Iniciativa do Instituto Elijah

Líderes religiosos de visita à Ucrânia

| 11 Abr 2022

Fila de refugiados em Palanca, na fronteira da Moldávia com a Ucrânia. Foto © Vincent Tremeau | UNICEF

Fila de refugiados em Palanca, na fronteira da Moldávia com a Ucrânia. Foto © Vincent Tremeau | UNICEF

 

Uma delegação de líderes religiosos inicia hoje, dia 12 de abril, uma visita histórica a campos de refugiados e à cidade de Chernivtsi, na Ucrânia. A comitiva terá representantes de várias religiões, entre as quais o Ir. Massimo Fusarelli, ministro geral da Ordem Franciscana dos Frades, o Arcebispo emérito de Canterbury, Rowan Williams, o Rabino Jonathan Wittenberg, o Grande Mufti emérito Mustafa Ceric, o Arcebispo ortodoxo Nikitas Lulias, Swami Sarvapriyananda e a Abadessa Irmã Giác Nghiêm, entre outros. 

Os líderes vão visitar vários locais na região de Chernivtsi para “mostrar amizade, oferecer conforto e compartilhar experiências de manutenção do bem-estar espiritual em circunstâncias angustiantes”, pode ler-se no comunicado enviado ao 7MARGENS. 

Um dos pontos do programa da visita será um evento público no principal teatro da cidade, onde os líderes religiosos irão estar com refugiados e outros cidadãos que foram afetados pela guerra. “As suas palavras serão acompanhadas por música ao vivo, interlúdios de instituições religiosas fora da Ucrânia, testemunhos de refugiados e interações com membros da audiência”, naquele que será, informa o comunicado, “o primeiro evento público permitido no teatro desde o início da guerra”. 

O evento é uma co-iniciativa de James Sternlicht, fundador do Departamento de Paz e do Rabino Alon Goshen-Gottstein, fundador e diretor executivo do Elijah Instituto Inter-religioso. James Sternlicht afirma que, “neste momento, num mundo tomado por profunda escuridão, devemos unir-nos para curar a humanidade”, enquanto o rabino Goshen-Gottstein sustenta que, “até onde eu sei, esta é a primeira vez que uma delegação inter-religiosa assume uma missão de amizade e solidariedade, ao entrar num país em guerra. Isso é tanto mais notável considerando o alto nível dos representantes religiosos”, refere. 

O evento no teatro de Chernivtsi terá transmissão em direto através do site http://faithinukraine.com/Stream/ , numa página que será disponibilizada para o efeito no dia.

Este instituto enviou há pouco tempo uma missiva ao Patriarca Cirilo a pedir que este interceda junto do presidente Vladimir Putin para “pedir que ele tome medidas imediatas para descalar o conflito e procurar uma solução pacífica para o mesmo”. “Estamos tristes por ver os combates, ue colocam pessoas de fé umas contra as outras. O conflito existente já teve significativas perdas de vidas, de combatentes e civis”, referia a carta, que acrescentava que “nós, líderes religiosos, somos chamados a assumir as nossas responsabilidades, em nome de Deus, o Seu povo e todas as criaturas”.

Esta missiva foi assinada por 117 responsáveis das diferentes religiões, entre as quais a Igreja Católica, com o Cardeal Christoph Schönborn, e outros responsáveis religiosos de renome, como o Dalai Lama, a juntarem-se à iniciativa.

Cartaz sobre visita de líderes religiosos à Ucrânia para estar com refugiados.

 

 

Judeus da Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo

Estudo revela

Judeus da Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo novidade

O mais recente relatório da Agência da União Europeia para os Direitos Fundamentais (FRA) não deixa margem para dúvidas: o antissemitismo cresceu nos últimos cinco anos e disparou para níveis sem precedentes desde o passado mês de outubro, o que faz com que os judeus a residir na Europa temam pela sua segurança e se sintam muitas vezes obrigados a esconder a sua identidade judaica.

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga

Decreto de extinção a marcar passo?

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga novidade

A pouco mais de três meses de se completar um ano, prazo dado pelo Vaticano para extinguir a Comunidade Loyola, um instituto de religiosas fundado por Ivanka Hosta e pelo padre Marko Rupnik, aparentemente tudo continua como no início, com as casas a funcionar normalmente. No caso da comunidade de Braga, para onde Ivanka foi ‘desterrada’ em meados de 2023, por abusos de poder e espirituais, a “irmã” tem mesmo estado a desenvolver trabalho numa paróquia urbana, incluindo como ministra extraordinária da comunhão, com a aparente cobertura da diocese.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras

Contra a obrigação de repetir denúncias

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras novidade

Vários sobreviventes de abusos sexuais no seio da Igreja Católica expressaram, junto da presidência da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), o seu descontentamento quanto ao “método a utilizar para realizar as compensações financeiras”, dado que este obriga todas as vítimas que pretendam obtê-las a repetirem a denúncia que já haviam feito anteriormente.

Cuidar do outro com humanidade

Cuidar do outro com humanidade novidade

A geração nascida em meados do século passado foi ensinada a respeitar os mais velhos, a escutá-los e seguir os seus ensinamentos, dada a sua condição de anciãos e, por tal, sabedores daquilo que é melhor para a família, para cada comunidade e para a sociedade em geral. Era assim que se preparavam as novas gerações para aprenderem a respeitar o outro, os seus pais, irmãos e avós, cuidando deles e uns dos outros, desde a nascença até à morte. [Texto de Caseiro Marques]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This