Limpar as praias e praticar ioga porque “todos fazemos parte do planeta”

| 1 Fev 19

Uma manhã a limpar as praias que termina com uma aula de ioga. Pode parecer uma combinação pouco usual, mas é o que acontecerá neste sábado, 2 de fevereiro, na praia da Ponta do Sal, em São Pedro do Estoril. E, para Vânia Montinho, 40 anos, é algo que faz todo o sentido: “Quanto mais praticamos ioga e meditação, mais nos tornamos conscientes do que está à nossa volta. Não há separação entre nós e o meio ambiente: estamos todos ligados de alguma forma. Faz sentido, segundo o que ensina esta filosofia, termos esse cuidado com a natureza e com a nossa casa.”

Vânia é professora de ioga e co-fundadora da OmWay, comunidade que pretende juntar as pessoas ligadas às áreas de desenvolvimento pessoal, bem-estar e práticas holísticas com a natureza: “Começámos com aulas de ioga ao ar livre, usufruindo dos espaços exteriores que temos na linha de Cascais e da beleza natural do local.”

A ideia é consciencializar as pessoas de que “todos fazemos parte do planeta” e que precisamos de o preservar. No Inverno, conta a professora de ioga, há menos ideias para atividades mas, no final de 2018, Tiago Botelho, um dos professores que colabora com a comunidade, fez a proposta. “É uma ideia que me acompanha já há algum tempo. Vou muito à praia mesmo no Inverno, porque faço surf, e reparo que continua a haver lixo nesta época.”

Vânia Montinho e Tiago Botelho. Foto © Maria Wilton.

Com esta iniciativa, Tiago pretende também que os participantes entendam uma importante dimensão do problema: “Um amigo, responsável pela iniciativa ‘Portugal Sem Plástico’, encontrou uma vez no mar uma embalagem de manteiga com mais de 20 anos. Às vezes com o reconhecimento in loco é que se tem verdadeira consciência da importância de fazer alguma coisa.”

O grupo de participantes do “Karma Yoga” terá a seu cargo um roteiro de limpeza pelas praias de S.Pedro, Bafureira e Avencas, com especial atenção aos plásticos “com grande impacto a nível ambiental”. No fim, terminarão na praia da Parede com uma aula de ioga. O ponto de encontro é no anfiteatro da Ponta do Sal, em São Pedro do Estoril, às 9h, onde serão fornecidos sacos para o lixo. Apenas se deve levar comida, que todos partilham no final da iniciativa.

“Tu és natureza”

O ioga é uma disciplina e filosofia de auto-conhecimento onde se aprende a mostrar uma maior consciência interna e “de tudo o que se passa à nossa volta”: “Acreditamos que fazemos parte de um todo, não estamos dissociados do que está à nossa volta. Hoje em dia, infelizmente, há cada vez mais poluição nos rios e nos mares e nós somos os responsáveis. Sendo responsáveis, também somos responsáveis por limpar e manter os bens que nos são comuns,” comenta Vânia Montinho.

Também para Tiago isto faz sentido, até por aquilo que considera uma das peças-chave da filosofia: “O ioga ensina-nos a eliminar a separação entre pessoas e natureza. Tu és natureza, na verdade. E se todos nós percebêssemos isto, então não havia necessidade de sujar o ambiente.”

Na vida de Vânia, o ioga surgiu “por acaso” e não com algum objetivo específico: “Comecei a gostar e a sentir realmente um efeito muito profundo a nível mais emocional e psicológico, do que propriamente físico.” Gostou tanto que acabou por tirar o curso de formação de professores, apenas com o objetivo de “aprender mais” sem intenção de dar aulas. “Mas cá estou”, diz a sorrir.

No dia-a-dia, a espiritualidade é vivida a ter “um pouco mais de consciência nas situações de maior stress: perceber que tudo passa, tanto as situações boas como as más. São apenas coisas efémeras – e nós continuamos cá.”

“Faz sentido, ensinado esta filosofia termos esse cuidado com a natureza e com a nossa casa.” Foto © Maria Wilton.

Breves

podcast

“Estado social: as crises são todas iguais?”

“Estará o Estado Social a definhar? Como reagiu o nosso Estado Social à crise financeira de 2010? E à pandemia? Como responderam o nosso e o dos outros? Qual das duas crises ‘infetou’ mais o Estado Social português?”

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Boas notícias

Outras margens

Cultura e artes

Filipinas

Estado proíbe leitura de cinco livros no secundário

A Comissão da Língua Filipina retirou cinco livros da lista de livros aconselhados para os alunos do secundário, proibindo a sua leitura por “terem conteúdos que violam a lei antiterrorismo do país”. O decreto foi publicado a 12 de agosto, noticia a agência UCA News de dia 15.

Pessoas

Sete Partidas

Acolher sem porquês

Eu e o meu namorado vivemos na Alemanha e decidimos desde o início da guerra na Ucrânia hospedar refugiados em nossa casa. Pensámos muito: nenhum de nós tem muito tempo disponível e sabíamos que hospedar refugiados não é só ceder um quarto, é ceder paciência, muita paciência, compreensão, ajuda com documentos…

Visto e Ouvido

Agenda

[ai1ec view=”agenda”]

Ver todas as datas

Entre margens

Nossa Senhora da Boa Viagem em duas rodas, rogai por nós!

Gosto de trabalhar em Agosto. Também gosto de guardar uns dias das minhas férias para viver na cidade que habito. Agrada-me tecer rotina longe das rotinas, quando todes constroem a sua casa longe de casa. Sempre gostei, mas este ano tem um sabor especial: marca o mês em que a rotina se volta a fazer de cabelos ao vento, na minha bicicleta, depois de uns anos sem pedalar.

Evangelizar nas redes sociais 

  Acolhendo a desafiante exortação do Papa Francisco aos participantes no Congresso Mundial da Signis – Associação Católica Mundial para a Comunicação – que decorre em Seul, de 16 a 19 de Agosto de 2022, decidi-me a revisitar a minha presença nas redes sociais e...

A revelação ética mais importante da história humana

Com Jesus Cristo, o alcance do amor de doação (ágape), incondicional e desinteressado, atinge o seu ápice com o amor ao inimigo («a ideia ética mais extraordinária da história humana»), que representa o que há de mais contrário à lógica da vontade amoral de afirmação do poder.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This