Líderes religiosos “horrorizados” com massacre de crianças nos Camarões

| 29 Out 20

massacre camaroes, imagem do Twitter

“As pessoas agora até estão com medo de mandar os seus filhos à escola.” Imagem publicada na conta de Twitter do artista camaronês Aveiro Djess Officiel.

 

Choque, incredulidade, proximidade às vítimas. Foi o que manifestaram o Papa, o Conselho Mundial de Igrejas e o bispo de Kumba, cidade dos Camarões onde no passado sábado, 25 de outubro, o ataque a uma escola provocou a morte a pelo menos seis crianças e deixou outras oito feridas.

Um grupo de homens entrou no estabelecimento de ensino, disparou indiscriminadamente sobre os alunos e esfaqueou algumas das crianças. As suspeitas recaem sobre um grupo separatista que pretende criar um estado anglófono independente no oeste deste país da África Ocidental, situado no Golfo da Guiné.

“Uno-me à dor das famílias dos jovens estudantes barbaramente assassinados. Estou perplexo diante deste ato tão cruel e sem sentido, que ceifou a vida destes pequeninos inocentes enquanto eles tinham aulas na escola”, afirmou o Papa na audiência geral desta quarta-feira. “Que Deus ilumine os corações, para que gestos semelhantes nunca mais se repitam e para que as martirizadas regiões no noroeste e sudoeste do país possam finalmente encontrar a paz! Espero que as armas se calem e que a segurança de todos, o direito de cada jovem à educação e ao futuro possam ser garantidos”, pediu.

As palavras do Papa foram recebidas com gratidão pelo bispo de Kumba, Agapitus Enuyehnyoh Nfon. “Gostaria de agradecer ao Santo Padre por condenar este ato bárbaro. O povo de Kumba sentiu-se verdadeiramente consolado”, disse, citado pelo Vatican News,

O responsável da diocese recordou que os bispos dos Camarões têm feito diversos apelos ao diálogo e ao fim do conflito no país. Os confrontos entre separatistas e as forças governamentais duram há três anos, tendo já causado mais de três mil vítimas e pelo menos 70 mil deslocados. Não é possível “encontrar paz, justiça e tranquilidade enquanto se combate”, referiu Agapitus Enuyehnyoh Nfon. “As pessoas agora até estão com medo de mandar os seus filhos à escola”.

O Conselho Mundial de Igrejas (CMI) fez questão de expressar, num comunicado divulgado na sua página, a “proximidade às famílias e comunidades afetadas” e pedir uma oração “pela cura das crianças feridas”.

A organização, que agrupa cerca de 350 igrejas cristãs não católicas (sobretudo protestantes e ortodoxas) de todo o mundo, diz-se “horrorizada com a notícia do ataque brutal contra as crianças da Academia Internacional Madre Francisca de Kumba”, e “une-se às Igrejas e a todas as pessoas de boa vontade na República dos Camarões e do mundo na condenação deste ato abominável”.

 

Abusos na Igreja e Vaticano: “Fazer o que ainda não foi feito”

Análise

Abusos na Igreja e Vaticano: “Fazer o que ainda não foi feito” novidade

Sobre as leituras e as consequências do estudo divulgado há precisamente uma semana relativamente aos abusos na Arquidiocese de Munique, umas das principais da Alemanha, o mundo católico encontra-se em suspenso. Já esta sexta-feira, 28, espera-se o pronunciamento da diocese visada e tanto o Vaticano como Bento XVI anunciaram ir estudar atentamente o documento, tendo o Papa Emérito prometido responder.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Centro de Formação Cristã inaugura disciplina sobre ecologia integral

Diocese de Leiria-Fátima

Centro de Formação Cristã inaugura disciplina sobre ecologia integral novidade

A partir do próximo dia 8 de fevereiro, a Escola Diocesana Razões da Esperança (EDRE), do Centro de Cultura e Formação Cristã da Diocese de Leiria-Fátima, contará com uma novidade na sua oferta formativa: pela primeira vez e de forma mais sistematizada, será dada atenção às questões ambientais e ecológicas, na linha do que o Papa Francisco propõe na Encíclica Laudato Si’. A disciplina terá a designação de “Cuidar da Terra, cuidar do outros” e será lecionada por elementos da Rede Cuidar da Casa Comum, noticia a diocese no seu site.

Thich Nhat Hanh: Buda e Jesus são irmãos

Thich Nhat Hanh: Buda e Jesus são irmãos novidade

Regressei ao cristianismo. Mas fui budista zen cerca de quinze anos, integrada na orientação budista zen do mestre japonês Taisen Deshimaru (Associação Zen Internacional); tendo como mestre um dos seus discípulos, Raphael Doko Triet. Gostaria de lhe prestar aqui a minha homenagem pois aprendi muito com ele, ligando-nos ainda – embora à distância – uma profunda amizade.

Fale connosco

Abusos na Igreja
Dar voz ao silêncio

Contactos da Comissão Independente

https://darvozaosilencio.org/

E-mail: geral@darvozaosilencio.org

Telefone: (+351) 91 711 00 00

You have Successfully Subscribed!

Pin It on Pinterest

Share This