Leigos e mulheres à frente de paróquias: Igreja Católica alemã ensaia novos modelos de liderança

| 21 Jun 2020

Leigos e mulheres à frente de paróquias: Igreja Católica alemã ensaia novos modelos de liderança

| 21 Jun 20

Foto KFD Comunidade Catolica das Mulheres Alemanha

“… porque eu também sou Igreja”, diz o cartão que esta mulher alemã tem na mão. Foto © KFD/Mulheres Católicas da Alemanha

 

“Que formato necessita a Igreja para estar capaz de enfrentar o futuro? Como responder às mudanças profundas que acontecem na sociedade, na pastoral e nos campos profissionais dentro da Igreja, de forma a que a Igreja possa responder aos desafios do nosso tempo?”

Com esta introdução, a diocese de Münster, uma das maiores da Alemanha, acaba de apresentar um documento sobre o tema “Liderança e responsabilidade na Igreja”. Trata-se de uma brochura destinada a provocar debate e reflexão a todos os níveis diocesanos. Apresentam-se vários modelos de liderança para as comunidades paroquiais, como alternativas ao modelo tradicional de um padre/pároco por paróquia.

Segundo o documento, este modelo tradicional não é praticável, por falta de recursos humanos (padres), nem é desejável numa Igreja que, desde o Concílio Vaticano II, não se cansa de sublinhar a responsabilidade conjunta de todos os baptizados. E também não tem futuro numa sociedade que cada vez mais tem dificuldades em perceber, por exemplo, a exclusão das mulheres dos ministérios ordenados da Igreja ou a falta de participação democrática de todos os membros ao nível das decisões que a todos dizem respeito. “A liderança na Igreja tem muitos rostos”, podia bem ser o título deste documento publicado neste mês de Junho.

Entre esses rostos, entre os diferentes modelos possíveis, está a possibilidade de a responsabilidade pela paróquia do futuro ser entregue a um leigo, homem ou mulher, possibilidade aliás já prevista no cânon 517 §2 do Código de Direito Canónico.

Münster está a reflectir, mas outras dioceses já o concretizaram. Na diocese de Osnabrueck, vizinha de Münster, uma mulher orienta duas paróquias em Bad Iburg. Trata-se, neste caso concreto, de uma mulher, leiga, com estudos de teologia, a assumir a responsabilidade correspondente à do pároco.

Mulheres em cargos directivos nas dioceses alemãs é algo que vem de há algum tempo e deixaram de ser casos “exóticos” ou raros. Há várias cúrias diocesanas que incluem mulheres. A diocese de Limburgo tem uma mulher à frente da cúria da pastoral diocesana, responsável directa por vários secretariados. A diocese de Mainz tem também uma mulher no grupo de pessoas que todas as semanas se reúne com o bispo para, em conjunto, tomar decisões e ditar directivas para a diocese.  Segundo um estudo da Conferência Episcopal Alemã, já em 2018, cerca de 19% dos responsáveis diocesanos – ao mais alto nível, isto é, membros das cúrias diocesanas – eram mulheres (contra 42% de homens leigos e 39% de clérigos). De então para cá, a percentagem de mulheres deve ter aumentado. Já nos quadros intermédios (responsabilidade por secretariados ou institutos diocesanos) a percentagem de mulheres atingia, em 2018, os 23%.

Apesar disso, os movimentos de mulheres católicas alemãs não se dão por satisfeitos. Aquando da preparação do debate sinodal em curso, designado “Caminho Sinodal”, iniciado no Advento de 2019 e cuja primeira assembleia geral teve lugar em Frankfurt em finais de Janeiro passado, a questão do lugar das mulheres na Igreja foi admitida à última hora como “fórum” (quatro no conjunto), sob pressão dos grupos de mulheres e das suas delegadas ao Comité Central dos Católicos Alemães. Nada de relevante acontece na Igreja alemã – como seja uma assembleia plenária da Conferência Episcopal ou uma jornada nacional – que as mulheres não se mobilizem para manifestar o seu protesto contra a exclusão das mulheres dos ministérios ordenados.

O presidente-cessante da Conferência Episcopal, cardeal Reinhard Marx, levantou mesmo a possibilidade de colocar uma mulher como vigário-geral, num duo em conjunto com um padre. O cardeal Marx defende claramente a necessidade de colocar mais mulheres nas instâncias de liderança da Igreja. Num relatório apresentado ao Conselho dos Cardeais, o órgão de consulta do Papa do qual é membro, Marx afirmava que “mulheres na liderança da Igreja dão um um contributo decisivo para a superação de círculos clericalistas fechados”, círculos esses que seriam meio propício para fenómenos como a violência e os abusos sexuais sobre menores. “Para que acreditem em nós como Igreja, e como bispo desta Igreja, temos de tentar tudo para conseguir mais mulheres para tarefas e instâncias directivas”, afirmava Marx perante o Conselho de Cardeais.

O sucessor de Marx na presidência da Conferência Episcopal Alemã, Georg Bätzing, bispo de Limburgo, considerado um moderado dentro da conferência, segue, no entanto, a mesma linha reformadora. Interrogado sobre a questão das mulheres na Igreja, afirmava: “Como bispo tenho de verificar que a exclusão das mulheres dos ministérios ordenados é vista pela sociedade como uma injustiça e como uma postura nada adaptada ao nosso tempo”. No entanto, numa entrevista recente ao Kölner Stadtanzeige, Bätzing recuava, afirmando que exigir igualdade entre homens e mulheres dentro da Igreja não implica necessariamente defender a ordenação das mulheres. A crítica a esta posição conciliadora não se fez esperar. Um grupo de mulheres do movimento Maria 2.0, da diocese de Hildesheim, numa carta que lhe dirigiu, protestava que a igualdade não se pode fragmentar. Ou se trata de igualdade em tudo ou não é igualdade.

O tema do lugar das mulheres na Igreja é, na Alemanha, um tema de actualidade permanente. A vizinhança das Igrejas luteranas que, como é sabido, têm mulheres como pastores e como bispos, não deixará de ter a sua influência. Mas, mais que a experiência ecuménica, é decisiva a evolução no seio da própria Igreja Católica na Alemanha e na teologia. E aqui há que referir o peso das faculdades de teologia, com um número crescente de mulheres catedráticas, bem como a percentagem maioritária de mulheres entre os estudantes de teologia. Estudantes de teologia que, uma vez formadas, têm acesso não só a aulas de religião e moral, mas aos secretariados diocesanos e capelanias, bem como aos lugares de assistente pastoral.

Na sua maioria, são as mulheres que coordenam de facto as actividades e iniciativas diocesanas. E aí sim está a grande força das mulheres, o seu lobby, na Igreja da Alemanha. A questão da ordenação das mulheres é uma entre muitas outras. A presença de facto das mulheres na liderança das comunidades – mulheres-pároco – já é uma realidade, um “facto consumado”, um passo em frente neste tema da igualdade dentro da Igreja, tanto ou mais importante que a questão da ordenação.

 

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas

Dia Mundial do Refugiado

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas novidade

Dia 20 de Junho é dia de homenagearmos todos aqueles e aquelas que, através do mundo, se veem obrigados e obrigadas a fugirem do seu lar, a suspenderem a vida e a interromperem os seus sonhos no lugar que é o seu. Este é o dia de homenagearmos a força e a coragem desses homens e mulheres – tantos jovens e crianças, meu Deus! – que arriscam a vida na procura de um lugar que os acolha.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Bairro é embaixador dos ODS

No Zambujal, vai nascer um mural para defender a gestão sustentável da água

O Bairro do Zambujal, localizado na freguesia de Alfragide (Amadora), está cada vez mais perto de se tornar “o primeiro bairro embaixador dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”. Com cinco dos seus edifícios a servir já de tela para uma série de murais que ilustram esses mesmos objetivos, prepara-se agora para receber a próxima pintura, dedicada à defesa do “ODS 6 – Água Potável e Saneamento”. Os trabalhos iniciais foram revelados nesta sexta-feira, 22 de março, data em que se assinala o Dia Mundial da Água.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

Nasce o Conselho Inter-religioso para a Paz no Senegal e na África Ocidental

Para "antecipar conflitos"

Nasce o Conselho Inter-religioso para a Paz no Senegal e na África Ocidental novidade

Acaba de ser criado no Senegal um Conselho Inter-religioso para a Paz. Reunindo representantes do Islão, da Igreja Católica, da Igreja Protestante e das religiões tradicionais, a sua missão é antecipar os conflitos, agir em prol da coesão social e do cuidado da casa comum.

É notícia

Entre margens

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda novidade

Nos últimos tempos muito se tem falado e escrito sobre escravatura e racismo no nosso país. Temas que nos tocam e que fazem parte da nossa história os quais não podemos esconder. Não assumir esta dupla realidade, é esconder partes importantes da nossa identidade. Sim, praticámos a escravatura ao longo de muitos séculos, e continuamos a fechar os olhos a situações de exploração de pessoas imigradas, a lembrar tempos de servidão.[Texto de Florentino Beirão]

Deixar-se atrair pelo “piscar de olhos” literário

Deixar-se atrair pelo “piscar de olhos” literário novidade

Um mar de gente passeava pelo meio de uma imensidão de livros. Aqui e ali viam-se famílias, amigos ou pessoas em solitude. Mais do que uma Feira do Livro, aquele espaço tornava-se numa experiência de encontro com a intemporalidade das palavras e ideias que alimentam a nossa mente. [Texto de Miguel Panão]

A suite de Pontormo

A suite de Pontormo

Por aqueles dias já se adivinhava o calor estival. Saídos da estação de caminho-de-ferro, comprámos uns óculos escuros ao vendedor ambulante mais próximo, e lá fomos em direcção a Santa Maria del Fiore.  Depois, passado o campanário de Giotto, seguiríamos para sul, com passagem obrigatória pelo hotel. A tarde consumia-se, e queríamos chegar a Santa Felicitá antes do pôr-do-sol. [Texto de João Santos]

Cultura e artes

“Montesinho é um ambiente excecional para trabalhar a música”, diz Matilde Loureiro

Festival Música na Paisagem

“Montesinho é um ambiente excecional para trabalhar a música”, diz Matilde Loureiro

Debaixo de um enorme castanheiro, duas jovens músicas tocam uma peça de Mozart escutada por uma roda de oito dezenas de pessoas – é o Festival Música na Paisagem que desde 2019 acontece todos os anos na aldeia de Montesinho, no norte do conselho de Bragança. Em entrevista ao 7MONTES, Matilde Loureiro, diretora artística do festival, recorda como nasceu esta iniciativa que leva a música clássica aos lugares mais quotidianos da aldeia de Montesinho onde há “um ambiente excecional para trabalhar e aprender música”.

Beethoven no Música na Paisagem

Festival a 7 e 8 de setembro

Beethoven no Música na Paisagem

O Festival Música na Paisagem decorre este ano em Montesinho e na Espinhosela, nos dias 7 e 8 de setembro, e Beethoven é o compositor central de um programa que ainda está a ser ultimado, mas que o 7MONTES sabe incluirá ainda obras de outros compositores do período barroco e moderno.

Sete Partidas

Contra as trincheiras, o riso

Contra as trincheiras, o riso

Por estes dias, decorre em Berlim a iniciativa “Reflexos e Reflexões”, que Saba-Nur Cheema e Meron Mendel, dois autores e activistas do diálogo entre judeus e muçulmanos, começaram a programar já em janeiro de 2024, no âmbito dos Berliner Festspiele. O objectivo é proporcionar debates com espaço para nuances, como forma de resistir ao processo de entrincheiramento que o 7 de Outubro e a guerra de Gaza estão a provocar na sociedade alemã. [Texto de Helena Araújo]

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas

Dia Mundial do Refugiado

Por um mundo que acolha as pessoas refugiadas novidade

Dia 20 de Junho é dia de homenagearmos todos aqueles e aquelas que, através do mundo, se veem obrigados e obrigadas a fugirem do seu lar, a suspenderem a vida e a interromperem os seus sonhos no lugar que é o seu. Este é o dia de homenagearmos a força e a coragem desses homens e mulheres – tantos jovens e crianças, meu Deus! – que arriscam a vida na procura de um lugar que os acolha.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres

Uma religiosa e duas leigas

Reunião do Conselho dos Cardeais com o Papa voltou a contar com três mulheres novidade

Pela quarta vez consecutiva, o papel das mulheres na Igreja voltou a estar no centro dos trabalhos do Papa e do seu Conselho de Cardeais – conhecido como C9 -, que se reuniu no Vaticano nos últimos dois dias, 17 e 18 de junho. Tratou-se de uma reflexão não apenas sobre as mulheres, mas com as mulheres, dado que – tal como nas reuniões anteriores – estiveram presentes três elementos femininos naquele que habitualmente era um encontro reservado aos prelados.

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem

Reunida em Seminário Internacional

Liga Operária Católica apela aos trabalhadores que se sindicalizem novidade

“Precisamos que os sindicatos sejam mais fortes e tenham mais força nas negociações e apelamos a todos os os trabalhadores a unirem-se em volta das suas associações”. A afirmação é dos representantes da Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC), que estiveram reunidos no passado fim de semana no Museu da Central do Caldeirão, em Santarém, para o seu Seminário Internacional.

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda

Escravatura e racismo: faces da mesma moeda novidade

Nos últimos tempos muito se tem falado e escrito sobre escravatura e racismo no nosso país. Temas que nos tocam e que fazem parte da nossa história os quais não podemos esconder. Não assumir esta dupla realidade, é esconder partes importantes da nossa identidade. Sim, praticámos a escravatura ao longo de muitos séculos, e continuamos a fechar os olhos a situações de exploração de pessoas imigradas, a lembrar tempos de servidão.[Texto de Florentino Beirão]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This