A poucos dias do encontro com Papa

Macron visita mesquita de Paris e defende lei contra o islamismo radical

| 21 Out 2022

emmanuel macron, Foto: Jacques Paquier / Wikimedia Commons

Emanuel Macron prometeu fazer “tudo para garantir aos muçulmanos a possibilidade de viver a sua fé serenamente, no quadro protetor do laicismo”. Foto © Jacques Paquier / Wikimedia Commons.

 

O Presidente francês Emmanuel Macron visitou a Grande Mesquita de Paris na passada quarta-feira, 19, data em se cumpriam 100 anos sobre a colocação da primeira pedra do templo que apelidou de farol para o “Islão de França”.  A poucos dias do seu encontro com o Papa Francisco, agendado para 24 de outubro, Macron fez questão de defender a chamada lei do separatismo, aprovada há pouco mais de um ano e que, apesar de criticada por muitos muçulmanos, é vista pelo líder político como uma norma jurídica que “oferece salvaguardas” contra o islamismo radical.

“Neste dia de outono de 1922, a nossa nação afirmou aos olhos do mundo que se podia ser francês e muçulmano”, afirmou Emmanuel Macron, citado pelo jornal La Croix (artigo disponível apenas para assinantes). A Grande Mesquita de Paris encarna a harmonia dos homens e das religiões, quando aceitam que a fé de uns não deve constranger a de outros”, continuou o chefe de Estado francês. A mesquita, cuja operação é hoje financiada pela Argélia, “não traz simplesmente a possibilidade de um Islão em França, fiel aos valores da República, mas de um Islão com a França, e mesmo de um Islão de França”, sublinhou Macron.

Aludindo aos ataques jihadistas, o presidente disse que não deixaria que “a destruição que este país sofreu nos últimos anos criasse um abismo de ressentimento e desconfiança em relação aos muçulmanos”, e aproveitou o discurso para defender a lei de agosto de 2021 contra o separatismo, que visa em particular controlar melhor o funcionamento e financiamento dos locais de culto.

“Ela era muitas vezes recebida com suspeita”, admitiu. “Pelo contrário, acredito que foi pensada e desejada como forma de ajudar as comunidades religiosas a lutar contra os excessos sectários que as prejudicam tanto quanto à comunidade nacional”. E assegurou: “Só existe uma República: a da liberdade de crer ou não crer, aquela onde o Estado é o garante da liberdade religiosa”, afirmando que faria “tudo para garantir aos muçulmanos a possibilidade de viver a sua fé serenamente, no quadro protetor do laicismo, através do diálogo construtivo entre o Islão e o Estado, entre os países muçulmanos estrangeiros e a França”.

Macron fez-se acompanhar do ministro do Interior, Gérald Darmanin, e do ex-presidente Nicolas Sarkozy, num evento que teve também uma dimensão inter-religiosa, com a presença do grande rabino de França, Haïm Korsia, do presidente da conferência episcopal do país,  Éric de Moulins-Beaufort, e de Antony Boussemart, co-presidente da União Budista de França.

 

KAICIID reúne líderes religiosos e comunitários para promover paz em Cabo Delgado

Encontro em Pemba

KAICIID reúne líderes religiosos e comunitários para promover paz em Cabo Delgado novidade

O Centro Internacional de Diálogo – KAICIID, com sede em Lisboa, dinamizou no final da semana passada um encontro de “sensibilização inter-religiosa” em Pemba (capital da província de Cabo Delgado, Moçambique), no qual reuniu membros das comunidades locais, líderes religiosos e organizações da sociedade civil. Deste encontro saíram compromissos a curto e longo prazo de promoção do “diálogo entre líderes religiosos e decisores políticos como ferramenta de prevenção de conflitos” naquela região.

O “caso” frei Bernardo de Vasconcelos: 100 anos da sua vocação monacal e uma carta

O “caso” frei Bernardo de Vasconcelos: 100 anos da sua vocação monacal e uma carta novidade

Vem isto a propósito de uma efeméride que concerne o jovem Frei Bernardo de Vasconcelos (1902-1932), monge poeta a quem os colegas de Coimbra amavam chamar “o Bernardo do Marvão”, nome pelo qual era conhecido nas vestes de bardo, natural de São Romão do Corgo, em Celorico de Basto, Arquidiocese de Braga, que a Igreja declarou Venerável e que, se Deus quiser (e quando quiser), será beatificado e canonizado. (Pe Mário Rui de Oliveira)

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

“Em cada oportunidade, estás tu”

Ajuda em Ação lança campanha para promover projetos de educação e emprego

“Em cada oportunidade, estás tu” é o mote da nova campanha de Natal da fundação Ajuda em Ação, que apela a que todos os portugueses ofereçam “de presente” uma oportunidade a quem, devido ao seu contexto de vulnerabilidade social, nunca a alcançou. Os donativos recebidos revertem para apoiar os programas de educação, empregabilidade jovem e empreendedorismo feminino da organização.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This