Colômbia

Justiça força bispo a publicar lista de padres abusadores

| 29 Ago 2022

arcebispo de Medellín, RICARDO TOBÓN RESTREPO, na Colômbia, foto arquidiocese medellin

O arcebispo de Medellín, Ricardo Tobón Ristrepo, cumpriu a ordem do Tribunal vários dias depois do prazo. Foto © Arquidiocese de Medellín.

 

O arcebispo de Medellín, na Colômbia, foi forçado pelo Tribunal Constitucional do país a publicar uma lista nominal de padres da sua diocese que terão abusado de crianças, nas últimas décadas.

A medida, cumprida na última sexta-feira, 26, surge da petição apresentada por um conhecido jornalista colombiano que se dedica a investigar casos de abusos, e já havia sido decidida favoravelmente no início de junho deste ano. O Tribunal Constitucional ordenou à diocese que fizesse entrega dos arquivos secretos relacionados com denúncias de padres pedófilos.

A arquidiocese reagiu, posteriormente, apresentando alguns pontos sobre os quais pretendia esclarecimentos, o que o jornalista interpretou como manobra dilatória. A verdade é que, com os esclarecimentos, ao arcebispo Ricardo Tobón Restrepo foi dado um prazo de seis dias para cumprir a decisão, prazo que terminou em 19 de agosto.

Perante a situação de incumprimento, o jornalista interpôs um “incidente de desacato contra o arcebispo de Medellín” traduzido num “mandado de prisão” e na “apreensão dos autos onde são apresentadas as denúncias”.

Ricardo Tobón Restrepo acabou agora por aceitar publicar uma lista de 26 dos seus padres denunciados por abuso infantil, enviados pela Cúria ao Ministério Público nos últimos 30 anos.

No documento de cinco páginas, consta que, desses padres, oito estão suspensos como medida cautelar, dois estão sob investigação, dois encontram-se com o “ministério limitado“, seis foram expulsos da Igreja como pena máxima, após serem considerados culpados, e seis estão atualmente ativos como pastores ou vigários.

O arcebispo, que é apresentado pelo jornalista como encobridor, ripostou através de um vídeo, acusando-o, a ele e a “algumas pessoas”, de pretenderem sobretudo atacar e desprestigiar os bispos e os sacerdotes, “aproveitando-se de factos isolados”. O jornalista em questão é acusado de levar a cabo “uma campanha agressiva de desprestígio contra a Igreja na Colômbia”, no quadro da qual chega a dizer que se trata de “uma empresa de crime organizado transnacional, uma rede de pederastas internacional”, espalhada pelo planeta.

O arcebispo denuncia e repudia este tipo de ataques, que considera “injustos e inaceitáveis”, apelando a que ninguém se deixe confundir por quem se empenha em disfarçar de investigação objetiva e neutral uma campanha mal-intencionada contra a Igreja”, ao mesmo tempo que lamenta e condena de forma “decidida” os casos de padres abusadores, recusando que eles possam confundir-se com a atuação da Igreja no seu todo.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

O que têm dito os papas sobre a paz

Debate e oração no Rato, em Lisboa

O que têm dito os papas sobre a paz novidade

As mensagens dos Papas para o Dia Mundial da Paz é o tema da intervenção do padre Peter Stilwell neste sábado, 3 de Dezembro (Capela do Rato, em Lisboa, 19h), numa iniciativa integrada nas celebrações dos 50 anos da vigília de oração pela paz que teve lugar naquela capela, quando um grupo de católicos quis permanecer em oração durante 48 horas, em reflexão sobre a paz e contra a guerra colonial.

Ministro russo repudia declarações do Papa

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This