Contra o preconceito

Jesuítas lançam campanha para promover empregabilidade de migrantes

| 16 Out 2023

Campanha JRS Portugal empregabilidade migrantes

Um dos cartazes da mais recente campanha do JRS Portugal.

 

“Há muitas pessoas refugiadas e imigrantes que apenas procuram um trabalho digno, mas tudo o que encontram são vínculos laborais precários sem contrato”, lamenta o JRS – Serviço Jesuíta aos Refugiados em Portugal. Por isso, a instituição acaba de lançar uma campanha de sensibilização para a contratação destas pessoas. Sob o mote “Algumas desculpas escondem um preconceito”, a iniciativa pretende “desconstruir os mitos mais comuns associados à contratação de pessoas imigrantes e refugiadas”.

“É verdade que existem alguns desafios e contratempos na contratação de pessoas imigrantes ou refugiadas, particularmente em situações de ilegalidade. Mas vamos ser honestos. Algumas das razões dadas quando um empregador recusa a ideia de os contratar têm base em preconceitos”, afirma o JRS Portugal no comunicado de apresentação da campanha, cujas imagens incluem mensagens como “O teu currículo é perfeito, mas agora não é o momento certo não é reconhecido cá.”, ou “Tens o perfil ideal para nós, mas não conheces este mercado vestes-te de forma diferente.”.

Através desta campanha, o JRS Portugal pretende apelar à consciência das entidades empregadoras e demonstrar que as oportunidades de trabalho dignas e respeitadoras dos direitos humanos podem fazer diferença, não só na vida dos trabalhadores imigrantes e refugiados, mas também na sociedade portuguesa como um todo: “Uma oportunidade de emprego digno representa o início de uma nova fase na vida de muitas pessoas imigrantes e refugiadas. Permite, ainda, alavancar uma série de dimensões do processo de integração, como o acesso a habitação em Portugal, o apoio à família no país de origem, entre outras”, refere André Costa Jorge, diretor-geral do JRS Portugal.

“Mas contratar pessoas imigrantes ou refugiadas não é um gesto de caridade ou boa ação, e é precisamente isso que queremos transmitir com esta campanha. É uma situação em que todas as partes ganham, ou win-win-win: beneficiam o empregador, a pessoa estrangeira contratada mas, também, os portugueses”, acrescenta ainda o responsável.

A organização disponibiliza no seu site uma área dedicada aos empregadores que desejem “contratar recursos humanos para as suas empresas/habitações particulares”, oferecendo-se para selecionar candidatos adequados às necessidades dos mesmos entre os seus utentes migrantes e acompanhar todo o processo de empregabilidade, nomeadamente através de “formação dos candidatos à medida das necessidades da empresa”.

Em 2022, o JRS Portugal conseguiu angariar 770 ofertas de emprego digno para as pessoas imigrantes e refugiadas que acolhe e acompanha diariamente.

 

Diocese de Braga propõe criação de ministério para o acolhimento e escuta

Sínodo sobre a sinodalidade

Diocese de Braga propõe criação de ministério para o acolhimento e escuta novidade

Apontar para a criação de novos ministérios na Igreja Católica e repensar os já existentes, apostando na formação de leigos para esse fim e tornar os conselhos pastorais efetivos nas comunidades cristãs, com funções consultivas, mas também “executivas” são alguns dos caminhos propostos pela Arquidiocese de Braga, no âmbito da consulta sinodal tendo em vista a segunda sessão do Sínodo sobre a Sinodalidade, que ocorrerá em outubro, no Vaticano. [Texto de Manuel Pinto]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Todos são responsáveis pela missão da Igreja

Relatório síntese do Patriarcado para o Sínodo

Todos são responsáveis pela missão da Igreja novidade

A necessidade de todos serem responsáveis pela missão da Igreja; o lugar central da família; a atenção às periferias humanas; a importância de ouvir as vozes dos que se sentem excluídos; o reforço dos Conselhos Pastorais Paroquiais; e a promoção da participação das mulheres nos ministérios, incluindo a reflexão sobre “a matéria pouco consensual” da sua ordenação – são alguns dos temas referidos no documento elaborado pela comissão sinodal do Patriarcado de Lisboa no âmbito da preparação da segunda assembleia do Sínodo sobre a sinodalidade.

Cada vez mais crianças morrem na Ucrânia por causa da guerra

“Aumento acentuado”

Cada vez mais crianças morrem na Ucrânia por causa da guerra novidade

O número de crianças mortas em território ucraniano devido à guerra com a Rússia está a subir exponencialmente. Em março, pelo menos 57 crianças morreram e, já durante os primeiros dez dias de abril, 23 perderam a vida. “A UNICEF está profundamente preocupada com o aumento acentuado do número de crianças mortas na Ucrânia, uma vez que muitas áreas continuam a ser atingidas por ataques intensos, 780 dias desde a escalada da guerra”, afirma Munir Mammadzade, representante na Ucrânia desta organização das Nações Unidas de apoio humanitário à infância.

Papa cria comissão independente para escutar as vítimas de abusos

Dominicanas do Espírito Santo, em França

Papa cria comissão independente para escutar as vítimas de abusos novidade

O Papa Francisco acaba de ordenar uma nova visita apostólica ao instituto francês das Dominicanas do Espírito Santo, a fim de aprofundar denúncias de abusos que ali se terão verificado nos primeiros anos da década passada. Esta decisão, anunciada por um comunicado emitido pelo próprio instituto nesta segunda-feira ao fim do dia, vem adensar ainda mais o contexto de várias polémicas vindas a lume nos últimos tempos, na sequência da expulsão de uma religiosa, decidida em 2021 pelo cardeal Marc Ouellet, então prefeito da Congregação para os Bispos

Interfaces relacionais insubstituíveis

Interfaces relacionais insubstituíveis novidade

Numa típica sala de aula do século XVIII, repleta de jovens alunos mergulhados em cálculos e murmúrios, um desafio fora lançado pelo professor J.G. Büttner: somar todos os números de 1 a 100. A esperança de Büttner era a de ter um momento de paz ao propor aquela aborrecida e morosa tarefa. Enquanto rabiscos e contas se multiplicavam em folhas de papel, um dos rapazes, sentado discretamente ao fundo, observava os números com um olhar penetrante. [Texto de Miguel Panão]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This