Itália

Madre superiora presa por maus tratos a menores em instituição de acolhimento

| 18 Nov 2022

violencia infantil, foto c ryan king

As quatro freiras vão responder pelos crimes de abuso infantil, lesão corporal agravada e violência agravada. Foto © Ryan King.

 

Quatro freiras, incluindo a madre superiora, do instituto religioso de Santa Maria della Provvidenza, em Ischia (Itália), foram detidas por acusação de maus tratos a menores, que ali residiam sob custódia ou a aguardar adoção. A madre superiora ficou presa, e as restantes três irmãs estão proibidas de entrar no local, avançou a Rai News na passada quarta-feira, 16 de novembro.

A denúncia foi feita em julho por uma menina que havia conseguido filmar com o seu telemóvel, sem que as freiras de apercebessem, uma das situações de violência física. No vídeo, a madre superiora, irmã Edda, de 81 anos, é vista a bater num menino de 4 e a puxar-lhe o cabelo. Quando o irmão, de 8 anos, intervém para defendê-lo, a freira dá-lhe uma chapada na cara, que o deixa a sangrar do nariz.

Já com o intuito de evitar que estas situações fossem registadas, as freiras tinham o hábito de retirar os telefones às crianças que residiam na instituição, refere a notícia da televisão italiana. Após a denúncia, as autoridades recorreram a um sistema de câmaras e microfones ocultos para investigar o que se passava na instituição.

As quatro freiras vão agora responder pelos crimes de abuso infantil, lesão corporal agravada e violência agravada, por terem abusado da condição de inferioridade física e psíquica das vítimas, e por terem cometido os crimes no âmbito de uma instituição de educação e formação.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This