JMJ: os hashtags, a Imagem de Fátima e a agenda do Papa

| 22 Jan 19

Foto © Agência ECCLESIA

Começaram terça-feira dia 22 de janeiro as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), a maior reunião mundial de jovens católicos, que decorrem pela primeira vez num país da América Central, o Panamá.  A cerimónia de abertura da mesma, uma missa que já é habitual no programa, será celebrada no Campo Santa Maria la Antígua às 17h da tarde, hora do Panamá (22h em Portugal). 

Este ano, para que todos possam acompanhar o evento através das redes sociais, a organização criou hashtags específicos para o efeito: #Panama2019 #FranciscoEnPanama #JMJestáAqui / #WYDisHere.

Estes permitirão aos jovens e a todos os que queiram seguir notícias do acontecimento procurar no Facebook, Instagram ou Twitter e aceder mais facilmente ao conteúdo pretendido. Cada iniciativa especifica do programa terá ainda hashtags adicionais, como é caso da cerimónia de abertura (#CampoSantaMaria).

O encontro, iniciado em 1986 por iniciativa do Papa João Paulo II, decorre até domingo 27 de janeiro. Na primeira manhã, a partir das 6h30 da manhã e até às 23h30 (hora local) a imagem de Fátima peregrinará da Igreja de Lurdes até ao Parque Omar e depois até à Capela Maria Auxiliadora, para dar oportunidade a locais e participantes de se juntarem à procissão e adoração. Nos restantes dias a Imagem passará também pela prisão feminina e pelo hospital oncológico nacional.

À Agência Ecclesia o padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, manifestou a ideia de que esperava um “acolhimento caloroso” por parte da população, já que “a mensagem de Fátima tem capacidade de se incarnar em culturas diversas”. O reitor explicou ainda que a saída da imagem da Basílica de Nossa Senhora do Rosário é um acontecimento raro e que, pela importância que a mesma tem, viajou como um passageiro, na cabine do avião.

O primeiro contacto do Papa Francisco com os participantes da 34ª edição das JMJ vai decorrer na cerimónia de boas-vindas marcada para quinta-feira, 24, às 17h30 na hora local, no Campo Santa Maria la Antígua.

Francisco terá uma agenda preenchida, marcada por uma visita ao Centro Correcional de Menores Las Garças de Pacora e vários momentos de oração e celebração como é exemplo a Via Sacra, com os jovens (sexta-feira, às 17h30 – 22h30 em Lisboa).

As JMJ 2019 concluem no domingo, dia em que o Papa preside à Eucaristia de encerramento e anunciará Lisboa como a cidade que vai acolher a próxima edição, no verão de 2022. 

Breves

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Boas notícias

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas

Uma forma de "construir pontes"

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas

Amir tem cinco anos e, até agora, não podia correr nem brincar como a maioria das crianças da sua idade. Quando tinha apenas 24 meses, apanhou um vírus que resultou no bloqueio de uma das suas artérias coronárias, pelo que qualquer esforço físico passou a ser potencialmente fatal. Mas, muito em breve, este menino palestiniano poderá recuperar o tempo perdido. Com o apoio da organização humanitária israelita Save a Child’s Heart, Amir acaba de ser operado num hospital em Tel Aviv e está fora de perigo.

Outras margens

Cultura e artes

As canções que romperam o silêncio aflito

Música popular no Estado Novo

As canções que romperam o silêncio aflito

A canção apresenta-se neste livro como um objeto único para reconstituir a história cultural de uma era, como nos avisa a mensagem inscrita na contracapa. E essa época está bem definida no subtítulo deste Silêncio Aflito: “A sociedade portuguesa através da música popular (dos anos 40 aos anos 70)” — e assim está também situado o regime ditatorial do Estado Novo que oprimiu Portugal até 1974 e, à época, as então colónias.

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Pessoas

Sete Partidas

Desobediência

Desobediência

Recentemente fui desafiada a algo que não esperava. Provavelmente deveria começar a ensinar a minha filha a prevaricar, disse-me o meu pai. Foi a palavra escolhida. O sentido era o de rebeldia, de desobediência. Eu fiquei a pensar.

Visto e Ouvido

Agenda

[ai1ec view=”agenda”]

Ver todas as datas

Entre margens

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Sentido e valor da dualidade sexual

Sentido e valor da dualidade sexual

A sociedade edifica-se a partir da colaboração entre as dimensões masculina e feminina. Em primeiro lugar, na sua célula básica, a família. É esta que garante a renovação da sociedade através da geração de novas vidas e assegura o desenvolvimento harmonioso e complexo da educação das novas gerações. Por isso, nunca um ou mais pais pode substituir uma mãe e nunca uma ou mais mães podem substituir um pai.»

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This