Texto provisório online

Livro de Josué já tem nova tradução

| 4 Dez 2023

Livro de Josué. Foto Clara Raimundo

Este livro do Antigo Testamento deve o seu nome ao facto de Josué, um direto colaborador de Moisés, se apresentar na sua narrativa como a figura central. Foto © Clara Raimundo/7MARGENS

 

A Comissão da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) que coordena a nova tradução da Bíblia acaba de disponibilizar online a proposta de tradução do Livro de Josué, encontrando-se agora aberta a sugestões e contributos dos leitores, “em ordem ao melhoramento da compreensibilidade do texto”.

Este livro do Antigo Testamento deve o seu nome ao facto de Josué, um direto colaborador de Moisés, se apresentar na sua narrativa como a figura central. “A ele foi dada uma especial investidura para conduzir o povo, libertado da escravidão do Egito, até ao fim da viagem de regresso a Canaã, que ao longo do Pentateuco se apresentava como meta final”, explicam os tradutores em comunicado enviado ao 7MARGENS,

O livro abre com um discurso de Deus “que dá expressão e conteúdo ao ato de investidura de Josué como líder desta etapa final”, e termina com uma cerimónia religiosa coletiva, onde Josué formula, “numa síntese parenética e intensa, o sentido de todo o caminho até então percorrido”, acrescenta o texto.

Sobre o Livro de Josué, os tradutores assinalam ainda que “a imagem global é a de que Israel se apresenta como um povo constituído pelas doze tribos, e que, por conquista ou por estabelecimento natural, toma conta de uma terra e a distribui em partes iguais entre as tribos”.

No entanto, salvaguardam, “o aprofundamento dos estudos arqueológicos foi trazendo conclusões cada vez mais claras que apontam para um panorama histórico mais convergente com o do livro dos Juízes que com o de Josué. Isto não quer dizer que no interior do texto não se encontrem recolhidos alguns dados pertinentes da história de Israel nos tempos antigos”.

Ao colocar online a tradução provisória do Livro de Josué, a Comissão Coordenadora da Tradução da Bíblia da CEP convida a comunidade a envolver-se no processo de tradução e revisão deste documento e dispõe-se a acolher o contributo dos leitores, em ordem ao melhoramento da compreensibilidade do texto.

Os comentários devem ser enviados através do endereço eletrónico biblia.cep@gmail.com.

 

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe

Nove dias após a sua morte numa prisão russa

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe novidade

O corpo do líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi entregue à sua mãe, informou ontem, sábado, Ivan Zhdanov, diretor da Fundação Anti-Corrupção de Navalny e um dos seus principais assessores na sua conta de Telegram. O responsável agradeceu a “todos” os que apelaram às autoridades russas para que devolvessem o corpo de Navalny à sua mãe, citado pela Associated Press.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos

Como preparação para a segunda sessão do Sínodo

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos novidade

Os bispos católicos da Bélgica enviaram às dioceses e comunidades locais do seu país uma carta no dia 16 de fevereiro sugerindo a reflexão sobre dois temas ministeriais, a ordenação sacerdotal de homens casados e a instituição de mulheres diaconisas, como forma de preparação dos trabalhos da segunda sessão do Sínodo dos Bispos, que decorrerá em Roma em outubro próximo.

Cristo Cachorro, versão 2024

Cristo Cachorro, versão 2024 novidade

Invejo de morte a paixão que os cartazes da Semana Santa de Sevilha conseguem despertar. Os sevilhanos importam-se com a sua cidade, as festas e com a imagem que o cartaz projecta, se bem que com o seu quê de possessivo, mas bem melhor que a apatia. Não fossem frases como “É absolutamente uma vergonha e uma aberração” e as missas de desagravo e o quadro cartaz deste ano teria passado ao lado.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

7MARGENS antecipa estudo

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This