Acusados já morreram

Jesuítas receberam duas queixas de abusos relativas às suas instituições

| 23 Fev 2022

telefone, escuta, jesuítas

Houve outras queixas, relativas a casos fora da Companhia de Jesus, que foram encaminhadas para as entidades competentes. Foto © Quino Al/Unsplash. 

 

O Serviço de Escuta da Província Portuguesa da Companhia de Jesus, que completou três meses de existência na sexta-feira, dia 18, recebeu, até ao momento, duas denúncias de abusos de menores, envolvendo dois jesuítas já falecidos, anunciou o gabinete de informação dos jesuítas. “As situações relatadas remontam aos anos 50 e 80 e referem-se a toques em zonas íntimas. As vítimas pretendiam dar a conhecer a situação vivida, tendo, por isso, sido acolhidas e escutadas e o seu sofrimento reconhecido”, diz um comunicado publicado no PontoSJ, o portal dos jesuítas em Portugal.

“A Companhia de Jesus lamenta profundamente o impacto e o sofrimento que estas situações causaram às vítimas e reza para que possam agora encontrar paz e serenidade”, diz o texto.

A mesma informação acrescenta que houve ainda outras vítimas que contactaram o serviço, relatando abusos ocorridos fora do âmbito da Companhia de Jesus. Os testemunhos foram acolhidos e orientados para serem recebidos pelas entidades competentes.

Este serviço dos jesuítas foi criado em novembro, no âmbito do Sistema de Proteção e Cuidado de Menores e Adultos Vulneráveis e destina-se a acolher, escutar e apoiar vítimas de abusos sexuais, independentemente da data em que tenham ocorrido.

No PontoSJ, a coordenadora do Serviço de Escuta, Sofia Marques, agradece os contactos e a confiança que as vítimas colocaram naquela estrutura, acrescentando que a Companhia de Jesus continua empenhada em gerar um clima de confiança e segurança para que as vítimas de algum abuso possam contar a sua história e receber o acompanhamento que desejem e necessitem.

O Serviço de Escuta pretende “acompanhar e apoiar todos os que possam ter sido vítimas de abusos sexuais nas organizações ligadas aos jesuítas”, escutando e apoiando as vítimas de abusos sexuais, independentemente da data em que tenham ocorrido. A estrutura está disponível através do endereço escutar@jesuitas.pt e do telefone 217 543 085 (entre as 9h30 e as 18h).

A Conferência Episcopal Portuguesa criou também uma Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais Contra as Crianças na Igreja Católica, que pode ser contactada através do endereço geral@darvozaosilencio.org e do telefone 917 110 000. Neste caso, a comissão destina-se a recolher testemunhos de pessoas que tenham sido vítimas de abusos em Portugal.

Os jesuítas apelam a que quem tenha sido vítima de alguém ligado às suas organizações não deixe de contactar o Serviço de Escuta mesmo que já tenha dado o seu testemunho à Comissão Independente.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This