Líbano: O que acontece quando explode a capital de uma nação que já estava à beira do colapso?

| 5 Ago 20

crianca libano, Foto_ Save the Children

“Vamos começar a ver crianças a morrer de fome antes do final do ano”, alerta o diretor da organização Save the Children no Líbano. Foto: Save the Children.

 

“Apocalíptico” será talvez o melhor adjetivo para definir o cenário que se vive atualmente em Beirute. Num país que já se encontrava devastado pela pior crise financeira de sempre desde a guerra civil de 1975-1990, exacerbada pela pandemia de coronavírus, as duas grandes explosões que arrasaram parte da capital libanesa esta terça-feira, 4 de agosto, foram um duro golpe. Os relatos que chegam das organizações católicas e de ajuda humanitária no terreno são unânimes: a crise é tão profunda, que neste momento estão a trabalhar “não para combater a pobreza, mas para salvar vidas”.

“Este acidente não poderia ter acontecido num pior momento. Atingiu as comunidades que já estavam a sofrer com o impacto da crise da covid-19 e da crise económica. O principal porto de Beirute, agora completamente danificado, é vital para boa parte dos alimentos, dos cereais e combustível que o Líbano importa, e as famílias em breve sofrerão com a escassez de necessidades básicas devido a esta tragédia”, alerta Jad Sakr, diretor da organização Save the Children no Líbano, citado pelo Vatican News.

Os escritórios da organização em Beirute, a cerca de cinco quilómetros do porto, foram seriamente danificados pela explosão, que abalou o prédio e destruiu as fachadas das lojas do bairro. Apesar disso, a Save the Children garante que a sua equipa de resposta rápida está pronta para apoiar o Governo nos próximos dias. “O número real de mortes ainda não é conhecido, mas o que sabemos é que num desastre como este o impacto nas crianças pode ser devastador: elas podem estar feridas, chocadas e separadas dos seus pais. Os nossos colaboradores estão prontos para trabalhar para proteger as crianças e apoiar os esforços do Governo”, assegurou Jad Sakr.

Mas as preocupações do responsável pela ONG no Líbano não são apenas a curto prazo. Com os hospitais em rutura, inflação galopante, uma desvalorização da moeda que, desde outubro de 2019, já vai em 80%, e níveis de desemprego a atingir os 55%, as explosões só vieram piorar ainda mais uma situação que já era dramática. “Esta crise atinge toda a gente de igual forma, sejam famílias libanesas, refugiados palestinianos ou sírios. Vamos começar a ver crianças a morrer de fome antes do final do ano”, alertou o mesmo responsável, em declarações ao Catholic News Service.

Um relatório recente das Nações Unidas já indicava que 50% dos cidadãos libaneses, juntamente com 63% dos palestinianos e 75% dos sírios a residir no país, revelavam ter dúvidas quanto à capacidade de acesso a comida suficiente no mês seguinte.

O grande problema neste momento, sublinha o responsável pela missão pontifícia Catholic Near East Welfare Association (CNEWA, Associação Católica de Ajuda do Próximo Oriente), Michel Constantin, é que o Líbano “não tem uma rede de segurança”.

A agência da Santa Sé tem estado a trabalhar ativamente com as Igrejas Católicas Orientais para identificar as necessidades das populações e fazer chegar ajuda humanitária. “As pessoas perderam os seus trabalhos, estão presas em casa sem emprego e estão a começar a passar fome. Nós estamos a distribuir itens de sobrevivência como medicação, alimentos e leite para as famílias. Não para combater a pobreza, mas para salvar vidas”, explica.

De acordo com Michel Constantin, a organização católica está a ter de escolher ajudar “os mais pobres dos pobres. Não os que estão em dificuldades, mas aqueles que não conseguem sobreviver sozinhos. Os nossos parceiros têm estado a identificar aqueles que têm extrema necessidade de bens essenciais”, pois é a única forma de salvar vidas, ao mesmo tempo que a instituição apela a apoios por parte de governos e outras instituições católicas e não-governamentais.

“Se dermos a escolher entre caixas com produtos de higiene ou comida, todas as famílias escolhem a comida… sempre”, afirma Emily Redfern, responsável pelo Fratelli Project, um dos parceiros da CNEWA no terreno.

Rita Rhayem, diretora da Cáritas Líbano, instituição que trabalha igualmente em parceria com a missão pontifícia no país, lamenta por seu lado que grande parte da comunidade internacional esteja em silêncio, enquanto as organizações não-governamentais lutam para conseguir ajudar os mais necessitados, entre libaneses e migrantes.

“Os últimos dois meses foram realmente desafiantes para a Cáritas Líbano. O número de beneficiários triplicou, enquanto que muitas das pessoas que costumavam apoiar-nos deixaram de o fazer”, afirmara Rita Rhayem durante a apresentação do relatório anual da Cáritas, em julho.

Esta quarta-feira, na sua primeira audiência geral depois das férias, o Papa Francisco lançou o apelo: “Rezemos pelas vítimas [das explosões] e suas famílias; rezemos pelo Líbano, para que, com o compromisso de todos os seus componentes sociais, políticos e religiosos, possa enfrentar este momento tão trágico e doloroso e, com a ajuda da comunidade internacional, superar a grave crise que está a atravessar”. O Líbano aguarda urgentemente resposta.

O vídeo do apelo feito pelo Papa durante a audiência desta quarta-feira, 5 de agosto pode ver-se a seguir:

 

Artigos relacionados

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

Cardeal Tolentino Mendonça preside ao 13 de maio em Fátima

O cardeal José Tolentino Mendonça irá presidir à peregrinação aniversária de maio no Santuário de Fátima. A informação foi avançada à revista Família Cristã esta sexta-feira, 9 de abril, pelo também cardeal António Marto, bispo de Leiria-Fátima.

Ler Saramago em conjunto num zoom de Lisboa a Roma

O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago, foi a obra escolhida para dar o mote ao encontro organizado por dois clubes de leitura, um de Roma, outro de Lisboa, que decorrerá via Zoom, dia 16 de abril, às 18h00. Uma segunda sessão, na qual participará Pilar del Rio, presidente da Fundação José Saramago, terá lugar a 25 de junho, também às 18h00. A inscrição é gratuita e está aberta a todos.

Monge condenado a dois anos de cadeia na Turquia por dar comida

O padre Sefer Bileçen, padre Aho no nome monástico, da Igreja Siríaca Ortodoxa, ofereceu comida a um grupo que bateu à porta do seu mosteiro. O Ministério Público turco disse que o grupo era do PKK e acusa-o de prestar auxílio a uma organização terrorista, como o Governo turco considera o PKK, que reivindica há décadas a independência do Curdistão.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Quebra de receitas da principal Igreja financiadora do Vaticano

A Igreja Católica alemã, que é líder no contributo que dá habitualmente para as despesas da Santa Sé (juntamente com a dos EUA), teve “um verdadeiro colapso” nas receitas, em 2020, segundo dados divulgados pelo jornal Rheinische Post, citados por Il Messaggero.

Francisco corta 10% nos salários dos cardeais

O Papa Francisco emitiu um decreto determinando um corte de 10% nos salários dos cardeais, bem como a redução de pagamento a outros religiosos que trabalham na Santa Sé, com efeitos a partir de 1 de abril, divulgou o Vaticano esta quarta-feira, 24 de março. A medida, que não afeta os funcionários com salários mais reduzidos, visa salvar os empregos no Vaticano, apesar da forte redução das receitas da Santa Sé, devido à pandemia de covid-19.

Espanha: Consignações do IRS entregam 300 milhões à Igreja Católica

Os contribuintes espanhóis entregaram 301,07 milhões de euros à Igreja Católica ao preencherem a seu favor a opção de doarem 0,7% do seu IRPF (equivalente espanhol ao IRS português). Este valor, relativo aos rendimentos de 2019, supera em 16,6 milhões o montante do ano anterior e constitui um novo máximo histórico.

Entre margens

Linguagem simbólico-religiosa: uma literacia para o humano novidade

Podemos compreender a linguagem dos símbolos e a linguagem religiosa como uma forma de comunicação que abre o ser humano a uma nova mundividência? Ou será tão estranha e distante que resulta num novo analfabetismo? Imaginemos o cenário seguinte: um casal percorre diariamente a avenida de uma grande cidade, repleta de anúncios e informação muito diversificada.

O jejum de Ramadão, um acto de obediência e adoração

Entre esta terça-feira, 13 de Abril, até 12 de Maio de 2021, os muçulmanos entrarão, in cha Allah, no mês do Ramadão (em árabe Ramadan), o nono mês do calendário lunar, durante o qual foi revelado o Alcorão, Livro Sagrado do Islão. O jejum do mês do Ramadão é o quarto pilar da prática no Islão, portanto, é uma obrigação religiosa.

Liberdade ou o valor das pequenas coisas

Vivemos dezenas de anos cheios de momentos especiais e de benefícios que insistimos em banalizar porque estavam ao nosso alcance, diria mesmo garantidos. Era pelo menos o que pensávamos. Atualmente parece que começamos a conhecer o valor das pequenas coisas e, se assim é, estamos a aprender uma grande lição.Muitas pessoas perdem tempo (gostava de poder dizer – perdiam) com detalhes que as coisificam.

Cultura e artes

A torrente musical de “Spem in Alium”, de Thomas Tallis

Uma “torrente musical verdadeiramente arrasadora”, de esperança pascal, diz o padre Arlindo Magalhães, comentador musical, padre da diocese do Porto e responsável da comunidade da Serra do Pilar (Gaia), a propósito da obra de Thomas Tallis Spem in Alium (algo que se pode traduzir como “esperança para lá de todas as ameaças”).

A Páscoa é sempre “pagã”

A Páscoa é sempre pagã / Porque nasce com a força da primavera / Entre as flores que nos cativam com promessas de frutos. / Porque cheira ao sol que brilha na chuva / E transforma a terra em páginas cultivadas / Donde nascem os grandes livros, os pensamentos / E as cidades que se firmam em pactos de paz.

50 Vozes para Daniel Faria

Daniel Faria o último grande poeta português do século XX, morreu há pouco mais de vinte anos. No sábado, dia 10, assinala-se o 50.º aniversário do seu nascimento. A Associação Casa Daniel assinala a efeméride com a iniciativa “50 Vozes para Daniel Faria” para evocar os poemas e a memória do poeta.

“Sequência da Páscoa: uma das mais belas histórias do mundo”

Sem poder ir ao cinema para poder falar de um novo filme que, entretanto, tivesse estreado, porque estamos em tempo de Páscoa e porque temos ainda viva diante dos olhos a profética peregrinação do Papa Francisco ao Iraque – que não pode ser esquecida, mas sempre lembrada e posta em prática – resolvi escrever (para mim, a primeira vez neste lugar) sobre um filme profundamente pascal e actual: Dos Homens e dos Deuses (é quase pecado não ter experimentado a comoção de vê-lo). E não fui o único a fazê-lo por estes dias.

Sete Partidas

É o vírus, estúpido!

No princípio da semana (22 março),  Angela Merkel reuniu com os ministros-presidentes dos estados alemães para tomar decisões sobre o que fazer perante o actual descontrolo da situação na Alemanha. As hesitações dos políticos e os truques que alguns responsáveis regionais arranjaram para iludir as regras combinadas por todos foram fatais para a luta contra a mutação inglesa. Esta terceira vaga está a ser ainda mais rápida e avassaladora do que já se temia.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This