Líderes muçulmanos europeus apoiam declaração de Abu Dhabi

| 17 Fev 19 | Destaques, Diálogo ecuménico e inter-religioso, Igreja Católica, Outras Religiões, Últimas

Entre os 17 subscritores está o imã David Munir, xeque da Mesquita de Lisboa; posição conjunta fala da Declaração como um documento-guia “para as gerações futuras promoverem uma cultura de respeito mútuo na consciência”. 

O Papa Francisco e Ahmad Al Tayyeb, Grande Imã de Al Azhar Al Sharif (dirª) assinam o “Documento sobre a Fraternidade Humana, a 4 de Fevereiro, em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos). (Foto Eissa Al Hammadi/Ministry of Presidential Affairs/Vicariato Apostólico do Sul da Arábia)

 

Vários líderes muçulmanos europeus expressaram o seu “apoio e compromisso” com a “nobre iniciativa e o conteúdo da mensagem expressa no Documento sobre a Fraternidade Humana em prol da paz mundial e da convivência comum, assinado na semana passada pelo Papa Francisco e pelo Grande Imã da Universidade e Mesquita de al-Azhar (Cairo, Egipto), Ahmed al-Tayyeb. O texto foi assinado pelos dois líderes religiosos (al-Azhar é considerada o mais importante centro do islão sunita) em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos (EAU), no final do encontro inter-religioso promovido por al-Tayyeb e pelo Conselho dos Anciãos, que terminou durante a viagem do Papa aquele país do Golfo Pérsico – a primeira de um Papa à Península Arábica.

 Os 17 líderes que agora subscrevem a carta de apoio, a cujo conteúdo 7MARGENS teve acesso, afirmam sentir-se “honrados em responder ao generoso convite” do Documento sobre a Fraternidade Humana a “todas as pessoas que têm fé em Deus e a fé na fraternidade humana para se unirem e trabalharem juntas”. Só assim elas poderão “servir de guia para as gerações futuras promoverem uma cultura de respeito mútuo na consciência” e traduzir a “grande graça divina que faz todos os seres humanos irmãos e irmãs”.

Na carta, os 17 membros do Conselho Europeu de Sábios Muçulmanos (European Muslim Leaders Majlis – EuLeMa) anunciam ainda que este organismo reunirá em breve em Bucareste (Roménia), com a presidência da União Europeia – neste momento a cargo deste país do Leste –, para “estudar meios e formas de concretizar os conteúdos da Declaração de Abu Dhabi e estudar estratégias comuns para desenvolver o seu sucesso”.

Na declaração do EuLeMa, este organismo manifesta o seu “total apoio e acompanhamento concreto a esta nobre iniciativa e aos conteúdos desta mensagem histórica”, cujo texto integral, em português, está disponível aqui. (O documento foi, entretanto, publicado também em formato de livro pela Paulinas Editora.)

A declaração de Abu Dhabi é “um passo importante e positivo para o bem da humanidade nos dias de hoje”, diz ao 7MARGENS o xeque David Munir, imã da Mesquita de Lisboa, um dos 17 signatários do texto da EuLeMa, que apoia o Documento sobre a Fraternidade Humana. Para os muçulmanos portugueses, “o diálogo inter-cultural e inter-religioso não é nada de novo, é o que temos procurado fazer”. Por isso, foi imediata a adesão do xeque Munir, 55 anos (33 dos quais em Portugal) à ideia de subscrever o texto de apoio.

A rede EuLeMa agradece ainda “ao Papa Francisco e à Igreja Católica e ao Xeque Ahmad al-Tayyeb e à Instituição de Al-Azhar al-Sharif pela referência clara feita no documento à liberdade, justiça, diálogo, protecção dos locais de culto, cooperação entre Oriente e Ocidente, condenação do terrorismo, valor e dignidade da família, das mulheres, das crianças, dos idosos e dos pobres”.

Enquanto residentes na Europa, referem expressamente a referência da Declaração à cidadania, pedindo que se acabe com o uso do conceito de “minorias”: “O conceito de cidadania baseia-se na igualdade de direitos e deveres, sob a qual todos gozam de justiça. Portanto, é crucial estabelecer nas nossas sociedades o conceito de cidadania plena e rejeitar o uso discriminatório do termo minorias, que gera sentimentos de isolamento e inferioridade. O seu mau uso prepara o caminho para a hostilidade e a discórdia” e retira os direitos religiosos e civis de alguns cidadãos que são assim discriminados ”.

Os 17 subscritores acrescentam: “Nas nossas funções de relações institucionais e de formação educativa no contexto da sociedade europeia, temos sido desde há tempo responsáveis pela transmissão de valores universais e comuns ao cristianismo e ao islão e às doutrinas de outras comunidades religiosas.” E acrescentam: “Estamos conscientes de que apenas a concretização desta perspectiva de respeito pela sagrada identidade da vida, será capaz de conter guetos, vitimização e discriminações.”

Entre os 17 subscritores do comunicado, estão ainda o presidente do Conselho francês de culto muçulmano, Anouar Kbibech (França), o imã Mohammad Ismail Imam (Reino Unido), Rais al-Ulama Emeritus Mustafa Ceric (Bósnia), o imã Yahya Pallavicini (Itália) e imãs e muftis da Finlândia, Áustria, Alemanha, Roménia, Polónia, Rússia, Dinamarca, Lituânia, Albânia, Irlanda e Eslovénia.

Logo após a assinatura do Documento, o novo director do Dicastério para as Comunicações do Vaticano, Andrea Tornielli, considerou que o texto constituía não apenas um marco nas relações entre cristianismo e islamismo, mas também uma mensagem com forte impacto no cenário internacional.

Um conjunto de convidados do encontro inter-religioso sobre a Fraternidade Humana escutando a intervenção do Grande Imã de Al Azhar Al Sharif, Ahmad Al Tayyeb (Foto Eissa Al Hammadi/Ministry of Presidential Affairs/Vicariato Apostólico do Sul da Arábia)

(Considerando a importância histórica do documento, 7MARGENS publicou já várias notícias e textos sobre ele; é possível reler os comentários do Papa Francisco, depois do regresso ao Vaticano, o relato da eucaristia celebrada em Abu Dhabi, e uma antecipação sobre o que poderia ser o significado da viagem do Papa aos EAU; podem ler-se ainda comentários do presidente da Comunidade de Santo’Egídio, Marco Impagliazzo, de Khalid Jamal, muçulmano português que esteve na missa com o Papa, uma crónica do padre Tony Neves, e um ensaio do franciscano frei Isidro Lamelas a propósito dos 800 anos do encontro entre Francisco de Assis e o sultão Mlik el Kamil.)

 

 

Artigos relacionados

Breves

Astérix inclui protagonista feminina que se assemelha a Greta no seu novo álbum novidade

Astérix e Obélix, dois dos nomes mais icónicos da banda desenhada franco-belga, regressam no 38º álbum da dupla, que celebra igualmente os 60 anos da série criada em 1959 por Albert Uderzo e René Goscinny. Nesta história, há uma nova personagem: Adrenalina, filha desconhecida do lendário guerreiro gaulês Vercingétorix, que introduz o tema das diferenças entre gerações.

Nobel da Economia distingue estudos sobre alívio da pobreza novidade

O chamado “Nobel” da Economia, ou Prémio Banco da Suécia de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel, foi atribuído esta segunda-feira, 14 de outubro, pela Real Academia Sueca das Ciências aos economistas Abijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer, graças aos seus métodos experimentais de forma a aliviar a pobreza.

Boas notícias

É notícia

Entre margens

O politicamente incorrecto

Num debate em contexto universitário, precisamente em torno da questão do politicamente correcto, Ricardo Araújo Pereira afirmou que, embora fosse contra o “politicamente correcto”, não era a favor do “politicamente incorrecto”.

Cultura e artes

“Aquele que vive – uma releitura do Evangelho”, de Juan Masiá

Esta jovem mulher iraniana, frente ao Tribunal que a ia julgar, deu, autoimolando-se, a sua própria vida, pelas mulheres submetidas ao poder político-religioso. Mas não só pelas mulheres do seu país. Pelas mulheres de todo o planeta, vítimas da opressão, de maus tratos, de assassinatos, de escravatura sexual. Era, também, assim, há 2000 anos, no tempo de Jesus. Ele, através da sua mensagem do Reino, libertou-as da opressão e fez delas discípulas. Activas e participantes na Boa Nova do Reino de Deus.

O quarto de brinquedos que é espelho do mundo

Toy Story/4 é uma metáfora da Humanidade que vale a pena ver devagar. Foram vários os críticos que não tiveram pudor em enunciar todas as lições de vida que tinham aprendido com este(s) filme(s).

Arte e arquitectura religiosa com semana cheia em Lisboa

Visitas à arte e arquitecura de igrejas e conventos e um curso livre sobre Arte Moderna e Arte da Igreja são várias iniciativas previstas para os próximos oito dias em Lisboa. O curso decorrerá na Capela do Rato (Lisboa), entre segunda e sexta da próxima semana (dias 23 a 27) e na Igreja de Moscavide (sábado, 28) e pretende evoca o livro publicado há 60 anos pelo padre Manuel Mendes Atanásio, mas também os 50 anos do fim do MRAR.

Sete Partidas

Hoje não há missa

Na celebração dos 70 anos da República Popular da China (RPC), que se assinalam no próximo dia 1 de outubro, são muitas as manifestações militares, políticas, culturais e até religiosas que se têm desenvolvido desde meados de setembro. Uma das mais recentes foi o hastear da bandeira chinesa em igrejas católicas, acompanhado por orações pela pátria.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

Out
17
Qui
Apresentação do livro “Dominicanos. Arte e Arquitetura Portuguesa: Diálogos com a Modernidade” @ Convento de São Domingos
Out 17@18:00_19:30

A obra será apresentada por fr. Bento Domingues, OP e prof. João Norton, SJ.

Coorganização do Instituto São Tomás de Aquino e do Centro de Estudos de História Religiosa. A obra, coordenada pelos arquitetos João Alves da Cunha e João Luís Marques, corresponde ao catálogo da Exposição com o mesmo nome, realizada em 2018, por ocasião dos 800 anos da abertura do primeiro convento da Ordem dos Pregadores (Dominicanos em Portugal.

Nov
8
Sex
Colóquio internacional Teotopias – Sophia, “Trazida ao espanto da luz” @ Univ. Católica Portuguesa - Polo do Porto
Nov 8@09:00_19:30

Fundacional para a percepção e expressão do mistério, a linguagem poética é lugar de uma articulação paradoxal, nada acrescentando à representação descritiva do mundo [Ricoeur]. Encontrando-se o positivismo teológico em crise, paradigma que sempre cedeu demasiado à obsessão pela verdade, tem-se vindo a notar um crescente interesse pelo estudo teológico de produções literárias como lugares de redenção da linguagem referencial, própria do discurso tradicional da teologia. Na sua performatividade quase litúrgica, a linguagem poética aproxima o objecto do discurso teológico do seu eixo verdadeiramente referencial: “a transluminosa treva do Silêncio” [Pseudo-Dionísio Areopagita].

Cátedra Poesia e Transcendência | Sophia de Mello Breyner [UCP Porto], em parceria com a Faculdade de Teologia e o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, organiza um congresso no âmbito das hermenêuticas do religioso no espaço literário, com especial incidência sobre a sua dimensão poética.
O colóquio terá lugar na Universidade Católica Portuguesa | Porto, nos dias 8 e 9 de novembro de 2019, e dará particular atenção aos seguintes eixos temáticos: linguagem poética e linguagem teológica: continuidades e descontinuidades; linguagem poética e linguagem mística: inter[con]textualidades; linguagem poética e sagrado: aproximações estético-fenomenológicas.

Nov
9
Sáb
Colóquio internacional Teotopias – Sophia, “Trazida ao espanto da luz” @ Univ. Católica Portuguesa - Polo do Porto
Nov 9@09:00_19:30

Fundacional para a percepção e expressão do mistério, a linguagem poética é lugar de uma articulação paradoxal, nada acrescentando à representação descritiva do mundo [Ricoeur]. Encontrando-se o positivismo teológico em crise, paradigma que sempre cedeu demasiado à obsessão pela verdade, tem-se vindo a notar um crescente interesse pelo estudo teológico de produções literárias como lugares de redenção da linguagem referencial, própria do discurso tradicional da teologia. Na sua performatividade quase litúrgica, a linguagem poética aproxima o objecto do discurso teológico do seu eixo verdadeiramente referencial: “a transluminosa treva do Silêncio” [Pseudo-Dionísio Areopagita].

Cátedra Poesia e Transcendência | Sophia de Mello Breyner [UCP Porto], em parceria com a Faculdade de Teologia e o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, organiza um congresso no âmbito das hermenêuticas do religioso no espaço literário, com especial incidência sobre a sua dimensão poética.
O colóquio terá lugar na Universidade Católica Portuguesa | Porto, nos dias 8 e 9 de novembro de 2019, e dará particular atenção aos seguintes eixos temáticos: linguagem poética e linguagem teológica: continuidades e descontinuidades; linguagem poética e linguagem mística: inter[con]textualidades; linguagem poética e sagrado: aproximações estético-fenomenológicas.

Ver todas as datas

Fale connosco