Reino Unido

Líderes religiosos preocupados com possível mudança de embaixada para Jerusalém

| 10 Out 2022

justin welby arcebispo de cantuaria foto WCC

O arcebispo de Cantuária diz-se “preocupado com o impacto potencial” da medida, particularmente “antes de um acordo entre palestinianos e israelitas ter sido alcançado”. Foto © WCC.

 

O presidente da Conferência Episcopal de Inglaterra e País de Gales, cardeal Vincent Nichols, e o líder espiritual da Comunhão Anglicana, o arcebispo Justin Welby, expressaram nos últimos dias a sua preocupação com a intenção da primeira-ministra Liz Truss de transferir a embaixada britânica em Israel de Telavive para Jerusalém, considerando que essa alteração poderá prejudicar o processo de paz no conflito israelo-palestiniano.

Nichols enviou uma carta a Truss citando a posição do Vaticano, que defende que a cidade de Jerusalém “deve ser partilhada como um património comum, não se tornando nunca num monopólio exclusivo de qualquer parte”.

O arcebispo de Westminster escreveu na quinta-feira, 6, na sua conta de Twitter, que “tal relocalização da embaixada do Reino Unido seria seriamente prejudicial a qualquer possibilidade de paz duradoura na região e para a reputação internacional do Reino Unido”.

No dia seguinte, Welby, divulgava uma declaração sobre o mesmo tema, afirmando-se “preocupado com o impacto potencial” da medida, particularmente “antes de um acordo entre palestinianos e israelitas ter sido alcançado”. No comunicado, o arcebispo de Cantuária afirmava estar em contacto com os “líderes cristãos na Terra Santa” e continuar “a rezar pela paz em Jerusalém”.

A concretizar-se, a eventual mudança segue a linha da controversa decisão tomada em 2018 pelo ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que transferiu a embaixada norte-americana de Telavive para Jerusalém e reconheceu Jerusalém como a capital de Israel. O atual Presidente, Joe Biden, não reverteu esta decisão.

A  maioria dos países tem-se abstido de transferir as respetivas embaixadas para Jerusalém, por não reconhecer a legitimidade da ocupação israelita da parte oriental da cidade desde 1967, área essa que é reivindicada pelos palestinianos como capital do seu Estado.

 

 

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver

40ª viagem apostólica

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver novidade

O Papa acaba de embarcar naquela que tem sido descrita como uma das viagens mais ousadas do seu pontificado, mas cujos riscos associados não foram motivo suficiente para que abdicasse de a fazer. Apesar dos problemas de saúde que o obrigaram a adiá-la, Francisco insistiu sempre que queria ir à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul. Mais do que uma viagem, esta é uma missão de paz. E no Congo, em particular, onde os conflitos já custaram a vida de mais de seis milhões de pessoas e cuja região leste tem sido atingida por uma violência sem precedentes, a presença do Papa será determinante para mostrar a toda a comunidade internacional aquilo que ela parece não querer ver.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana novidade

Quando ambos falamos de realização humana, talvez estejamos a referir-nos a coisas diferentes. Decerto que uma pessoa com deficiência pode ser feliz, se for amada e tiver ao seu alcance um ambiente propício à atribuição de sentido para a sua existência. No entanto, isso não exclui o facto da deficiência ser uma inegável limitação a algumas capacidades que se espera que todos os seres humanos tenham (e aqui não falo de deficiência no sentido da nossa imperfeição geral).

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This