Responsável também pelas obras no Mar da Palha

José Sá Fernandes preside a Grupo de acompanhamento da JMJ 2023

| 29 Jul 21

Secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Tiago Antunes, D. Américo Aguiar, presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, e José Sá Fernandes, ainda vereador da C.M.Lisboa. Foto © www.portugal.gov.pt.  

O Governo português anunciou a criação de um Grupo de Projeto com vista a acompanhar e agilizar todas as questões relacionadas com o “acompanhamento, em termos operacionais, dos trabalhos de preparação deste evento”. “Considerando a diversidade, a complexidade, a natureza e a dimensão das ações a desenvolver no âmbito da preparação da JMJ 2023, o Governo, através Resolução do Conselho de Ministros n.º 45/2021, criou um Grupo de Projeto para assegurar o acompanhamento”, pode ler-se no comunicado de imprensa a que o 7MARGENS teve acesso.

Este Grupo de Projeto não só garante o acompanhamento, mas “vai também acompanhar e preparar a requalificação urbanística e a valorização ambiental e ecológica da zona ribeirinha onde atualmente se localiza o Complexo Logístico da Bobadela, cujos terrenos começarão a ser desocupados para efeitos da realização da JMJ 2023”.

O responsável pelo Grupo de Projeto é José Sá Fernandes, vereador da Câmara de Lisboa com os pelouros do ambiente, clima e energia e estrutura verde, que assume funções a partir de 11 de outubro, e que realizou, esta quarta-feria, “uma visita de trabalho ao edifício onde previsivelmente vão estar sediadas as equipas e os voluntários que irão trabalhar na organização deste evento de escala global”, conclui o comunicado.

 

Direitos humanos, paz e casa comum: como se reescreve um Papa?

Ensaio

Direitos humanos, paz e casa comum: como se reescreve um Papa? novidade

As intervenções de um Papa na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGONU) aconteceram em cinco momentos da História e resultaram de um estatuto jurídico reconhecido internacionalmente ao líder máximo da Igreja Católica, incomparável quer relativamente aos líderes das outras religiões, quer aos das nações. Isto, por si só, é relevante a nível da política e das relações internacionais.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This