Declaração a propósito do Dia da Terra

JMJ Lisboa quer ser a “mais sustentável de sempre”

| 23 Abr 2022

JMJ, ecologia, bicicleta.

A declaração diz que a JMJ de Lisboa quer deixar “um legado positivo duradouro”. Foto © JMJ Lisboa 2023

 

A organização da JMJ Lisboa 2023 divulgou uma carta-compromisso em que propõe que a iniciativa seja a “mais sustentável de sempre”. A carta, enviada ao 7MARGENS, afirma que a jornada de Lisboa pretende ter na sua génese “o conceito de ecologia integral” e ser “uma referência no compromisso com a sustentabilidade”, de modo a deixar “um legado positivo duradouro no território, na comunidade em geral, na equipa, nos parceiros, nos voluntários e nos peregrinos”.

Nesse sentido, diz o documento com o título “Juntos por uma Jornada Mundial da Juventude mais sustentável”, pretende-se basear a preparação da JMJ nos objetivos de sustentabilidade “abraçados mundialmente”, como os Objectivos Laudato Si’, inspirados na encíclica do Papa, e os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Agenda 2030 das Nações Unidas.

As encíclicas do Papa Francisco Laudato Si’ (dedicada ao ambiente e à casa comum) e Fratelli Tutti (sobre a fraternidade), bem como exortação apostólica Christus Vivit, dirigida aos jovens, serão os “pilares” da JMJ Lisboa 2023, acrescenta o texto, divulgado sexta-feira, 22, quando se assinalou o Dia da Terra.

É sob essa tripla inspiração e os apelos do Papa Francisco a viver “segundo os valores da fraternidade universal e do cuidado com a Casa Comum que a JMJ fará “da sustentabilidade um objectivo central da sua preparação e realização.

“Tudo está ligado. A preocupação com o Ambiente deve, assim, ser associada a um amor sincero pelos nossos semelhantes e a um compromisso inabalável de resolver os problemas da sociedade”, diz ainda o documento, citando a encíclica Laudato Si’.

Este compromisso será possível partindo da “sobriedade de cada um” em relação à utilização dos bens, assim como “a honestidade de fazer o melhor possível”.

A JMJ Lisboa 2023 decorre entre 1 e 6 de Agosto do próximo ano e incluirá a presença do Papa, pelo menos no fim de semana. Os primeiros dias serão preenchidos com actividades culturais, catequeses em diferentes cidades portuguesas e em diversas zonas de Lisboa. Nos dois últimos dias, com o Papa, a actividade centra-se no Parque Tejo.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This