Encontro em Roma

JMJ foi “mais-valia para o surgir de grupos de jovens lusófonos”

| 31 Out 2023

JMJ-Missa de abertura Foto ©️Sebastiao Roxo : JMJ Lisboa 2023

Missa de abertura da JMJ Lisboa 2023. Portugal foi “exemplo de genuína hospitalidade, testemunho de voluntariado e excelente cooperação entre paróquias e municípios”. Foto ©️ Sebastiao Roxo/JMJ Lisboa 2023

 

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que decorreu no passado mês de agosto em Lisboa, “foi para as Comunidades da Diáspora Portuguesa uma ‘mais-valia’ para o surgir e consolidar de grupos de jovens lusófonos”. Esta é uma das conclusões do encontro que reuniu os missionários da diáspora da língua portuguesa entre os passados dias 23 e 27 de outubro, em Roma (Itália), para refletir sobre o tema a “diversidade de rostos da Igreja”.

O encontro, que contou com a participação da professora Teresa Messias, da Universidade Católica Portuguesa de Lisboa, do padre Fabio Baggio, subsecretário do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, do monsenhor Mário Rui de Oliveira, do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica e de Daniela Moretti, da Comunidade Sant’ Egídio de Roma, permitiu ainda concluir que a JMJ “apresentou Portugal como um exemplo de genuína hospitalidade, testemunho de voluntariado e excelente cooperação entre paróquias e municípios”.

A partir da reflexão suscitada pelas diversas conferências ao longo do encontro, os participantes verificaram que “as igrejas locais na Europa apresentam uma diversidade de modelos pastorais, consoante a particular situação eclesial, no acompanhamento espiritual e missionário dos migrantes e refugiados ao ponto de, em certos casos, se afastarem das Orientações Pastorais Comuns do Dicastério para o sector da Mobilidade Humana”, pode ler-se no comunicado enviado ao 7MARGENS.

Conscientes de que, “no diálogo intercultural e inter-religioso, as tensões e resistências fazem parte do caminho de construção de uma comunidade/paróquia que a todos quer incluir”, os missionários da diáspora da língua portuguesa reconheceram que “o processo de inculturação da fé exige conhecimento, escuta, discernimento e oração à luz da dinâmica pascal: paixão, morte e ressurreição”.

Em suma, referem na nota conclusiva, “a dimensão da Universalidade da Fé e da Igreja vivem-se na comunhão, participação e missão na igreja particular e sinodal onde os migrantes e refugiados, com o desejo de uma vida melhor, são sinais vivos de Novos Tempos e artífices providenciais de Nova Terra”.

 

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra

Carta nos dois anos da guerra na Ucrânia

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra novidade

No momento em que passam dois anos sobre a invasão russa e o início da guerra na Ucrânia, quatro académicos do Centro de Estudos Cristãos Ortodoxos da Universidade de Fordham, nos Estados Unidos da América, dirigiram esta semana uma contundente carta aberta aos líderes das igrejas cristãs mundiais, sobre o papel que as confissões religiosas têm tido no conflito.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Sessões gratuitas

Sol sem Fronteiras vai às escolas para ensinar literacia financeira

Estão de regresso as sessões de literacia financeira para crianças e jovens, promovidas pela Sol sem Fronteiras, ONGD ligada aos Missionários Espiritanos, em parceria com o Oney Bank. Destinadas a turmas a partir do 3º ano até ao secundário, as sessões podem ser presencias (em escolas na região da grande Lisboa e Vale do Tejo) e em modo online no resto do país.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This