Dia Mundial dos Migrantes e Refugiados

Mais de 150 organizações católicas denunciam política fronteiriça de Biden

| 25 Set 21

Fronteira EUA-México. Muro de Separação. Tijuana

Uma fronteira que entra pelo mar dentro: o muro de separação entre os EUA e o México, em Tijuana. Foto © Amnistia Internacional.

 

Mais de 150 organizações católicas solicitaram ao Presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden, que revogue uma medida legal (“Título 42”) do seu antecessor para a política de fronteira, que permite a expulsão imediata de migrantes, limitando o seu direito de pedir asilo.

Esta iniciativa, tomada nas vésperas do Dia Mundial dos Migrantes e Refugiados, que se assinala neste domingo, promovido pela Igreja Católica, surge na sequência de um agravamento da situação dos migrantes na fronteira sul, com o México. Na última semana, milhares de migrantes, sobretudo haitianos, cruzaram o Rio Grande para os EUA. Além de cenas entre a polícia montada e os refugiados, que chocaram a opinião pública, Biden respondeu reforçando e intensificando a política de deportação para o Haiti, um país que está exangue, depois do recente terramoto.

“O seu apelo e promessa, durante a sua campanha, para ‘restaurar a alma da nação’, representou um retorno à moralidade em prol de leis e políticas justas e humanas”, escrevem as organizações católicas, na carta ao Presidente, datada desta quinta feira, 23, e citada pelo jornal Crux. “O uso continuado e indevido do Título 42 não respeita a dignidade dos migrantes e refugiados e não honra a imagem de Deus em cada pessoa humana”, acrescentam.

A agilização dos voos para deportar migrantes para o Haiti levou o enviado especial dos EUA para aquele país, Daniel Foote, a renunciar, também no dia 23.

Um dia antes, o bispo auxiliar Mario Dorsonville de Washington, presidente do Comité da Conferência Episcopal dos EUA sobre Migração, e a irmã Donna Markham, presidente e diretora executiva da Catholic Charities USA manifestaram-se contra a forma como o governo está a gerir a situação.

O Presidente denunciou a política de Donald Trump durante a campanha eleitoral. Todavia, confrontado com um número recorde de travessias da fronteira, manteve essa política em vigor durante os primeiros oito meses da sua presidência.

O Dia Mundial dos Migrantes e Refugiados, que vai já na 107ª edição, tem este ano por tema “Rumo a um ‘nós’ cada vez maior”, inspirado no nº 35 da encíclica Fratelli Tutti, do Papa Francisco.

Na Mensagem para este dia, publicada em 3 de maio deste ano, Francisco refere: “estamos todos no mesmo barco e somos chamados a empenhar-nos para que não existam mais muros que nos separam, nem existam mais os outros, mas só um nós, do tamanho da humanidade inteira”. E aproveita para deixar “um duplo apelo: em primeiro lugar aos fiéis, a quem pede “uma Igreja cada vez mais católica” e, depois, “a todos os homens e mulheres da terra”, apelando a “um mundo cada vez mais inclusivo.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia

Neste sábado, em dez cidades

“Caminhada pela Vida” contra regresso do aborto e da eutanásia novidade

Uma “caminhada pela vida” em dez cidades portuguesas é a proposta da Federação Portuguesa pela Vida e da Plataforma Caminhadas pela Vida para este sábado, 22, à tarde, com o objectivo de contrariar o regresso do debate da eutanásia e os projectos de lei de alargamento de prazos no aborto apresentados entretanto no Parlamento pelas duas deputadas não inscritas.

Sínodo em demanda de mudanças

Sínodo em demanda de mudanças novidade

Falo-vos da reflexão feita pelo Papa Francisco, como bispo de Roma, no início do Sínodo, cuja primeira etapa agora começa, de outubro de 2021 a abril de 2022, respeitando às dioceses individuais. Devemos lembrar que o “tema da sinodalidade não é o capítulo de um tratado de eclesiologia, muito menos uma moda, um slogan ou novo termo a ser usado ou instrumentalizado nos nossos encontros. Não! A sinodalidade exprime a natureza da Igreja, a sua forma, o seu estilo, a sua missão”.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This