Iraque: Parlamento reconhece Natal como feriado nacional

| 19 Dez 20

cristaos iraque Foto ACN

Duas crianças cristãs, durante a “cerimónia das oliveiras” para 404 refugiados cujas casas foram reconstruídas em 2017, em Qaraqosh. Agora, poderão celebrar o Natal como feriado. Foto: © AIS

 

O Parlamento iraquiano aprovou por unanimidade o reconhecimento do Natal como feriado nacional já a partir deste ano, na sequência de uma proposta feita pelo patriarca da Igreja Caldeia, Louis Raphael Sako, durante o seu último encontro com o presidente Barham Salih, anunciou a agência Fides na passada quinta-feira, 17 de dezembro.

O governo do Iraque já havia declarado o Natal como feriado em 2008, mas nos anos seguintes essa disposição foi renovada apenas na região semi-autónoma de Kirkuk.  No ano passado, o próprio cardeal Louis Sako sugeriu que o Natal fosse celebrado de forma sóbria, sem momentos de convívio público, como sinal de proximidade com as famílias das centenas de mortos e feridos registados durante os protestos contra o regime iraquiano que tinham abalado o país nos meses anteriores, e também com receio de possíveis ataques.

Ao saber da decisão, tomada a menos de três meses da viagem apostólica do Papa ao país, o patriarca caldeu divulgou uma mensagem de agradecimento a Barham Salih, ao presidente do Parlamento, Muhammad al Halbousi, e a todos os deputados “pelo voto favorável ao bem dos seus irmãos cristãos”.

 

Situações de “trabalho escravo” de crianças

Confederação Nacional

Situações de “trabalho escravo” de crianças novidade

Continuam a ser numerosas e diversificadas as situações de trabalho escravo de crianças no mundo e o problema não é apenas dos países mais pobres. A mensagem foi sublinhada esta quarta-feira numa videoconferência promovida pela CNASTI – Confederação Nacional de Ação sobre Trabalho Infantil, com apoio da representação em Lisboa da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Seca deixa um milhão à fome em Madagáscar

Alterações climáticas

Seca deixa um milhão à fome em Madagáscar novidade

A crise climática em Madagáscar provocou uma seca devastadora no sul do país, deixando um milhão de pessoas à fome. Segundo a Amnistia Internacional, no relatório “It will be too late to help us once we are dead” (“Quando estivermos mortos, será tarde demais para nos ajudarem”), 91% das pessoas vivem abaixo do limiar da pobreza.

há uma voz que bebo

[D, de Daniel]

há uma voz que bebo novidade

Viajo para uma voz que escorre como um lado aberto, uma boca como uma abertura de lança, quer dizer, lugar directo ao coração, degrau onde ajoelhamos por ter chegado à nascente. Sou de um sítio em que a água era de colher: “Vai colher água à fraga”, foi um dos mandamentos aprendidos na infância. E eu fazia como vira fazer: a fraga era uma pedra grande mas humilde diante da qual o corpo se movia à oração.

Isto não é um acidente!

Isto não é um acidente! novidade

Em matéria de abuso sexual de menores no meio católico, a primeira premissa de todas deve ser que esta situação não é pontual nem acidental, mas uma forma de estar. Infelizmente. Mas este cancro tem que ser extirpado.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This