Semana temática em Braga

LOC quer dignificar o trabalho e cuidar da Casa Comum

| 23 Abr 2022

A Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC) promove, entre 23 e 30 de Abril, a sua 11ª semana temática da diocese de Braga, este ano dedicada ao tema “Dignidade do Trabalho e o Cuidar da Casa Comum”.

O movimento católico pretende avaliar a realidade do trabalho digno e do cuidado da Casa Comum e o que pode fazer cada pessoa nesses âmbitos. Ao mesmo tempo, pergunta se a Bíblia e a doutrina social católica têm algo a dizer sobre aquelas realidades.

A iniciativa irá percorrer todas as equipas de militantes da LOC/MTC da diocese de Braga até ao próximo dia 30, quando será encerrada no Salão Paroquial de Barcelos (a partir das 15h), com uma conferência do padre Ruben Cruz, do Seminário de Nossa Senhora da Conceição em Braga.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro

Frade morreu aos 85 anos

Lopes Morgado: um franciscano de corpo inteiro novidade

O último alarme chegou-me no dia 10 de Fevereiro. No dia seguinte, pude vê-lo no IPO do Porto, em cuidados continuados. As memórias que tinha desse lugar não eram as melhores. Ali tinha assistido à morte de um meu irmão, a despedir-se da vida aos 50 anos… O padre Morgado, como o conheci, em Lisboa, há 47 anos, estava ali, preso a uma cama, incrivelmente curvado, cara de sofrimento, a dar sinais de conhecer-me. Foram 20 minutos de silêncios longos.

Mata-me, mãe

Mata-me, mãe novidade

Tiago adorava a adrenalina de ser atropelado pelas ondas espumosas dos mares de bandeira vermelha. Poucos entenderão isto, à excepção dos surfistas. Como explicar a alguém a sensação de ser totalmente abalroado para um lugar centrífugo e sem ar, no qual os segundos parecem anos onde os pontos cardeais se invalidam? Como explicar a alguém que o limiar da morte é o lugar mais vital dos amantes de adrenalina, essa droga que brota das entranhas? É ao espreitar a morte que se descobre a vida.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This