Ecologia integral no centro do encontro

JMJ “mais sustentável de sempre” põe peregrinos a calcular pegada carbónica… e mitigá-la

| 7 Jul 2023

Jovens fazem recolha de plástico para mitigar pegada ambiental. Foto © miodrag ignjatovic

O calculador de pegada carbónica visa que os participantes na JMJ adquiram “uma maior consciencialização ambiental, levando a que cada peregrino adote práticas mais sustentáveis, não apenas na Jornada Mundial da Juventude, mas para o resto da sua vida”. Foto © Miodrag Ignjatovic.

 

A organização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2023 assumiu, desde o início um “compromisso com a sustentabilidade” e está a esforçar-se por cumpri-lo. Mas precisa da ajuda de todos os participantes. Por isso, um dos primeiros desafios que vai colocar-lhes é que utilizem o primeiro calculador de pegada carbónica da história das Jornadas, que estará incluído na app JMJ Lisboa 2023, e que todos deverão instalar no seu telemóvel ao chegar a Portugal.

O calculador, desenvolvido pela Novo Verde e a ERP Portugal, entidades gestoras de resíduos de embalagem e de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, funciona com base num questionário. Ao responder, e contemplando as atividades desde o ponto de partida para a JMJ até ao último dia da participação, “é possível a cada peregrino descobrir a sua pegada estimada até ao final do encontro”, informa a organização da JMJ Lisboa 2023 em comunicado, acrescentando que, com a ajuda de um manual associado, “o peregrino tem a possibilidade de aprender, melhorar e mitigar ações, por forma a reduzir o seu impacto”.

A funcionalidade inovadora, apresentada na tarde desta quinta-feira, 6 de julho, durante uma visita de representantes das duas entidades à sede da JMJ, visa que os participantes adquiram “uma maior consciencialização ambiental, levando a que cada peregrino adote práticas mais sustentáveis, não apenas na Jornada Mundial da Juventude, mas para o resto da sua vida”.

Até porque, como assinala Pedro Simões, diretor-geral da Novo Verde, o calculador desenvolvido não possui prazo de validade de utilização. “A jornada acaba daqui a um mês, mas o mitigar do impacto não precisa de acabar daqui a um mês”, destaca.

 

Congresso sobre o Cuidado da Criação antecede JMJ

Associado a este compromisso com a sustentabilidade, um dos três grandes temas escolhidos para os encontros preparatórios Rise Up – em que os jovens de todo o mundo foram desafiados a refletir sobre o que será debatido nos encontros com os bispos (anteriormente denominados de “catequeses”) que ocuparão as manhãs de dias 2, 3 e 4 de agosto – foi precisamente a “Ecologia Integral”.

E será também esse o tema central do IV Congresso sobre o Cuidado da Criação, que terá lugar em Lisboa, na Universidade Católica Portuguesa, no dia 31 de julho, véspera do início da Jornada. “O compromisso dos jovens pela ecologia integral. Estilos de vida para uma nova humanidade” é o mote para este “pré-evento” da JMJ Lisboa 2023, que se propõe analisar cinco áreas: economia, educação e vida familiar, recursos naturais, política e tecnologia.

O congresso, cujo programa completo pode ser consultado online, pretende gerar “uma reflexão sobre os estilos de vida já adotados, mas, sobretudo, sobre estilos novos ainda por adotar, para enfrentar preparados o desafio cultural, espiritual e educacional que espera as novas e as futuras gerações, com vista a uma nova humanidade que olhe para a Terra não como um recurso que se deve explorar, mas como um dom de Deus para a humanidade”, adianta o Vatican News.

Este encontro é organizado pela Fundação João Paulo II para a Juventude, instituição do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, em parceria com a Universidade Católica Portuguesa e surge na sequência dos três encontros anteriores, realizados durante a JMJ do Rio de Janeiro em 2013, de Cracóvia em 2016 e do Panamá em 2019.

Mas a JMJ Lisboa 2023 é a primeira a assumir a sustentabilidade como “objetivo central” da sua concretidzação. “Queremos que a JMJ Lisboa 2023 seja uma referência no compromisso com a sustentabilidade, e que deixe um legado positivo duradouro no território, na comunidade em geral, na equipa, nos parceiros, nos voluntários e nos peregrinos”, refere a organização na sua “carta-compromisso“.

 

Plantar árvores e aliviar aeroporto de Lisboa?

Segundo o último balanço da organização, foram já plantadas perto de 17 mil árvores para compensar a pegada amibeintal da JMJ Lisboa 2023. Foto © Yaruta.

 

Uma das iniciativas realizadas para compensar parte da pegada ambiental da JMJ é a plantação de árvores que tem estado a acontecer em todo o mundo, em parceria com a Global Tree Initiative: segundo o último balanço da organização, foram já plantadas perto de 17 mil, e o desafio continua aberto a todos.

A Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente (CPADA) – que agrupa 110 associações de defesa do ambiente – também tem uma sugestão: que “a pressão que o aeroporto de Lisboa vai sofrer por causa da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), na primeira semana de Agosto, seja aliviada utilizando o Aeroporto de Beja “como suporte da conectividade nacional”. É fundamental que se tomem medidas de curto prazo, para “vencer inércias e fazer adaptações que reduzam o impacto e actual sobrecarga do actual aeroporto”. defendem os ambientalistas.

Seja como for, “vamos juntos construir a Jornada Mundial da Juventude mais sustentável de sempre!”, assegura a organização da JMJ Lisboa 2023.

 

sobre as águas

sobre as águas novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo XII do Tempo Comum B. ⁠Hospital de Santa Marta⁠, Lisboa, 22 de Junho de 2024.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Na Casa de Oração Santa Rafaela Maria

Uma tarde para aprender a “estar neste mundo como num grande templo”

Estamos neste mundo, não há dúvida. Mas como nos relacionamos com ele? E qual o nosso papel nele? “Estou neste mundo como num grande templo”, disse Santa Rafaela Maria, fundadora das Escravas do Sagrado Coração de Jesus, em 1905. A frase continua a inspirar as religiosas da congregação e, neste ano em que assinalam o centenário da sua morte, “a mensagem não podia ser mais atual”, garante a irmã Irene Guia ao 7MARGENS. Por isso, foi escolhida para servir de mote a uma tarde de reflexão para a qual todos estão convidados. Será este sábado, às 15 horas, na Casa de Oração Santa Rafaela Maria, em Palmela, e as inscrições ainda estão abertas.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This