Libertados os dez religiosos e leigos que haviam sido sequestrados no Haiti

| 1 Mai 2021

Foram libertados no Haiti os religiosos e leigos raptados no dia 11 de abril, segundo divulgou a Sociedade dos Sacerdotes de São Tiago, sediada em França, em comunicado citado pela Associated Press.

A Sociedade, que é responsável por missões católicas no Haiti e no Brasil, não deu informações sobre as condições ou modo da libertação, limitando-se a manifestar “alegria e grande satisfação por encontrá-los sãos e salvos” e a agradecer especialmente aos embaixadores da França e dos Estados Unidos “pelo seu discreto e eficaz apoio diplomático”.

O grupo de sequestrados era composto por dez pessoas, entre as quais cincos padres e duas religiosas e ainda por familiares dos padres. Todos se dirigiam à tomada de posse de um pároco, nos arredores de Porto Príncipe. Cerca de uma semana depois do rapto, foi libertada uma mulher do grupo, devido a problemas de saúde.

Este caso, que teve bastante eco internacional por dois dos religiosos serem de origem francesa, é apenas mais um entre dezenas ou centenas de outros sequestros da autoria de gangs que controlam de facto bairros e zonas da capital do Haiti e dos arredores.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco”

Comissões Justiça e Paz da Europa

“Ucrânia tem direito à defesa, mas só meios militares é um risco” novidade

“O direito da Ucrânia a defender-se é indiscutível e todos os fornecimentos de armas que permitam a sua defesa no quadro dos imperativos da proporcionalidade e do direito humanitário internacional são legítimos”, diz a plataforma católica Justiça e Paz Europa. No entanto, “os meios militares, por si só, não podem trazer uma paz duradoura”.

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas

A hermenêutica de Jesus (3): Jesus e as Parábolas novidade

O ensino das sagradas escrituras na época de Jesus era uma prática comum entre o povo judeu. Desde cedo, os rabinos ensinavam às crianças a leitura e escrita da Torá e a memorizar grandes porções da mesma. Entre as várias técnicas de ensino, estava a utilização de parábolas.

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This