Momento histórico

Judeus turcos voltam a reunir-se na sinagoga de Ancara, 40 anos depois

| 10 Nov 2021

sinagoga de ankara, foto esther judah

Localizada em Ulus, um antigo bairro em ruínas da capital da Turquia, a sinagoga de Ancara remonta ao século XIX. Foto © Esther Judah.

 

Há praticamente quatro décadas que os judeus não se reuniam na histórica sinagoga de Ankara (Turquia). Esta semana, importantes membros da comunidade judaica turca, incluindo o rabino chefe Isaak Haleva, marcaram ali encontro para “reavivar memórias” e alertar para a importância da preservação das sinagogas no país, noticiou o Middle East Monitor (MEMO).

Assinalando que os judeus têm atualmente a possibilidade de manter a sua vida social e religiosa na Turquia, Haleva lembrou que as sinagogas são determinantes para a celebração de casamentos e festas religiosas.

Localizada em Ulus, um antigo bairro em ruínas da capital da Turquia, a sinagoga de Ancara remonta ao século XIX. O edifício histórico tem sido mantido fechado durante a maior parte do ano, devido ao cada vez menor número de judeus na cidade, refere o MEMO.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco”

Comissões Justiça e Paz da Europa

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco” novidade

“O direito da Ucrânia a defender-se é indiscutível e todos os fornecimentos de armas que permitam a sua defesa no quadro dos imperativos da proporcionalidade e do direito humanitário internacional são legítimos”, diz a plataforma católica Justiça e Paz Europa. No entanto, “os meios militares, por si só, não podem trazer uma paz duradoura”.

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas novidade

O ensino das sagradas escrituras na época de Jesus era uma prática comum entre o povo judeu. Desde cedo, os rabinos ensinavam às crianças a leitura e escrita da Torá e a memorizar grandes porções da mesma. Entre as várias técnicas de ensino, estava a utilização de parábolas.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This