Pandemia

Luta contra novos pobres é “desígnio nacional”, diz cardeal Marto em Fátima

| 19 Jul 2021

António Marto. Fátima

Foto © António Marujo

 

O bispo de Leiria-Fátima, cardeal António Marto, afirmou na manhã deste domingo, 18, em Fátima, que é “um desígnio nacional”, a que ninguém pode ficar indiferente, acudir aos novos pobres provocados pela pandemia da covid-19.

“Há um desígnio nacional a que somos todos chamados diante dos 400 mil novos pobres que esta pandemia fez” disse D. António perante a assembleia que, respeitando as regras de segurança impostas pelo Santuário, participou na missa dominical.

Citando o documento da Comissão Nacional Justiça e Paz (já noticiado no 7MARGENS), o cardeal lembrou que estes números representam “um aumento de 25% da taxa de pobreza e um aumento da desigualdade de 9%” o que deixa Portugal “entre os cinco países da União Europeia com maior risco de pobreza”.

“Que ninguém olhe o outro com indiferença; que nenhum vire a cara diante do sofrimento de tantos”, pediu D. António, de acordo com a notícia do Santuário de Fátima.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This