam objetivamente como cismáticos. São numerosas as organizações que contam com o apoio de figuras de projeção mediática e que ostensivamente denigrem o Papa e uma parte dos bispos do seu país. Um nome aparece cada vez mais como elemento comum e de suporte: Carlo Maria Viganò, o arcebispo que foi núncio em Washington e que exigiu, em 2018, a demissão do Papa Francisco. Mais recentemente, outra figura de grande projeção pública que vem surgindo nestas movimentações é a do ator e realizador Mel Gibson.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Das trincheiras da Grande Guerra pode ter nascido este concerto sobre o mundo

Estreia na Igreja de São Tomás de Aquino

Das trincheiras da Grande Guerra pode ter nascido este concerto sobre o mundo novidade

“Os primeiros esboços deste texto terão surgido nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial”, explica o compositor Alfredo Teixeira, autor da Missa sobre o Mundo, obra para órgão e voz recitante que terá a sua estreia mundial absoluta no próximo sábado, 18 de Setembro, às 16h30 (entrada livre, sujeita ao número de lugares existentes). A obra, construída a partir de excertos do texto homónimo de Pierre Teilhard de Chardin (1881-1955), padre jesuíta e paleontólogo, abrirá a temporada de concertos na Igreja Paroquial de São Tomás de Aquino, em Lisboa.

42 anos do SNS: memória e homenagem espirituais

42 anos do SNS: memória e homenagem espirituais novidade

Hoje, 15 de setembro, celebro e comemoro e agradeço e relembro António Arnaut, o criador em 1979 do Serviço Nacional de Saúde, o SNS da sobrevida de tantos de nós, portugueses. Depois de ter passado um dia de quase dez horas como doente de oncologia em imenso espaço de hospital, entre variadas mãos, procedimentos, cuidados, não posso deixar vazio na data.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This