Prémio Árvore da Vida 2015

Lourdes Castro (1930-2021): as sombras que perduram

| 10 Jan 2022

Lourdes Castro na Gulbenkian, por altura da inauguração de uma exposição da sua obra: a artista morreu aos 91 anos. Foto © Rui Martins/SNPC

 

Lourdes Castro, uma das mais relevantes artistas plásticas contemporâneas, morreu no Funchal no sábado, 8 de Janeiro, aos 91 anos. Em 2015, foi-lhe atribuído o Prémio Árvore da Vida Padre Manuel Antunes, do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, da Igreja Católica. O funeral da artista realiza-se esta segunda-feira, 10, com missa de corpo presente a partir das 14h, no cemitério de São Martinho, no Funchal.

“Grava para sempre a alegria na fachada da tua casa” foi um dos seus lemas de vida, como contou numa entrevista concedida a João Pacheco, publicada no Expresso. Mas dizia ainda que nos momentos em que se encontrava mais deprimida pensava: “Caminha como o teu coração te leva.” Lourdes Castro explicava que tudo decorria de uma respiração. “A arte e a casa e o jardim e mais isto e mais aquilo, é tudo respirar. É respirar à sua maneira”.

A propósito de Pelas sombras, o filme que Catarina Mourão realizou sobre ela, Lourdes Castro reconhece que “é bonito isto de as coisas na vida se irem transformando, irem dando outras”. Para a artista, “continua-se a respirar. No fundo é respirar, respirar a sua respiração. Há uma coisa que gosto muito de dizer aos pequenos e aos grandes também, é uma frase pequenina de um sábio. Há coisas que nunca saem de dentro de ti, como esta frase que tem mais de mil anos: ‘Caminha como o teu coração te leva’. Não é ‘para onde ele te leva’. É ‘vai à tua maneira’. É ‘segue à tua maneira’”.

Nascida em 9 de Dezembro de 1930, no Funchal, Madeira, para onde regressaria em 1983, o percurso de Lourdes Castro passa por Paris, para onde vai no fim dos anos 50 do século XX, depois de se ter formado em Pintura, em Lisboa (1956). Em Paris funda, com René Bertholo, o grupo KWY, que tem o envolvimento, mais ou menos activo, de outros artistas plásticos, como Christo e Jan Voss ou Gonçalo Duarte, José Escada, Costa Pinheiro e João Vieira.

Anjo de Berlim. Obra de Lourdes Castro na Capela do Rato, em Lisboa. Foto © Direitos Reservados

 

Foi também em Paris que começou a fazer teatro de sombras. Faz sombras de pessoas sentadas, a ler ou a fumar, usando plexiglas, ou deitadas, usando lençóis. As sombras dão título a grandes exposições: Além da sombra, na Fundação Calouste Gulbenkian, em 1992 ou Lourdes de Castro e Manuel Zimbro: a luz da sombra, no Museu de Arte Contemporânea de Serralves, em 2010. Realiza na Madeira, para onde tinha regressado em 1983, o Grand herbier d’ombres, que se tornaria um livro que apresenta um conjunto de plantas sobre papel heliográfico. E na Capela do Rato, em Lisboa, instala o seu Anjo de Berlim, que nunca tinha sido exposto.

As plantas servem-lhe também para uma lição, que partilha na entrevista ao Expresso: “Não morremos, transformamo-nos”. Diz ela que “tudo se transforma. É preciso ir ver as plantas. Viramos terra. É tudo transformação”.

Citando a frase de Antoine Lavoisier, “nada se perde, tudo se transforma”, Lourdes Castro questiona: “Uma árvore pode cair ao chão e depois o que fica? O musgo. E depois vira terra. Podemos virar terra, mas não desaparecemos. Para onde é que vai? São tudo invenções. ‘A eternidade’ e mais aquilo e mais aqueloutro.”

 

Além dos textos para os quais remetem as ligações referidas, podem ler-se ainda:

Depoimento do cardeal José Tolentino Mendonça no Público.

Santa Lourdes Castro, texto de José Tolentino Mendonça em 2011, sobre Lourdes Castro.

Comentários de Lourdes Castro à atribuição do Prémio Árvore da Vida.

Nota do Presidente da República sobre a morte de Lourdes Castro.

 

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel

Reino Unido

Judeus do Partido Trabalhista atacam política de Israel novidade

Glyn Secker, secretário da Jewish Voice For Labor – uma organização que reúne judeus membros do Partido Trabalhista ­–, lançou um violento ataque aos “judeus que colocam Israel no centro da sua identidade” e classificou o sionismo como “uma obscenidade” ao discursar no dia 10 diante de Downing Street, durante um protesto contra os ataques de Israel na faixa de Gaza.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Evento "importantíssimo" para o país

Governo assume despesas da JMJ que Moedas recusou

A ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, chegou a acordo com o presidente da Câmara de Lisboa sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, comprometendo-se a – tal como exigia agora Carlos Moedas – assumir mais despesa do evento do que aquela que estava inicialmente prevista, noticiou o Expresso esta quarta-feira, 3.

Multiplicar o número de leitores do 7MARGENS

Em 15 dias, 90 novos assinantes

Durante o mês de julho o 7MARGENS registou 90 novos leitores-assinantes, em resultado do nosso apelo para que cada leitor trouxesse outro assinante. Deste modo, a Newsletter diária passou a ser enviada a 2.863 pessoas. Estamos ainda muto longe de duplicar o número de assinantes e chegar aos 5.000, pelo que mantemos o apelo feito a 18 de julho: que cada leitor consiga trazer outro.

Parceria com Global Tree

JMJ promove plantação de árvores

A Fundação Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023 e a Global Tree Initiative estabeleceram uma parceria com o objectivo de levar os participantes e responsáveis da organização da jornada a plantar árvores. A iniciativa pretende ser uma forma de assinalar o Dia Mundial da Conservação da Natureza, que se assinala nesta quinta-feira, 28 de julho.

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

Nos 77 anos do ataque atómico

Representante dos sobreviventes de Nagasaki solidário com a Ucrânia

“Apelo a todos os membros” do Parlamento japonês, “bem como aos membros dos conselhos municipais e provinciais” para que se “encontrem com os hibakusha (sobreviventes da bomba atómica), ouçam como eles sofreram, aprendam a verdade sobre o bombardeio atómico e transmitam o que aprenderem ao mundo”, escreve, numa carta lida nas cerimónias dos 77 anos do ataque atómico sobre Nagasaki, por um dos seus sobreviventes, Takashi Miyata.

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Resgatadas 29 pessoas

Mar Egeu: dezenas de pessoas desaparecidas em naufrágio

Dezenas de pessoas estão desaparecidas depois de um barco ter naufragado no mar Egeu, na quarta-feira, ao largo da ilha grega de Cárpatos, divulgou a ACNUR. A embarcação afundou-se ao amanhecer, depois de da costa sul da vizinha Turquia, em direção a Itália. “Uma grande operação de busca e resgate está em curso.”

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This