Líderes religiosos escrevem a Boris Johnson a pedir plano ambicioso contra o aquecimento global

| 10 Nov 2020

O irmão Finnian, franciscano anglicano, numa manifestação em Londres, pelo clima, em 2019: os líderes religiosos britânicos querem uma acção rápida e eficaz. Foto © Sean Hawkey/WCC.

 

Uma carta conjunta de 60 líderes cristãos, judeus, muçulmanos, hindus e sikh da Grã-Bretanha seguiu para o primeiro-ministro Boris Johnson, pedindo ao governo britânico que prepare desde já um ambicioso plano nacional contra o aquecimento global. “Como presidente de turno da Cop26 [a conferência sobre o Clima], a tarefa mais importante do Reino Unido é reunir todos os países em torno de metas climáticas mais ambiciosas”, diz a carta assinada, entre outros, pelo bispo John Arnold, responsável pelo sector do meio-ambiente na Conferência Episcopal Britânica e Galesa (CBCEW, na sigla em inglês).

A carta, citada pelo Vatican News, tem como motivação a realização da próxima Conferência Internacional sobre o Clima (Cop-26), em Glasgow (Escócia), em Novembro de 2021.

O acordo de Paris, assinado na capital francesa na Cop-21, em 2015, fixa o aumento da temperatura global em 1,5 graus Celsius até ao final do século e compromete os Estados signatários a definirem e comunicarem as suas contribuições nacionais após 2020, para alcançar este objetivo.

Para os líderes religiosos signatários da carta, a Grã-Bretanha deve dar o exemplo, entre outras coisas, procurando chegar a zero no balanço entre as emissões e a compensação do dióxido de carbono na atmosfera, que atualmente se situa em 80%. “Este é um momento histórico para a liderança global do Reino Unido propor a maior contribuição a nível mundial para encorajar todas as outras nações do mundo a fazer o mesmo e é provavelmente o investimento mais importante que poderia ser feito no nosso futuro”, diz o texto.

A carta sublinha ainda a responsabilidade moral de assumir este compromisso, salientando os efeitos profundos das alterações climáticas em toda a humanidade” e “especialmente sobre os mais pobres, que já estão sofrendo”. “Devemos todos tentar encontrar a coragem moral para enfrentar este desafio” que põe em causa “a nossa relação com o mundo vivente” e “nos transformarmos a nós mesmos e à nossa sociedade”, dizem os líderes religiosos.

Os signatários recordam ainda como as comunidades religiosas no Reino Unido já têm tomado medidas concretas “com milhares de locais de culto a passar para energias renováveis e grupos religiosos que desinvestem em combustíveis fósseis e reinvestem em medidas em prol do ambiente”. Este compromisso está ligado aos esforços globais, incluindo – sublinham – o apelo premente do Papa Francisco aos governos para que estabeleçam metas mais ambiciosas antes da Cop26 e do trabalho de sensibilização sobre esta questão, feito pelo Patriarca Ecuménico Bartolomeu, de Constantinopla, primaz dos ortodoxos.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This