Apelo a patriarca Cirilo

Religiosos de Jerusalém pedem paz. Guerra é “blasfémia”, dizem cristãos

| 22 Mar 2022

Em 25 de fevereiro de 2022, em Kiev, na Ucrânia, uma rapariga olha para a cratera deixada por uma explosão em frente a um prédio de apartamentos que ficou fortemente danificado durante os ataques militares russos em curso. Foto © UNICEF

Em 25 de fevereiro de 2022, em Kiev, na Ucrânia, uma rapariga olha para a cratera deixada por uma explosão em frente a um prédio de apartamentos que ficou fortemente danificado durante os ataques militares russos em curso. Foto © UNICEF

 

Um grupo de líderes religiosos de Jerusalém uniu-se para uma oração pela paz na Ucrânia, na segunda-feira, apelando à intervenção do patriarca Cirilo de Moscovo, junto do Governo russo, para travar a guerra. 

Também o Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE), da Igreja Católica, e a Conferência das Igrejas Europeias (CEC) publicaram esta terça-feira uma declaração conjunta contra a “agressão russa” na Ucrânia.

A iniciativa dos responsáveis judaicos, cristãos e muçulmanos de Jerusalém traduziu-se numa carta conjunta assinada e dirigida ao líder da Igreja Ortodoxa na Rússia, adiantou a agência Ecclesia.

“Nós, líderes religiosos que representamos muitas tradições religiosas, escrevemos para expressar a nossa preocupação com a guerra que está a acontecer na Ucrânia. Estamos conscientes da nossa obrigação religiosa de escolher a paz através do diálogo. O nosso papel é rezar e apoiar resoluções pacíficas de situações de conflito”, pode ler-se na missiva, divulgada por via digital.

Os 150 signatários lamentam ver “pessoas de fé umas contra as outras”, num conflito que “representa um risco muito maior de destruição além da Ucrânia, incluindo a ameaça muito real de um acidente nuclear e um conflito maior entre potências com armas nucleares”.

“À luz da sua estreita ligação com o presidente Vladimir Putin, pedimos que lhe solicite que tome medidas imediatas para diminuir a escalada do conflito e procure uma solução pacífica”, pede o documento, dirigindo-se ao patriarca Cirilo.

Usar religião nesta guerra é “blasfémia”

Já na declaração conjunta do CCEE e da CEC, contra a “agressão russa” no território ucraniano, lê-se que “as religiões não podem ser usadas como meio para justificar esta guerra”. E acrescenta-se: “Todas as religiões, e nós como cristãos, estamos unidos na condenação da agressão russa, dos crimes que estão a ser cometidos contra o povo da Ucrânia e da blasfémia que é o uso indevido da religião neste contexto.”

O documento, enviado à agência Ecclesia, surge da reunião do Comité Conjunto CEC/CCEE, que decorreu esta segunda-feira em Bratislava.

“Pedimos aos líderes das nações e da comunidade internacional que façam tudo o que estiver ao seu alcance para acabar com a atual guerra na Ucrânia, que está a destruir vidas e causa um sofrimento incalculável”, indicam os responsáveis cristãos.

O texto destaca que o “coração da fé cristã é a paz e a reconciliação”, antes de agradecer pelo trabalho das várias Igrejas e ONG, juntamente com autoridades nos países vizinhos da Ucrânia e em toda a Europa, para acolher quem foge da guerra. CEC e CCEE saúdam ainda as vozes do povo russo que “protestam fortemente” contra a invasão.

“Continuamos a rezar pelo dom da paz e pedimos a todos os cristãos que se juntem a nós nesta oração, enquanto fortalecem os seus esforços para afirmar o valor da vida e promover ativamente a reconciliação”, conclui a declaração.

 

António Vaz Pinto (1942-2022): o padre dinamizador

Jesuíta morreu aos 80 anos

António Vaz Pinto (1942-2022): o padre dinamizador novidade

Por onde passou lançava projectos, dinamizava equipas, deixava-as a seguir para partir para outras aventuras, sempre com a mesma atitude. Poucos dias antes de completar 80 anos, no passado dia 2 de Junho, dizia na que seria a última entrevista que, se morresse daí a dias, morreria “de papo cheio”. Assim foi: o padre jesuíta António Vaz Pinto, nascido em 1942 em Arouca, 11º de 12 irmãos, morreu nesta sexta-feira, 1 de Julho, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde estava internado desde o dia 8, na sequência de um tumor pulmonar que foi diagnosticado nessa altura.

Abusos sexuais: senti que não acreditavam em mim

Testemunho de uma vítima

Abusos sexuais: senti que não acreditavam em mim novidade

Na conferência de imprensa da Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa, que decorreu quinta-feira, 30 de junho, em Lisboa, foram lidos três testemunhos de vítimas de abusos, cujo anonimato foi mantido. Num dos casos, uma mulher de 50 anos fala do trauma que os abusos sofridos lhe deixaram e de como decidiu contar a sua história a um bispo, sentindo ainda assim que a sua versão não era plenamente aceite como verdadeira.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Doação de ara romana reforça espólio do Museu D. Diogo de Sousa

Ocaere, divindade autóctone

Doação de ara romana reforça espólio do Museu D. Diogo de Sousa novidade

A doação de uma ara votiva romana guardada ao longo de várias décadas pela família Braga da Cruz, de Braga, enriquece desde esta sexta-feira, dia 1, o espólio do Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa (MADDS), estando já exposta para fruição do público. A peça, que passou a integrar a coleção permanente daquele Museu, foi encontrada num quintal particular no município de Terras de Bouro, pelo Dr. Manuel António Braga da Cruz (1897-1982), que viria, depois, a conseguir que o proprietário lha cedesse.

Capelania da Univ. Coimbra: Promover o encontro entre ciência e espiritualidade, entre crentes e não-crentes

Contributos para o Sínodo (25)

Capelania da Univ. Coimbra: Promover o encontro entre ciência e espiritualidade, entre crentes e não-crentes novidade

Organizar iniciativas de diálogo com não-crentes e crentes de outras religiões, abrindo a Igreja à sociedade e fazendo dela um motor do progresso social e da comunhão humana; assumir a dimensão da Sinodalidade como verdadeira abertura ao século XXI; e promover o encontro entre a ciência e a espiritualidade, sempre possível, cria pontes da Igreja com as instituições de Ensino Superior – estas são algumas das propostas da comunidade da Capelania da Universidade de Coimbra, em resposta à maior auscultação alguma vez feita à escala planetária, lançada pelo Papa Francisco, para preparar a assembleia do Sínodo dos Bispos de 2023.

Alter do Chão recebe recital de voz e piano

Festival Terras sem Sombra

Alter do Chão recebe recital de voz e piano novidade

O Cineteatro de Alter do Chão acolhe este sábado, 2 de julho, pelas 21h30, um recital da soprano Carla Caramujo e da pianista Lígia Madeira, no âmbito do Festival Terras sem Sombra (FTSS). Intitulado “O Triunfo da Primavera: Canções de Debussy, Poulenc, Fragoso, Lacerda, Schubert e Wolf”, o concerto promete levar o público a diferentes geografias musicais, do século XIX ao período contemporâneo.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This