Maiores confissões dos Estados Unidos receiam distanciamento de jovens por causa dos abusos sexuais e políticas LGBT

| 14 Mar 19

Os últimos tempos têm sido devastadores para três das maiores denominações religiosas dos Estados Unidos, à medida que surgem escândalos de abusos sexuais e que a exclusão de pessoas LGBT motivam preocupação dentro da Igreja Católica, da Convenção Baptista do Sul e das Igrejas Metodistas. Aumenta o receio de que estas crises alienem jovens desencantados com a religião organizada, noticia a Associated Press, resumindo o que se tem passado nas principais confissões do país. 

Para a Igreja Católica, a dimensão dos abusos sexuais que tem vindo a público nas últimas duas décadas agravou-se exponencialmente nos últimos meses e muitas dioceses tornaram-se alvos de investigação. A Convenção Baptista do Sul, a maior denominação protestante dos Estados Unidos, viu-se confrontada com a sua própria crise de abusos sexuais há três semanas, por meio de uma investigação desenvolvida pelos jornais Houston Chronicle e San Antonio Express-News. Nesta investigação, foram denunciados casos de má-conduta sexual de pastores, responsáveis e funcionários durante os últimos 20 anos sobre 700 vítimas – três meses depois de uma outra investigação ter denunciado mais de 400 casos de alegada conduta sexual inadequada em 187 igrejas evangélicas batistas de 40 estados dos EUA. 

Já na Igreja Metodista o problema tem sido outro: uma rotura inconciliável relativa a casamentos entre pessoas do mesmo sexo e ordenação de clero LGBT. Aproximadamente 53 por cento dos delegados a uma conferência geral da Igreja votaram para manter essas práticas banidas, enquanto que os restantes enfrentam a escolha de sair da Igreja ou continuar a lutar pela inclusão desses membros.

Para o pastor Adam Hamilton, da Igreja Metodista de Leakwood (Kansas), o resultado desta votação levará a um afastamento de novos pastores e outros jovens adultos: “Três em cada quatro millenials que vivem nos Estados Unidos apoiam o casamento entre pessoas do mesmos sexo e não querem fazer parte de uma Igreja que faz os seus amigos sentirem-se como cristãos de segunda-classe.”

Mesmo antes destas últimas crises, as denominações cristãs nos Estados Unidos têm perdido membros progressivamente. O mais recente inquérito do Pew Research Center, relativo à paisagem religiosa do país, revelou que o maior crescimento tinha ocorrido nas pessoas que se dizem “não afiliadas” a qualquer religião – agnósticos, ateus ou nada em particular. Os últimos são equiparados aos chamados nones – normalmente jovens que querem espiritualidade nas suas vidas e que, em geral, se sentem desencantados com as confissões institucionalizadas.

Artigos relacionados

Breves

Anselmo Borges e a eutanásia: “Quem mata?”

“Se algum dia se avançasse por esta via da legalização da eutanásia, o Estado ficaria com mais uma obrigação: satisfazer o direito ao pedido da eutanásia e seria confrontado com esta pergunta terrível: quem mata?”, escreve Anselmo Borges, professor de filosofia e padre, na sua última crónica no Diário de Notícias.

Boas notícias

É notícia

Entre margens

Hanau: isto não foi o Capuchinho Vermelho novidade

De vez em quando, a morte passa-nos por perto. Hanau fica a trinta quilómetros de onde moro e é conhecida por ser a cidade natal dos irmãos Grimm, aqueles que compilaram contos populares alemães como o Capuchinho Vermelho ou a Branca de Neve. Muitos deles são histórias terríveis que eram contadas às crianças para ganharem a noção da maldade humana e não serem enganadas facilmente.

A lição de Merkel

As eleições de Outubro de 2019 na Turíngia, estado da antiga República Democrática Alemã, ditaram um resultado que se vislumbraria difícil de solucionar. A esquerda do Die Linke ganhou as eleições, seguida da direita radical da Alternativa para a Alemanha (AfD) e da União Democrata Cristã (CDU), de Angela Merkel. O Partido Social-Democrata (SPD), não foi além dos 8,2% e os Verdes e os Liberais (FDP) ficaram na casa dos 5%.

Maria e Marta – como compreender dois nomes num congresso mundial

Foi nesse congresso que, pela primeira vez, tive a explicação relativa a dois nomes, Maria e Marta, cujo significado fiquei de procurar, desde 1983, ano no qual nasceram as minhas primas Maria e Marta. O facto é que, quando elas nasceram, o meu avô materno, impôs que fossem chamadas por esses nomes. Despertou-me curiosidade a insistência, uma vez que já as chamávamos por outros nomes.

Cultura e artes

São Pessoas. Histórias com gente dentro

Há um tanque de lavar roupa. Há uma cozinha. Há o poço e as mãos que lançam um balde. Há uma sombra que foge. Há o poste de eletricidade que ilumina as casas frágeis. Há o quadro pendurado em que um coração pede “Deus te ajude”. Há a campa e a eterna saudade. E há uns tapetes gastos. Em cada uma destas fotos só se adivinham os rostos, os olhos, as rugas, as mãos rugosas, as bocas, as pessoas que habitam estes lugares.

“2 Dedos de Conversa” num blogue para alargar horizontes

Um dia, uma leitora do blogue “2 Dedos de Conversa” escreveu-lhe: “Este blogue é um momento de luz no meu dia”. A partir daí, Helena Araújo, autora daquela página digital, sentiu a responsabilidade de pensar, de manhã, o que poderia “escrever para animar o dia” daquela rapariga. Sente que a escrita do blogue pode ajudar pessoas que não conhece, além de lhe ter alargado os horizontes, no debate com outros pontos de vista.

Um selo em tecido artesanal para homenagear Gandhi e a não-violência

Os Correios de Portugal lançaram uma emissão filatélica que inclui um selo em khadi, o tecido artesanal de fibra natural que o Mahatma Gandhi fiava na sua charkha e que utilizava para as suas vestes. Portugal e a Índia são, até hoje, os únicos países do mundo que utilizaram este material na impressão de selos, afirmam os CTT.

Arte de rua no selo do Vaticano para a Páscoa

Um selo para celebrar a Páscoa com arte de rua. Essa será a escolha do Vaticano, segundo a jornalista Cindy Wooden, para este ano, reproduzindo uma Ascensão pintada por Heinrich Hofmann, que se pode ver na Ponte Vittorio Vittorio Emanuele II, em Roma, a poucas centenas de metros da Praça de São Pedro.

Sete Partidas

Sankt Andreas Kirke, Copenhaga – Uma igreja nómada

Gothersgade 148, 1123 København K, Igreja de Skt. Andreas. Era este o sítio a que nos devíamos dirigir quando nos interessámos por um concerto de música clássica, de entrada gratuita, por altura do Natal de 2009. Estávamos em fase de descoberta daquela que seria a nossa casa por 10 anos – Copenhaga, Dinamarca.

Visto e Ouvido

Igreja tem política de “tolerância zero” aos abusos sexuais, mas ainda está em “processo de purificação”

D. José Ornelas

Bispo de Setúbal

Agenda

Fale connosco